OS PSEUDO FASCISTAS E OS IDIOTAS ÚTEIS

22/03/2014 by
Bolsonaro e Suplicy: dois lados da mesma moeda enferrujada

Bolsonaro e Suplicy: dois lados da mesma moeda enferrujada

Fui pego de surpresa quando soube pelas redes sociais que um protesto intitulado “ A Nova Marcha da Família para Deus pela Liberdade” estaria marcado para hoje em várias cidades brasileiras.

Nunca pensei que ecos de uma história que vai completar 50 anos iria se estender até os dias de hoje. Para quem não sabe esse protesto com o mesmo nome foi uma mobilização da direita (empresários, parte da classe média e da igreja) brasileira nos anos 60 contra as reformas de base do governo João Goulart e seu apoio a sindicatos, partidos e entidades de esquerda.

O auge e a polarização da chamada guerra fria entre EUA e URSS deixava a sua marca no Brasil. O golpe militar de 31 de Março de 1964 pôs Jango para correr o país mergulhou no ostracismo durante 20 anos. A cultura e o desenvolvimento político foi sufocado pelos generais.

Agora 50 anos depois vemos essas pessoas pedirem a volta do regime militar sob a justificativa de que a corrupção acabaria no Brasil.

Desculpem decepcionar os apoiadores dessa marcha, mas de onde vieram figuras como Antônio Carlos Magalhães, Paulo Maluf, Collor e José Sarney? Não foram eles jovens políticos apadrinhados pelos generais?

Vamos fazer um exercício de lembrança caro cidadão.

Você vota em Paulo Maluf e José Sarney e Collor e quer a volta dos militares no poder?

Sim caro colega. VOCÊ e apenas VOCÊ é o responsável pelo Brasil estar nesta draga. Não se exima de sua responsabilidade.

Quer acabar com PT? Ótimo! Eu também quero ver a turma de Lula e Dilma, Dirceu e Genoíno bem longe do Palácio do Planalto. Acredito que o partido dos trabalhadores e sua política desastrosa é um monstro que vai se tornar muito pior do que a ditadura militar de 1964. Afinal não podermos acreditar que um governo dito “democrático” apoie ditadores que fuzilam e assassinam o próprio povo. Vide Cuba e Venezuela.

Temos que aprender a conviver com a democracia em sua plenitude. Debata e vença no campo das ideias. Mostre porque sua forma de pensar pode melhorar a vida da população. Não apele com chavões baratos e nem peça para que um período nefasto da história brasileira retorne.

A política é dura, mas a maior arma ainda está em nossas mãos. Vamos mostrar porque o PT é um partido prejudicial para a nação brasileira e nos mobilizar de forma democrática para derrotá-los no voto e demonstrar a todo o povo brasileiro quem eles são na realidade. A palavra-chave é mobilização.

Não acredito em radicalismos. Abomino a todos. Desde a ultra direita nacionalista como a esquerda cega, fanática e facínora. Ambos são detestáveis e reacionários e não podem ser responsáveis em colocar o Brasil na estrada das trevas novamente. Se temos pretensos fascistas de um lado, existem os idiotas úteis que usam o monopólio da virtude do outro. Ambos ressentidos e rancorosos com os ecos do passado. O que não melhora em nada as nossas perspectivas para um futuro promissor.

O velho ditado já dizia que de boa intenção o inferno está cheio. As duas marchas realizadas ontem em nosso país provaram isso.

Essa espécie de volta ao passado, nojenta por si só revela que o Brasil pouco amadureceu politicamente nos últimos 50 anos. Insistem em debater ideologias e soluções mortas há 20 anos.

Para o Brasil melhorar precisamos de muito mais do que isto.

Anúncios

CONSCIÊNCIA PESADA

17/03/2014 by
Corinthians: mau início  precipitou a eliminação

Corinthians: mau início precipitou a eliminação

O técnico Mano Menezes errou feio ao dar indiretas sutis sobre a derrota do São Paulo em casa diante do Ituano e que selou a eliminação do Corinthians no Campeonato Paulista de 2014.

Hummmm. Mas a derrota do tricolor paulista para a equipe de Itu foi fundamental para que o time do Parque São Jorge fosse desclassificado?

Evidentemente que não.

O timão não venceu seis jogos seguidos. Não ganhou nenhum clássico e dependia única e exclusivamente dele para se classificar para a próxima fase. Empatou com a Penapolense que vinha de quatro derrotas seguidas. Não teve competência e nem futebol para tal feito e a culpa é do São Paulo?

A fala de Mano Menezes e de Romarinho são análises muito simplistas e que desviam o foco da incompetência e pusilanimidade do time nesse início de temporada.

O Corinthians não se classificou porque jogou mal. Se o São Paulo “entregou” ou não a partida contra o Ituano nunca iremos saber realmente. A verdade é que depender de um arqui rival para se classificar é algo ridículo.

Cada um na sua. Se você não teve a capacidade de superar os seus problemas não coloque a culpa no lombo dos outros.

A fala do treinador corintiano foi boçal.

Ao contrário do que Mano Menezes insinua a consciência do São Paulo vai muito bem obrigado.  No entanto, a do presidente corintiano Mario Gobbi é que deve estar pesada por trocar o vencedor Tite por ele.

ENTRANDO NUMA FRIA

12/03/2014 by
Seedorf: bons técnicos não nascem da noite para o dia

Seedorf: bons técnicos não nascem da noite para o dia

Não é fácil a vida de técnico. Principalmente depois que você abandona a sua vida de jogador para logo em seguida virar treinador de uma equipe tradicional como o Milan.

Clarence Seedorf deve estar se perguntando porque raios ele saiu do Rio de Janeiro.

Ídolo do Botafogo. Amado pelos torcedores e pela imprensa brasileira. A ponto de disputar uma Taça Libertadores e fazer história. Sol. Praia, Ipanema, Copacabana…

Realmente tem coisas que não dá para entender.

Acho estranha a postura de um clube grande da Itália colocar como seu técnico principal um atleta que acabou de encerrar a carreira.

Nada contra. Já vimos exemplos em vários times aqui do Brasil e do mundo.

Porém para colocar o paletó e o casaco é necessário muito mais do que ser apenas um ex-grande jogador. Estudo e preparação são necessárias. Nada nasce da noite para dia.

Ontem o Atletico de Madrid estraçalhou o Milan por 4 x 1 pela Champions League. Sabemos que a culpa não é do holandês. O Milan passa por mudanças estruturais. Existe conflito interno entre seus dirigentes e o time é um arremedo de novos e velhos jogadores que ainda não se entenderam dentro de campo. Esperamos que os dirigentes rossoneri entendam a entressafra e não transformem a experiência de Seedorf num pesadelo.

Um ditado sabiamente diz: “a pressa é inimiga da perfeição”. Seedorf foi com muita sede ao pote quando deixou o Brasil. Poderia esperar mais um ano pelo menos no Botafogo. Tinha futebol e fôlego para isso. Que deixasse o casaco dentro do armário mais um pouco e curtisse o ensolarado Rio de Janeiro num ano de Copa do Mundo.

Entrou literalmente numa fria.

A ERA DA INSANIDADE

25/02/2014 by

25.04

 

 

 

Pois é pessoal.

Nós até tentamos escrever um pouco sobre esporte por aqui, mas está difícil devido aos últimos acontecimentos.

Um santista morreu estupidamente por conflitos entre as famigeradas e impunes torcidas uniformizadas.

Márcio Toledo de Barros, membro da Torcida Jovem do Santos, esperava tranquilamente o ônibus para voltar para sua casa.

Foi atacado covardemente por um grupo rival de são paulinos que o assassinaram com barras de ferro e pedras.

Nem mesmo nos tempos das cavernas temos relatos de atos tão vis e bárbaros.

A situação é totalmente insustentável. Já apontamos soluções e alternativas para que este estado de barbárie não se perpetue.

A polícia e o MP fizeram a sua parte quando prenderam marginais do Vasco e Atlético Paranaense que tocaram o terror em Santa Catarina pela última rodada do campeonato brasileiro de 2013.

Na semana passada, marginais que invadiram o CT do Corinthians foram presos.

Apesar do esforço, as ações ainda não surtem o efeito necessário para deter estes covardes. A justiça solta os brucutus porque não existe uma legislação forte e que puna com rigor esses atos criminosos.

O país necessita de uma legislação penal e civil específica para lidar com este problema. Porém, os projetos estão parados na câmara dos deputados. Um acinte e uma ofensa a todos nós brasileiros nas vésperas de uma Copa do Mundo em território nacional.

No podre governo de Dilma Rousseff os deputados pouco se importam com o cidadão brasileiro. Estamos jogados às traças com um código penal arcaico e totalmente ultrapassado que favorece os bandidos e os corruptos. Veja o quanto custou colocar na cadeia os criminosos do mensalão.

Enquanto isso José Maria Marin e seus seguidores ditam as indolentes regras dentro do futebol nacional. Para eles que se dane o Estatuto do Torcedor e suas leis. Compreensível para quem foi um político da ditadura militar e se julga acima do bem e do mal.

A Copa terá um público totalmente diferente nos estádios pelo alto custo dos ingressos. Porém, passada a competição, os velhos problemas vão continuar e com um detalhe: a maioria dos estádios não terá fosso e nem separações que impeçam a parte marginal da torcida de invadir o campo ou barbarizar o local dos abnegados adversários.

O problema é bem mais grave do que se pensa. A exigência de uma legislação específica para o futebol e um Código Penal mais duro é de importância suprema para o Brasil.

Caso contrário, os atos de violência desmedida continuarão como previmos em postagens anteriores. A sociedade civil e principalmente os jogadores de futebol devem tomar uma atitude enérgica contra esses acéfalos.

O que aconteceu no domingo não foi uma briga de bar. Nem mesmo um encontro entre turmas para ver quem bate mais.

Ocorreu um homicídio comandados por um grupo de covardes. Nada mais, nada menos. Que a polícia encontre esses bandidos e os façam cumprir o rigor da lei. Vestir a camisa de uma torcida não dá aval e nem imunidade para eles.

Eles são assassinos e lugar de homicida é atrás das grades.

AMARGA ROTINA

07/02/2014 by
Organizada do Corinthians invade o CT do clube: o horror

Organizada do Corinthians invade o CT do clube: o horror

A violência no futebol brasileiro se torna uma amarga rotina nos últimos meses.

Desta vez a vítima da vez foram os jogadores do Corinthians que tiveram o seu CT invadido por “torcedores organizados”.

Guerrero, o jogador que fez o gol mais importante da história do clube foi esganado por um grupelho de marginais. Outros tiveram que se esconder para não serem roubados e agredidos pela horda de bárbaros.

Em menos de um semestre já discutimos este assunto em duas oportunidades.

Cansa, pois é um assunto chato. Contudo, não custa repetir.

A direção do Corinthians está colhendo o que plantou. Mario Gobbi não tem coragem de fazer o que seu colega cruzeirense realizou nos últimos meses.

Os anos de financiamentos para a torcida organizada e seu posterior usufruto como instrumento político clubístico interno estão cobrando a sua dívida. Os torcedores de aluguel se acham acima do bem e do mal.

Afinal como culpá-los? Eles tem assistência jurídica e ajuda de parlamentares até quando aprontam em lugares como a Bolívia…

Sem a ação forte e implacável das autoridades junto às associações, agressões, emboscadas e invasões a centro de treinamentos se repetirão. Os atos de violência desses grupos se tornarão insuportáveis.

Em suma, é impossível parar a ação dessas organizações com os dirigentes de clubes que temos.

Hipócritas, covardes, lenientes e até cúmplices, eles não tem a coragem para fazer o que é necessário. Extirpar os bandoleiros e os irracionais.

Lugar de torcida é no estádio e não no centro de treinamento. Muito menos para “tocar o terror” pro causa de apenas 4 jogos de uma pré-temporada muito mal feita no futebol brasileiro. Algo já tradicional e que o grupo “Bom Senso” quer acabar, mas a caduca CBF insiste em continuar até o Marin virar uma múmia egípcia.

No meio desse mar de imundice se deve parabenizar a atitude dos jogadores corintianos que expressaram na sua carta de repúdio tudo o que o presidente do clube não teve o culhão de falar.

Infelizmente ainda é muito pouco. Uma nota de rodapé de um site oficial não vai afastar os trogloditas dos campos de futebol.

Prisão, leis mais severas e punição exemplar dos agressores sim. Sem as chamadas “facilidades” e “escapes jurídicos” que a confusa lei brasileira insiste tanto em nos afrontar e que libera assassinos e estupradores a cada Natal ou apenas cinco anos depois de um crime.

A impunidade causada pela letargia política e a falta de ação mais enérgica dos clubes de futebol contra esses grupos causa um efeito cascata e que piora o barbarismo nos estádios.

Por isso as medidas do presidente cruzeirense Gilvan Pinho Tavares devem ser aplaudidas e imitadas.

Sua conduta contra as organizadas do time mineiro diferenciam aqueles que prejudicam a instituição dos verdadeiros torcedores da raposa. Os clientes que realmente pagam e sustentam o clube.

No dito futebol profissional, o torcedor deve ser tratado com respeito e como um potencial consumidor. Não como gado. O afastamento e medidas que limitam o espectro vil das organizadas atrai um tipo diferente e mais rentável de torcedor.

Muitos afirmam que a limitação das torcidas profissionais acabaria com o espetáculo nos estádios.

Perguntamos. Que tipo de espetáculo? Aquele que vimos na quarta-feira passada no Pacaembu?

Gritos de incentivos, canções e o agito de bandeiras não é de exclusividade das torcidas organizadas. Quem disse que elas tem o monopólio da simples virtude de “torcer”?

Está na hora da justiça, clubes, governos e sociedade civil se unirem contra este mal. Se os times fizerem vista grossa como pretendem, veremos mais uma vez o futebol ser visto nas páginas policiais ao invés dos cadernos esportivos.

Chega da covardia dos políticos e dos cartolas.

Acabem com a violência no futebol agora antes que seja tarde demais.

LIGA JÁ!

22/01/2014 by

22.01.2014 - liga já

A confusão está instalada.

Com a chuva de liminares que certamente os torcedores da Portuguesa vão usar contra a CBF, o campeonato brasileiro de 2014 organizado pela entidade está seriamente ameaçado.

Porém, o que pode se configurar um problema pode se tornar a solução.

Basta a mandatária mór do futebol brasileiro afirmar que não tem condições de organizar o torneio para que os clubes assumem as rédeas e criem a tão sonhada e por enquanto utópica liga.

O escabroso caso da Portuguesa de Desportos provocou muitas discussões jurídicas referentes a validade ou não da decisão do inútil STJD.

Para mim o caso está bem claro. Existe uma lei federal superior chamada de Estatuto do Torcedor.

Os dirigentes da Lusa bobearam feio ao não prestarem atenção ao julgamento de Héverton. Terceirizar vínculos advocatícios certamente é uma medida bastante arriscada já que o profissional contratado tem poucos vínculos clubísticos com os contratantes. Os dirigentes da Portuguesa afirmaram que Osvaldo Sestario não comunicou devidamente a punição. Contudo, na coluna do jornalista Lauro Jardim da revista Veja foi comprovado que o advogado telefonou com os cartolas do time paulista após o julgamento do atleta e a Portuguesa recebeu um fax do STJD comunicando o resultado.

Quem está com a razão?

O problema é que a relaxada e imperial CBF não comunicou a decisão em sua página e a Portuguesa vai usar essa medida jurídica para impugnar a medida do STJD.

O Estatuto do Torcedor é uma lei superior a todas as instâncias dos tribunais esportivos e jamais foi devidamente respeitado em todos os seus quesitos como a CBF e vários clubes demonstraram. O apaixonado pelo futebol ainda é tratado como um lixo nos estádios.

Está na hora de levarem o futebol brasileiro mais a sério. Fica a lição para que a CBF tenha no mínimo um bom web designer para atualizar os seus dados como a lei federal profere.

A medida legal existe e a Portuguesa tem toda a razão de usá-la contra a organização comandada por José Maria Marin. A entidade tem que zelar pelos seus associados e não usar a velha tática “ eu não tenho nada a ver com isso”.

É uma tática hipócrita e asquerosa.

O fato é que a Confederação Brasileira vai ter muitos problemas para organizar o seu campeonato.

É uma boa hora dos clubes assumirem as rédeas.

Entretanto existem alguns contratempos. Um deles é que os cartolas dos times são em alguns casos piores do que os dirigentes da CBF.

A grande maioria dos presidentes só quer o melhor para si e a associação comandada por eles. Não desejamo bem comum. Vide a confusão que acarretou a implosão do Clube dos 13 causado por Andrés Sanchez do Corinthians e os clubes do Rio de Janeiro

Outro exemplo dessa falta de união dos clubes é ver o escritório de advogacia de um candidato a presidente do São Paulo defender a CBF contra as liminares do Flamengo e da Portuguesa.

Falta ética e respeito. A tal Liga que poderia ser a tábua de salvação dos times do Brasil não passa por enquanto de uma mera utopia.

Ainda dá tempo dos cartolas  se conscientizarem. A hora é agora. Melhor oportunidade de usurpar o campeonato das mãos de José Maria Marie não há.

Liga já ou a Copa João Havelange 2.

A luz ou as trevas.

A bola agora estão nas mãos e nos pés dos clubes.

Que o bom senso prevaleça.

PEARL JAM – SIRENS

01/01/2014 by

Para mim a melhor música da nova bolacha do Pearl Jam “Lightning Bolt”. Banda de rock boa é como vinho. Quanto mais “véia” melhor.  Curtam mais uma vez Eddie Vedder e companhia mandando bala.

O FIM DA ESCURIDÃO

30/12/2013 by

30.12.2013.juvenal

Nunca se viu uma temporada tão trágica para o São Paulo Futebol Clube. O ano de 2013 foi a confirmação de  quase todas as horrendas previsões feitas aqui. Por pouco e graças a Deus ( e a Muricy) uma única não se concretizou: o São Paulo não foi rebaixado, mas faltou pouco.

Durante um certo tempo até parei de escrever sobre o clube no blog. Não queria dar uma carga de negatividade a mais num período tão ruim. Além disso “cornetar” o time mais atrapalha do que ajuda.

Não há a menor dúvida, 2013 foi o mais bisonho da história do tricolor paulista. Uma campanha trágica e humilhante na Libertadores, nenhuma vitória em clássicos, desclassificação no campeonato paulista e na Recopa para o maior rival, uma excursão malfadada na Europa ( em que se perdeu até para um time japonês), atletas desinteressados, brigas e jogadores “estrelinhas” e irresponsáveis como Lúcio e Luis Fabiano.  Para complementar um quase rebaixamento para a série B do campeonato brasileiro e uma desclassificação humilhante para a recém rebaixada Ponte Preta pela Copa Sul Americana. Além disso, um malfadado churrasco com a torcida organizada dentro da sede que terminou em brigas e agressões a torcedores comuns. Conflitos e pressões que já ocorriam dentro do Morumbi por parte d0s brucutus contra os insatisfeitos abnegados são paulinos.  Aqueles que verdadeiramente torcem e sustentam o clube.

Porém nada poderia mais triste período de 2013  ao vermos a pior contratação do clube no último e neste século: Douglas.

Foi um turbilhão. Um ano caótico e que levaria muitos clubes grandes à bancarrota futebolística.

Foi o fim de feira abjeto de Juvenal Juvêncio, quase semelhante ao ano de 1990 e que deixou o time em um estado lastimável. A história se repetiu, mas não por falta de aviso. Desde 2010 nós e muitos outros torcedores e blogueiros alertávamos que o “golpe do terceiro mandato” seria horroroso para uma instituição que por muito tempo pregou a democracia para escolher os seus representantes.

A prorrogação da presidência do atual mandatário atrasou o clube. O pioneirismo foi abandonado. A arrogância e a demissão de profissionais renomados deixou claro que o São Paulo Futebol Clube era de Juvenal Juvêncio e  de ninguém mais. Os iludidos conselheiros entregaram o clube nas mãos de uma pessoa só. Um ato torpe e irresponsável para 15 milhões de almas tricolores.

O resultado está aí. Não é preciso escrever mais nada.

O mês de Abril de 2014 chegará. O prazo final para que o São Paulo se livre desse inferno e arrume todas as besteiras cometidas pelo senhor de Santa Rosa do Viterbo. Carlos Miguel Aidar ou Kalil Rocha Abdalla. Não importa. Ambos os candidatos são melhores do que Juvêncio em todos os quesitos. A democracia vai voltar. Teremos uma verdadeira eleição e não uma aclamação vergonhosa.

A escuridão está perto do fim torcedor são paulino. Aguardem até Abril de 2014. Até lá temos que nos contentar com a venda de jogadores médios como Aloísio e a vinda de perebas medíocres como em 2009,2010,2011, 2012 e 2013. Não se pode esperar mais nada de Juvenal Juvêncio. Apenas que seu agonizante mandato termine.

Que a torcida, conselheiros e dirigentes são paulinos nunca mais se esqueçam de 2013 para que ele não se repita nunca mais na história do Morumbi.

RETROSPECTIVA 2013 – OS MELHORES DO ANO ( E OS PIORES TAMBÉM)

30/12/2013 by

Antes de mais nada, um feliz ano novo para todos os leitores do blog. O trágico ano de 2013 acabou ( menos para os torcedores mineiros). Para não deixar passar a tradição em branco aqui vão os melhores e os piores de 2013. Lembremos que a lista é estritamente pessoal e pode ser discutida sem o menor problema.

Time do ano – Bayer de Munique

30.12.2013-melhores01 - Cópia

O clube alemão bateu na trave em 2010 no ano passado quando deu azar e perdeu uma final dentro de casa para um retrancado e medíocre Chelsea. Porém este ano não teve para ninguém. Com os cinco principais títulos do ano, o Bayer de Munique merecidamente conquistou a alcunha de melhor time do planeta ao vencer a Champions League contra o rival Borussia Dortmund e tranquilamente abocanhar o Mundial de Clubes. Se o Bayer não lembra a excelência do Barcelona de 2011, muitos dos conceitos do atual treinador Pepe Guardiola foram misturados com a eficiência alemã. Um jogo mais vertical e definidor sem muitos toques de bola. O próprio Barça sentiu isso na pele em dois jogos das semifinais da Champions. O badalado time catalão foi massacrado fora e dentro de casa. O rei está morto. Viva o rei.

Jogador do ano – Cristiano Ronaldo

30.12.2013-melhores02

O centroavante português está em estado de graça e vive a sua melhor fase da carreira. Artilheiro incontestável do Real Madrid, o atacante evoluiu tanto taticamente como tecnicamente. Sua experiência e espírito de liderança foram fundamentais para que a seleção portuguesa se classificasse para a Copa do Mundo. Nos play-offs contra a Suécia pela repescagem o “marrento” atleta chamou a responsabilidade para si e fez gols decisivos. Apesar da estupidez de Joseff Blatter, dificilmente o português não será escolhido o melhor do mundo este ano. Se isso não acontecer terá sido uma das grandes injustiças do futebol moderno.

Melhor técnico – Jupp Heynckes

Jupp Heynckes

Ano passado, o Bayer já apresentava uma proposta mais direta e eficiente que os tradicionais “dois toques” do Barcelona. O Bayer era mais mortífero, vertical e eficiente e os resultados não tardaram a chegar. O título da Champions League depois da “tragédia de Munique” no ano passado, foi a premiação suprema de Jupp Heynckes que se aposentou do futebol. Mas não sem antes faturar o titulo de treinador do ano.

Melhor goleiro – Victor

30.12.2013-melhores04

O melhor goleiro de 2013 poderia ser Manuel Neuer outra vez. Porém não se viu no arqueiro alemão nenhum dos milagres apresentados pelo arqueiro do Atlético Mineiro. Se o Galo de Minas tem uma Libertadores no currículo deve mais de 80 % ao seu camisa 1. Seus milagres em momentos cruciais levaram o time de Ronaldinho Gaúcho a um título inédito de sua história. O Mundial não veio, mas a pífia campanha brasileira no Marrocos não apagou o brilho e as defesas de Victor. Mais um “santo” no futebol nacional.

Melhor seleção – Brasil

30.12.2013-melhores05

Vamos fazer um pequeno exercício para não falarem que cometemos uma injustiça. Qual era a seleção mais badalada no momento? Espanha. Qual foi o único time que derrotou a “Fúria” na final num torneio oficial da Fifa? O Brasil. Então a seleção canarinho mesmo sendo um time sazonal e ainda em formação é a melhor seleção do ano. Surpreendente? Pelos últimos resultados da seleção brasileira sim, mas nunca se deve subestimar uma tradição campeã do mundo por cinco vezes. 2013 passou. Ano que vem é outra história. Oxalá a nossa seleção mantenha o mesmo ritmo até a decisão do dia 13 de Julho de 2014.

Melhor time brasileiro – Atlético Mineiro

30.12.2013-melhores06

O principal rival do Atlético poderia estar facilmente nesta lista. Porém o Atlético Mineiro conquistou uma Libertadores e faturou o campeonato mineiro. Não é só o resultado que conta, mas também o modo que se joga. O Galo jogou um futebol mais clássico e técnico do que seu rival. Portanto mesmo que o Cruzeiro tenha sido no campo o melhor time do Brasil, a taça aqui no blog do Abdul é do Galo. Por pouco, mas é.

Melhor jogador brasileiro – Éverton Ribeiro

??????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

O jogador do Cruzeiro sobrou nesse campeonato brasileiro. Suas boas e regulares atuações foram fundamentais para que o Cruzeiro faturasse o seu terceiro título brasileiro. Veja o golaço que o atleta fez contra o Santos no segundo turno e tirem as suas dúvidas. É craque? Falta muito, mas sobrou eficiência.

Técnico brasileiro do ano – Marcelo Oliveira

30.12.2013-melhores08

O treinador já tinha ganho um destaque em anos anteriores com um belo trabalho no Coritiba. Ainda em 2012 foi contratado pelo Cruzeiro e mostrou que o seu sucesso no time paranaense não veio por acaso. Já no campeonato estadual o time azul fez uma boa campanha, mas foi vice. No campeonato brasileiro manteve a base e um time sólido ganhou corpo. O título veio com três rodadas de antecedência. A premiação de um trabalho e a glória de um dos raros treinadores do futebol brasileiro que não segue ao pé da letra a cartilha do pragmatismo.

Pior técnico – Vanderlei Luxemburgo

30.12.2013-melhores09

Fracassos e mais fracassos. Essa tem sido a triste rotina de um dos maiores vencedores da história do futebol brasileiro. Um treinador que só se sustenta hoje pelo currículo e nada mais. O que aconteceu com Vanderlei Luxemburgo? O técnico não conseguiu nem chegar a decisão do campeonato gaúcho com o Grêmio e foi peça fundamental na má campanha do Fluminense que levou o clube carioca a mais um rebaixamento ( que não se concretizou graças a ajuda do imoral STJD).

A pergunta que fica é a seguinte. Luxemburgo é um treinador decadente ou apenas está em má fase? Ele foi superado? Por que os jogadores não o suportam mais? Uma incógnita que o levou a ser o pior treinador de 2013.

Mico do ano – Barcelona 8 x 0 Santos

30.12.2013-melhores10

Para encerrar com chave de ouro e brindar a venda de Neymar para o time catalão, ambos os clubes resolveram marcar dois amistosos. No primeiro realizado no Camp Nou o peixe sofreu uma das mais humilhantes e inacreditáveis goleadas de sua história. Um Santos desarrumado e cheio de garotos foi direto ao covil dos lobos. A derrota quase custou a presidência de Luis Álvaro Oliveira Ribeiro.

A imprensa noticiou a goleada com espanto. Os torcedores rivais se deliciaram e os cartolas se acusaram mutuamente pela responsabilidade de marcar um jogo numa situação tão desfavorável ao clube praiano.

Porém, o vexame maior não foi a goleada em si mas a covardia dos dirigentes santistas em marcar a partida de volta contra o Barcelona no Brasil.

O Santos Futebol Clube representa uma das instituições mais representativas quando se fala no futebol brasileiro.

É uma vergonha que a diretoria de um clube bicampeão do mundo se borre nas calças com medo do Barcelona, como se o Santos não conseguisse vencê-lo. Não existe time imbatível.

Que o Santos perca ou vença de meio a zero o Barcelona, mas que marque o amistoso e não tenha medo de enfrentar os times de fora. É o fim da picada do futebol brasileiro.

Troféu Jason Voorhess – Torcidas organizadas brasileiras

30.12.2013-melhores11

Neste ano não teve para ninguém. As famigeradas torcidas organizadas se superaram na truculência e na bestialidade. Atos imbecis que não podem ser comparados nem com os animais, pois seria uma ofensa a eles. Desde a agressão de jogadores no aeroporto, passando pela morte de uma criança por um sinalizador e terminando com brigas entre brucutus nos estádios, o troféu Jason Voorhess vai merecidamente para os homens das cavernas travestidos de torcedores. Nunca um troféu esteve em tão boas ( ou péssimas?)  mãos.

A HISTÓRIA QUE NUNCA SE APAGARÁ

24/12/2013 by

24.12.2013sopara

Todo o final de ano é a mesma coisa.

Quando o árbitro apita o final do Mundial Interclubes lá vem os oficialistas de boteco querendo desqualificar a Copa Intercontinental e desmerecer as conquistas dos clubes que a venceram com chavões vazios e  mantras repetitivos.

Alguns deles –

“Copa Intercontinental é Mundial? Só no Brasil!”

“Os Europeus não ligam para o Mundiais”.

“Os times que venceram os Intercontinentais não se consideram “campeões do mundo”.

A resposta?

Site da Fifa. A postagem foi publicada no mesmo dia da final do Mundial Interclubes em que se destaca as duas conquistas anteriores do time alemão em 1976 e 2001.

24.12.2013-site fifa

http://www.fifa.com/clubworldcup/news/newsid=2248557/index.html

Fim de jogo em Marrakech. O Bayer conquista o Mundial da Fifa e a torcida bávara abre um bandeirão em que a Taça Intercontinental e o atual troféu da entidade são destacados em conjunto com o escudo do time no meio. Para eles a Intercontinental também é um título do mundo. Pois é…”só no Brasil” não?

23.12.2013-bandeirão

Site oficial do Bayer de Munique, minutos depois do time ter vencido o Raja Casablanca por 2 x 0 e conquistado o seu terceiro título mundial. Para quem não sabe alemão, recomendo o Google Translator.

24.12.2013.site

https://www.fcbayern.de/de/spiele/spielberichte/2013/spielbericht-klub-wm-finale-fc-bayern-raja-casablanca-211213.php

Como sempre escrevemos, tudo tem um começo e uma história. Aos que tentam passar a borracha no glorioso futebol do passado os nossos sinceros pêsames. A história do futebol mundial é poderosa, encantadora e maravilhosa. Ninguém poderá apagá-la.

Esclarecido?

Joinha Procêis.

joinha