Archive for the ‘Vasco’ Category

A REDUNDANTE VIOLÊNCIA

14/12/2013
Jornal Marca destaca a violência em Joinville: vergonha mundial

Jornal Marca destaca a violência em Joinville: vergonha mundial

Não se passaram nem dois meses da postagem “O Efeito Churrascada” e novamente vimos atos de selvageria e brutalidade protagonizados pelas torcidas organizadas no último final de semana.

Já está ficando chato, para não dizer redundante o assunto referente a violência nos estádios.

Nem é preciso repetir o que já foi escrito por aqui. Estamos carecas de saber os motivos que trazem esses marginais à tona.

Não vamos mais analisar o que já foi destrinchado há vários anos.

antiga arena romana? UFC? guerra no Iraque? Não, apenas um estádio de futebol no Brasil

antiga arena romana? UFC? guerra no Iraque? Não, apenas um estádio de futebol no Brasil

Passou da hora das autoridades eleitas pela população agirem com rigor.

Lugar de bandido, brigão e vagabundo é na jaula, não num estádio de futebol.

Por pouco pessoas não morreram ao vivo no estádio do Joinville. Faltou muito pouco graças a incompetência de todos os envolvidos. Do Atlético Paranaense, do Vasco, da CBF, do Ministério Público e da Polícia de Santa Catarina.

Uma aberração.

Até quando?

BOLSA FUTEBOL

22/11/2012

O patrocínio de R$ 30 milhões de reais da Caixa Econômica Federal ao Corinthians gerou a revolta de muitos e principalmente de torcedores adversários que não viram seus respectivos times serem agraciados com o “mesadão” governamental.

O fato do Corinthians ter ganho um estádio de graça da prefeitura e do governo federal para a Copa do Mundo de 2014 somente piorou a visão daqueles que já consideraram o clube paulista o time do “Establishment” governamental. O ex-presidente corintiano Andrés Sanchez é filiado ao partido dos trabalhadores e tem corredores livres até o ex-presidente Lula, que apesar de hoje ser um mero civil, ainda tem muita influência política.

Mas o privilégio do Corinthians não é o único dentro da história do futebol brasileiro.

Vários outros clubes já ganharam a sua graninha apoiados pelo poder público. Algo que numa sociedade dita capitalista é algo bem contraditório.

Palmeiras e São Paulo tem seus CTS construídos em terrenos da prefeitura na Barra Funda em troca de permutas. Não pagaram nada por eles.

O São Paulo recebeu milhões de reais de uma lei de incentivo fiscal para melhorias no seu Centro de Treinamento de Cotia.

Ok, se tratava de uma lei federal e o tricolor paulista soube aproveitar dela muito bem, mas isso não deixa de ser dinheiro de nossos impostos.

O Flamengo foi patrocinado em quase duas décadas por uma empresa petrolífera estatal. O Vasco da Gama também ostenta em sua camisa uma companhia de energia pública em troca de generosos milhões de reais.

Internacional e Atlético Paranaense estão reformando os seus estádios para a Copa com a ajuda do BNDES. Um banco estatal.

Isso sem contar o benefício que todas as agremiações recebem da Timemania, loteria criada pelo governo para que os clubes paguem as suas enormes dívidas trabalhistas. Um achincalhe, pois na opinião governamental temos que financiar a roubalheira que os corruptos cartolas do futebol brasileiro cometeram em seus times.

Se um dirigente de futebol deixa enormes dívidas para comprar um iate ou um apartamento da Barra da Tijuca ele deveria ser preso e não ser auxiliado com dinheiro de nossos impostos.

Mas a presidente da República homologou o substitutivo da Lei Pelé que exime os cartolas da responsabilidade financeira de seus clubes. Agora pensam em criar a Timemania 2, já que a primeira foi um fracasso comercial.

Curioso… são os mesmos clubes que se dizem privados e que escondem balancetes anuais. Mas no apagar das luzes adoram receber dinheiro do governo. De que lado estão nossas autoridades?

O poder público deve zelar pelo “pão e circo” ou ajudar a população? Pelo jeito a primeira opção é a preferida, pois dão mais votos.

A cara de pau dos dirigentes é colossal. Em países sérios muitos desses times seriam enquadrados e não participariam de campeonatos até pagarem as suas dívidas. Muito menos receberiam qualquer benefício público sem antes serem duramente fiscalizados por órgãos governamentais.

Mas estamos no Brasil. O país do “jeitinho”. As leis não foram feitas para beneficiar o esporte em si diretamente, mas para ajudar o patrimônio privado dos clubes de futebol. Uma vergonha.

Nesse caso, ninguém é “inocente ou santo”. Todos os times de uma certa maneira ou outra já tiraram proveito do governo. Muitos jornalistas e torcedores tentam apaziguar essas vantagens indevidas mostrando os erros do passado de outras agremiações. Como se uma coisa justificasse a outra. Na verdade todos estão errados e continuam a proferir mau caratismo.

Afinal vivemos numa sociedade capitalista, os clubes são privados e dois mais dois são igual a quatro. Mas na visão distorcida de muitos cartolas a soma é igual a cinco.

No final quem sai perdendo somos nós com hospitais de péssima qualidade e escolas públicas putrefatas com professores desmotivados. Os dirigentes continuam a gastar milhões em maus investimentos e também em benefício pessoal para depois pedirem dinheiro com o pires na mão como se fossem clubes miseráveis da terceira divisão. Coitadinhos…

O futebol é privado, feito por clubes privados. Pela lógica de mercado deveriam procurar empresas privadas para financiarem os seus times. Quando o governo auxilia mandatários incompetentes e clubes de futebol com dinheiro, leis e outros benefícios eles só encobrem a bandalheira e atrapalham o próprio desenvolvimento do futebol. O cartola podre continua a roubar o clube e sua ingerência não é percebida pelo torcedor, financiado pelos milhões de reais do estado. Um círculo vicioso que não tem fim e que os políticos mentecaptos insistem em perpetuar. Uma aberração.

NOITE GELADA

19/07/2012

Ontem na noite fria do Morumbi, o São Paulo foi dominado e derrotado pelo time misto do Vasco. Sem Lucas e com a estreia do garoto João Schmit colocado na fogueira, o time do Morumbi continuou com os mesmos defeitos que levaram Leão à demissão.

Sim, é preciso paciência. O torcedor são paulino está mal acostumado depois de grandes conquistas. Quatro anos sem títulos é como quarenta nas contas de um são paulino. Mas a noite de ontem mostrou que não é apenas a diretoria que anda sem rumo. Alguns membros de sua torcida seguem o mesmo caminho ao responsabilizar Luiz Fabiano pelas derrotas ao atribuir a ele a mesmo status de um Pelé. O atacante é um dos melhores do futebol brasileiro na atualidade, mas não atua sozinho. Se as outras dez peças do esquema não funcionam, não há craque que resolva.  Luiz Fabiano é apenas um ótimo centroavante, que na maioria das vezes fica isolado na frente, por ter um meio campo fraco, com jogadores como Cícero e Jadson que são medíocres e não criam nada.

Pipoqueiro? Os números do centroavante provam que não. Mais de cem gols pelo São Paulo. A ponto de bater o recorde do eterno ídolo Leônidas da Silva. Já foi campeão de um Rio-São Paulo com o tricolor e venceu duas Copas UEFAS com o Sevilha, além de já ter sido campeão da Copa América com a seleção brasileira em 2004.

Nessa mesma seleção foi o principal centroavante do time de Dunga. Pato, Adriano, Nilmar… Nenhum atacante tinha acertado com o técnico. Com Luiz Fabiano a coisa mudou de figura. O Brasil acelerou nas eliminatórias e foi campeão da Copa das Confederações com dois gols dele na decisão. Além de fazer golaços na Copa do Mundo com direito a “mãozinha” de Deus

Se isso é ser “pipoqueiro” na visão distorcida de alguns torcedores organizados sustentados pela velhaca diretoria,  o que será Kléber do Grêmio? Ou Wellington Paulista do Cruzeiro?

O torcedor necessita raciocinar mesma nas piores horas. Imagino se aquele grupelho de sacripantas não tivesse xingado o Kaká num treino no Morumbi  em 2003. Talvez ele tivesse ficado para a Libertadores em 2004 e quem sabe ajudado o clube a bater o Once Caldas. Quem sabe o tricolor teria mais um título sul americano na bagagem, mas Kaká foi embora ser campeão da Europa e mundial pelo Milan.

O São Paulo está novamente em formação. Com um treinador novo, garotos de Cotia  e uma nova filosofia de trabalho. Se a torcida quiser reclamar que xingue o Juvenal que contrata jogadores como Leo Lima, Paulo Miranda, Marlos e Fernandinho. Deixem Luiz Fabiano em paz.

Pixação no Morumbi: a torcida são paulina acordou

Ontem vimos a chapa de Juvenal Juvêncio definitivamente esquentar. Nem o frio de treze graus aplacou a fúria das arquibancadas do Morumbi.

Não foi por falta de aviso, deste blog e de outros espaços de torcedores da internet  que a atitude torpe que ele cometeu ao ampliar o seu mandato foi uma medida desastrosa para o clube.

Talvez agora seja a chance do torcedor são paulino acertar o foco. Xingar o verdadeiro responsável pelos fracassos recentes do clube e ter paciência.

Mais uma vez.

ADRENALINA

24/05/2012

Paulinho comemora:classificação dramática

Num jogo disputado grama a grama o Corinthians bateu o Vasco por 1 x0 e depois de doze anos está de volta a uma semifinal da Libertadores. Numa partida dramática regada a altas doses de emoção e adrenalina os dois clubes brasileiros proporcionaram uma partida tensa durante quase noventa minutos.

Ambos os times repetiram as mesmas propostas táticas do primeiro jogo em São Januário e privilegiaram a proteção do meio campo, defesa e a armação de contra ataques. O resultado é que vimos novamente uma partida truncada com poucas chances de gols, mas com muita disputa. Tanto Vasco quanto Corinthians poderiam em apenas um lance definir o jogo. Diego Souza teve uma grande oportunidade ao ficar sozinho com o goleiro Cássio, mas o chute do vascaíno foi defendido milagrosamente pelo arqueiro paulista. Se o atacante conseguisse furar as redes corintianas dificilmente o Vasco sairia do Pacaembu desclassificado pois o ridículo critério do “gol fora” faria uma imensa diferença em dois times que jogavam praticamente com esquemas iguais. O cruz maltino Mílton acertou uma cabeçada na trave e agravou o drama da torcida corintiana tão traumatizada com eliminações anteriores.

No segundo tempo o Corinthians aumentou o volume de jogo e passou a pressionar mais o meio campo vascaíno. Aos pouco o talentoso e cansado Juninho perdeu terreno para o seu rival Paulinho. Emerson quase abriu o placar num chute dentro da grande área mas o clube da colina segurou firme o ímpeto paulista. Tudo indicava que a partida caminharia para uma cardíaca cobrança de pênaltis, até que num escanteio quase no final do jogo, o meio campista corintiano Paulinho acerta uma cabeçada certeira no gol de Fernando Prass. A fiel explode e o clube carioca fica totalmente desconcertado. Tomar um gol nessas circunstâncias é como sofre uma morte súbita.

Bem ao seu estilo o Corinthians é semifinalista da Libertadores desde que Marcos agarrou um pênalti histórico de Marcelinho Carioca na semifinal de 2000. Com méritos o time de Parque São Jorge faz uma grande campanha na Libertadores e deixa para trás vários fantasmas que atormentaram o clube durante anos nessa competição. A semifinal contra Vélez ou Santos promete ser eletrizante. Vem mais emoção por aí.

FIM DE SEMANA DO FUTEBOL

28/02/2012

Fluminense: show na final da Taça Guanabara

Ao longo do começo de temporada do futebol brasileiro muito se escutou que os campeonatos estaduais são uma “porcaria” e estão com os dias contados. Concordo em parte. Um time grande disputar mais de 4 meses um campeonato regional é uma insanidade. Os estaduais deveriam diminuir suas datas. O futebol brasileiro mudou junto com o resto do planeta. A globalização e a facilidade das comunicações fizeram com que o torneios mais importantes como a Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Libertadores se tornassem a prioridade número um dos times brasucas.

Mas nesse final de semana, tivemos um belo exemplo da força dos estaduais, ainda que combalidos. Finais de turno, bons jogos e atuações de gala mostraram que o futebol brasileiro ainda é grande dentro de campo apesar de todos os problemas de organização e os velhos vícios da cartolagem nacional.

Fluminense 3 x 1 Vasco

Abel Braga foi muito criticado por parte de torcida de diretoria do tricolor carioca nesse inicio de temporada. Queriam Renato Gaúcho de volta às Laranjeiras. Um absurdo, já que na minha opinião Renato é um técnico de médio porte. Mas domingo o treinador provou aos torcedores que tem muita balha da agulha. O tricolor carioca fez um grande primeiro tempo contra o badalado Vasco e marcou três gols fulminantes. Wellington Nem infernizou a defesa vascaína e Deco e Fred atuaram de forma magistral. O Vasco acordou tarde e o Fluminense conquistou a Taça Guanabara. Ponto para Abel que tem toda a chance do mundo de formar um timaço este ano. Diego Cavalieri, Deco, Fred, Thiago Neves além de ter Rafael Sóbis, Rafael Moura e Matinuccio como reservas. Se o time der “liga” ninguém segura o tricolor carioca este ano.

Neymar e Ganso: a volta da dupla santista

Santos 6 x 1 Ponte Preta

Depois de um começo de temporada “ameno” no Santos, com a atuação de vários reservas no início de campeonato paulista, o Santos voltou com seus titulares e com o talento de Neymar sobrepujando sobre todos os outros pobres times do interior. Deu pena da Ponte Preta. O peixe deitou e rolou. Um pouco mais de capricho e teria sido de oito, nove ou mais. Apesar do Santos seguir a filosofia “Muriciana” de armar jogadas com a bola parada, a capacidade do camisa onze santista se adapta a tudo. É impressionante o ritmo e a forma de jogar desse rapaz que melhora a cada dia. O Santos é um candidato forte ao tricampeonato paulista.

o argentino Barcos: dois gols no clássico

Palmeiras 3 x 3 São Paulo

Apesar de ambos os times terem elencos limitados Palmeiras e São Paulo fizeram um belo jogo em Presidente Prudente. O verdão com a sua disciplina tática tradicional armada por Felipão e o São Paulo com a sua ousadia ofensiva. Pena que a defesa do tricolor paulista continue a ser um desastre como no ano passado. Rodholfo “Frankstein” e Paulo Miranda falharam feio, mas Cícero e (pasmem!) Fernandinho tiveram boas atuações. No Palmeiras destaque para a atuação do argentino Barcos que fez dois gols. O primeiro um golaço que deixou os defensores são paulinos no chão. Para quem esperava um jogo duro e difícil o empate com seis gols foi uma bela surpresa.

o goleiro Paulo Sérgio: herói

Caxias 1(5) x(4) 1 Grêmio

Semifinal da Taça Piratini, o primeiro turno do campeonato gaúcho. O Grêmio subiu a serra para enfrentar o Caxias na estréia de Vanderlei Luxemburgo no comando da equipe. Parecia que o clube de Porto Alegre iria vencer após o gol de Kléber. Mas o tricolor gaúcho encontrou muita resistência e valentia por parte da garotada do time do Caxias que empatou o jogo. Na decisão por pênaltis o goleiro grená Paulo Sérgio pegou a cobrança de Marco Antônio e marcou o último. Virou herói e colocou o clube da serra gaúcha na decisão contra o Novo Hamburgo. Um alento para quem dizia que no Rio Grande do Sul só existem dois times.  Grêmio e Inter estão fora da decisão.

Depois dos jogos desse final de semana será que é uma boa acabarem com os estaduais?

FALTA DE MEMÓRIA

08/02/2012

Patrícia Amorim: outra presidente, mesmos erros

A chamada “pindaíba” parece que chegou ao cofre dos grandes clubes brasileiros.

O Flamengo tem dificuldades monstruosas para pagar o salário de Ronaldinho Gaúcho. Sua aparente parceira, a Traffic de J. Hawiila não está cumprindo o acordo que possibilita a manutenção dos ganhos do camisa 10 rubro-negro.

O atleta chegou a gávea depois de um escândaloso leilão promovido pelo agente de Ronaldinho, o seu irmão Assis. Depois do deslumbramento da sua chegada ao ninho flamenguista, o futebolista não trouxe os lucros que o time carioca tanto esperava. No mesmo dia do lançamento da nova camisa rubro-negra, o meia atacante gaúcho lançou uma marca de camisas personalizadas que leva o seu nome. Na apresentação de uma empresa de pilhas todos os jogadores flamenguistas entraram em campo com a estrelinha do mundial de 1981 piscando como luzinhas de natal. Adivinha quem foi o único jogador que não entrou em campo com a estrela piscante. O patrocinador deve ter “adorado”. Se Patrícia Amorim esperava obter um lucro monstruoso com Ronaldinho Gaúcho deu com os burros n´água.

Na carona do sucesso de Ronaldo no Corinthians ela não percebeu que o acordo do atacante com o clube paulistano foi praticamente o de uma sociedade. Mas o deslumbramento prevaleceu. Contratar um jogador de nome, mesmo que o futebol dele não seja mais o mesmo de anos atrás virou a fórmula de sucesso para muitos clubes brasileiros.

Contrate um craque decadente + maior torcida + patrocinadores = sucesso e lucro.

Mas algo deu errado na conta. O meia atacante continuou o mesmo festeiro de sempre desde os tempos de Barcelona e Milan. O  seu futebol, ainda com resquícios de sua grande fase no clube catalão não foi suficiente para deixar o Flamengo na situação que Patrícia Amorim esperava, principalmente na parte financeira.  Dentro de campo um título estadual ( que convenhamos, hoje não é grande coisa) e uma classificação suada para a Libertadores. Muito pouco para um time que investiu milhões na contratação de um bom elenco.

Às vezes podemos parecer chatos quando batemos na mesma tecla ou lembramos aos internautas o que escrevemos anteriormente. Não somos Nostradamus ou temos um dom de prever o futuro, mas o blog tem orgulho de ter algo que a maioria dos dirigentes do futebol brasileiro não tem: memória.

Ronaldinho Gaúcho: na pista

Muitos desprezam ou não ligam para vários conceitos de história. E não escrevo apenas sobre a matéria que alguns acham “chata pra caramba” na escola, mas sobre o conceito global do termo. A história caso não saibam é uma arma que o cidadão deve levar em consideração para aprender sobre erros e acertos do passado e principalmente como lidar com eles no futuro.

Ao que parece,  alguns grandes clubes do futebol brasileiro nunca aprendem. O  próprio time rubro negro é um exemplo. Depois do malfadado “time dos sonhos” de Kléber Leite em 1995 e o mau gerenciamento do presidente Edmundo Santos e Silva com uma parceira de investimentos nebulosa, o rubro-negro carioca comete os mesmos erros do passado.

Amorim rateia o time campeão da Copa São Paulo para comprar Vagner Love da Rússia.  Como presidente ela deveria ser a primeira a saber que o time de maior sucesso da história do clube foi formado na Gávea e não com atletas comprados a rodo a preços milionários.  Mesmo com dívidas e com atraso no salário de jogadores, os dirigentes com os olhos vendados pela vaidade afirmam que o futebol brasileiro será um poço de petróleo prestes a jorrar. Mas por enquanto a desorganização continua a mesma.

Em outros clubes, a situação é semelhante. O Santos prestes a completar 100 anos dissolveu todo o time de futebol feminino e também o de Futsal que acabou de ser campeão da liga nacional. Pode não parecer, mas bancar o salário de Neymar está ficando caro.

LAOR: fim do Futsal e das sereias para adequar as finanças

O Cruzeiro deixado às traças pelos Perrela também tem dificuldade para pagar o salário de seus jogadores. O jogadores do Vasco protestaram contra o clube e não vão concentrar pelo atraso do pagamento do décimo terceiro.

Enfim, os clubes e os dirigentes deslumbrados devem ter percebido que acabar com o Clube dos 13 foi um péssimo negócio. Talvez agora com dívidas atoladas até o pescoço os presidentes dos times devem ter se tocado da imensa besteira que fizeram ao se submeterem aos caprichos de Ricardo Teixeira e assinarem um contrato individual com a Globo e se sujeitar a duras regras como a de não poder adquirir cotas adiantadas.  As agremiações estão de mãos atadas até 2014.

Melhor não esperar pelo dinheiro dos times europeus porque eles também estão em crise e com dívidas quase bilionárias.

O fato é que os clubes estão na lama por culpa de seus próprios cartolas sem falta de visão política e principalmente mercadológica. São amadores pois pensam primeiro em seus times e outros interesses em prol de uma coletividade que certamente vai beneficiar a todos.

Estamos em 2012. Muitos jornalistas alertam sobre isso desde o século passado.

Voltemos ao comentário inicial: usem e treinem a memória, parte importante do nosso cérebro.  O Flamengo não fez isso e depois de dezessete anos demitiu o mesmo técnico porque ele bateu de frente com os privilégios dos astros badalados do clube. O fato voltou a acontecer no mesmo lugar e praticamente na mesma situação.  Não, Luxemburgo passa longe de uma convenção de frades capuchinhos, mas a sua demissão prova que se as pessoas não aprendem com os erros do passado os repetem  no futuro. Uma densa e desagradável rotina dentro do futebol brasileiro.

A LUTA PELO PENTA

28/11/2011

Vasco x Corinthians: quem será pentacampeão brasileiro?

Uma década depois de terem protagonizado a decisão do Mundial Interclubes da Fifa em 2000, Corinthians e Vasco mais uma vez decidem um título. Dessa vez ambos os times alvinegros jogam para alcançarem a sua quinta conquista no campeonato brasileiro.

O Corinthians depois de fazer um mata-mata vexatório na pré-Libertadores contra o inexpressivo Tolima da Colômbia, se recuperou e conseguiu chegar a final do campeonato paulista, mas não resistiu ao talento de Ganso e Neymar. No Brasileiro a equipe comanda por Tite esteve quase todo o campeonato na liderança. Oscilou no final do segundo turno, mas se recuperou e voltou a ganhar fôlego. Sem ter um destaque individual supremo como o Santos, o time do Parque São Jorge aposta na aplicação tática do treinador Tite e no desempenho de ótimos meio campistas como Alex, Danilo e bons atacantes como Liédson e Emerson Sheik. A defesa é outro ponto forte. Não há atletas excepcionais mas bastante esforçados como Leandro Castan e Paulo André. A apenas um ponto do título brasileiro o Corinthians tem tudo para faturar a quinta taça.

O Vasco é a melhor surpresa desse torneio. Mesmo que não conquiste o título no domingo que vem, a campanha em toda a temporada 2011 foi histórica pra o clube da Colina. Rebaixado para a Série B em 2008, o time carioca sofreu o pão que o diabo amassou desde que fatores externos começaram a prejudicar o desempenho vascaíno nas competições. A primeira década de 2000 foi um autêntico desastre com apenas um único título carioca em 2003 e o bordão “eterno vice” aclamado pelas torcidas adversárias. Mas no ínicio desse ano, depois de um vexatório início de campeonato estadual, algo mudou. E essa mudança teve um nome: Ricardo Gomes.

Depois de ser dispensado do São Paulo o treinador assumiu o time cruz maltino e logo se viu uma mudança brutal no comportamento tático e técnico da equipe. A vinda de veteranos como Felipe e Juninho Pernambucano completaram o quadro. O clube passou a jogar bem e atletas renegados em outros clubes como Eder Luiz e Diego Souza começaram a ter boas apresentações. Veio o título da Copa do Brasil e no segundo turno do campeonato brasileiro, o Vasco passou de mero figurante a aspirante ao título. Mas no meio do caminho aconteceu algo lamentável para o clube: Ricardo Gomes teve um acidente vascular cerebral no meio de um clássico contra o Flamengo. Parecia que o time ia afundar, mas pelo contrário, o time da cruz de malta se recuperou magistralmente com o auxiliar Cristovão e chegou na última rodada na disputa pelo título.

Ambas as equipes foram a que menos oscilaram nessa equilibrada edição do brasileiro. Ambos enfrentam os seus clássicos rivais na derradeira e última rodada. O que torna imprevisível qualquer tipo de previsão. Mas ao observar os times de Palmeiras e Flamengo, o Corinthians é o time que tem maior chance de botar a mão na taça.

Primeiro, porque o Palmeiras é um time bem pior que o Flamengo. A vitória de ontem contra o desinteressado e vergonhoso São Paulo não serve como parâmetro. Segundo, porque o clube do Parque Antártica não tem mais nenhuma pretensão no torneio, a não ser pela velha rivalidade. O Flamengo ainda tem uma vaga na Libertadores para disputar. Terceiro, porque o Vasco fará uma viagem até Santiago para tentar chegar a final da Copa Sul Americana contra o Universidad do Chile. Uma partida complicadíssima e que vai desgastar os atletas cariocas.

O futebol é um esporte totalmente inesperado. Muitos fatores podem ajudar ou atrapalhar ambos os times na conquista do título. Chuva, torcida, campo, pressão externa, ação de cartolas, amarelada dos jogadores entre vários exemplos que vimos ao longo da história. Mas com uma análise fria dos números a possibilidade maior é que a taça do brasileiro fique mesmo em São Paulo. Mas isso é só uma análise. Será que algum torcedor vascaíno vai gostar de ver os torcedores do Flamengo gritarem “vice de novo”? É complicado e imprevisível.

Números são apenas números. Tanto Corinthians como Vasco se conseguirem o objetivo, merecerão o título com todos os méritos. O clube paulista pela sua regularidade e o Vasco pela bela história de superação. Qual dos dois será penta? Façam suas apostas.

HERÓICO VASCÃO!

10/11/2011

o zagueiro Dedé: um monstro na partida de ontem

O Vasco da Gama depois de uma partida dramática venceu o Universitario do Peru e está na semifinal da Copa Sul Americana. O clube carioca chega pela primeira vez entre os quatro melhores da competição e agora enfrenta outro time com nome estudantil, o bom time do Universidad do Chile.

Mas a história da classificação do clube da Colina foi dramática. Após levar erroneamente os reservas para jogar contra a equipe peruana em Lima na semana passada, o time da cruz de malta perdeu por dois a zero. O “descanso” não deu muito certo, já que o Vasco perdeu para o Santos pelo campeonato brasileiro sendo inútil “poupar” os atletas.

Ontem, no jogo da volta em São Januário, o Vasco precisaria de três gols para obter a classificação direta. Com o gol de pênalti de Diego Souza, parecia que o time cruz maltino iria vencer sem a menor dificuldade, mas a partida ganhou contornos épicos. O Universitario, que veio ao Rio com uma proposta claramente defensiva acertou um raro contra ataque e Ruidíaz empatou ao encobrir Fernando Prass. O Vasco agora teria que marcar quatro gols. Um feito praticamente milagroso.

O clube peruano catimbou na busca de ganhar preciosos minutos. No intervalo os atletas trocaram sopapos e dois jogadores de cada time foram para o chuveiro mais cedo. As coisas pareciam piorar para os vascaínos quando Rabanal acertou um chute que desviou no zagueiro Dedé e entrou fundo nas redes de São Januário. O que parecia ser milagroso agora parecia impossível. São Januário calou e o Vasco, o último dos moicanos brasileiros nessa Copa Sul Americana parecia nocauteado.

Mas é nesses momentos que vemos a noção exata da grandeza de um clube. O Vasco apesar de todas as barreiras não desistiu. Pouco depois de tomar o segundo gol Elton empatou de cabeça. A rapidez do tento deu esperança que os cruz maltinos pudessem operar o milagre e o goleiro peruano Llontop deu uma imensa colaboração ao falhar bisonhamente num cruzamento do zagueiro Dedé. A expulsão de Rabanal foi o combustível final da arrancada vascaína na partida.

São Januário explodiu e o Vasco jogou com uma bravura épica. Juninho comandou o meio de campo e a articulação de jogadas. Dedé foi deslocado para o ataque e passou a incomodar a defesa peruana. O clube carioca fez uma blitz impiedosa para conseguir ultrapassar a barreira armada pelo treinador Del Solar. Num cruzamento Dedé acertou uma cabeçada mortal e ampliou. O caminho da classificação heroica estava muito perto.

O Universitario com um jogador a menos se defendia e rezava para acertar um novo contra ataque ou o tempo acabar. Mas a justiça acabou prevalecendo. Em nova jogada o criticado Alecsandro fez o quinto e a classificação antes impossível agora era uma realidade. O Vasco na raça e no coração superou todas as adversidades e o ridículo critério do “gol fora”. Esperamos que agora que Roberto Dinamite não coloque o time reserva na semifinal de um torneio importante, em que muitos clubes ainda insistem em ignorar por conceitos idiotas.

Parabéns ao Clube de Regatas Vasco da Gama. O Brasil está legitimamente representado nessa Copa Sul Americana.

RESUMO DA ÓPERA 04/11/2011

04/11/2011

Protesto do mal – Lamentável a atitude de alguns estudantes da USP que depredaram o patrimônio pago pelos impostos dos brasileiros porque três estudantes foram levados a delegacia por fumar um “beck”. Muitos desses jovens, influenciados por grupos de esquerda psicopata confundem tudo. Misturam liberdade de expressão com segurança pública. Aviso aos filhinhos de papai. A polícia só está na USP porque a onda de violência no local chegou a um nível insuportável que culminou num assassinato a sangue frio de um colega de vocês. A ditadura militar acabou no século passado e os governantes são eleitos pela população. A tal “repressão” está na cabecinha furada de muitos que se acham os novos Che Guevaras de mesa de bar. Menos pessoal, menos.

Cobertura do Morumbi – Como o blog afirmou antes e vai repetir. Nenhuma notícia sobre essa tal cobertura será dada até que o contrato esteja pronto e lavrado em cartório. O são paulino está cansado das bravatas de seu presidente. O torcedor mais velho se lembra muito bem que muitas promessas de modernização do estádio foram feitas e que no final deram com os burros na água. Alguém lembra só projeto Morumbi século 21? Feito em meados de 1996, a campanha visava arrecadar fundos para que o estádio fosse modernizado, inclusive com uma cobertura. Pois é. Muito são paulino perdeu dinheiro nessa. Pesquisei na internet e achei essa curiosa propaganda feita na época. Nela aparecem Müller, Valdir Bigode, Válber, um jovem Denílson, Bordon e o técnico PARREIRA fazendo propaganda para o projeto. Como descobrimos mais tarde, a campanha afundou e o treinador também.

Gato escaldado tem medo de água fria. Não vamos especular sobre o nada. Portanto só daremos a notícia da cobertura com tudo acertado. Se é que isso vai acontecer um dia. Sabe como é. Ter um presidente como Juvenal é para se duvidar de absolutamente tudo.

Brasileirão, rodada decisiva – O campeonato brasileiro pode começar a ser definido nesse domingo. O Corinthians vai jogar contra o já rebaixado América Mineiro no estádio Parque do Sabiá em Uberlândia. Detalhe, o local estará lotado de torcedores alvinegros. O Vasco tem uma pedreira e enfrenta o atual campeão da Libertadores com o craque Neymar e a volta de Ganso na Vila Belmiro. Jogo complicado para o time da Colina. Tudo indica que o clube paulista vai começar a disparar contra os adversários mais fracos da tabela e o Vasco terá dificuldades, principalmente com os clássicos cariocas nas últimas cinco rodadas. Mas Botafogo e Fluminense ainda podem supreender. Se vencerem suas partidas ainda poderão atrapalhar o pentacampeonato do Corinthians e os planos do técnico Tite. Enfim , pra quem disse que campeonato de pontos corridos é uma chatice, o Brasileirão 2011 prova justamente o contrário.

VERGONHA!

27/10/2011

Marlos caido: a cara do atual São Paulo

De todos os participantes brasileiros classificados para a Copa Sul Americana, somente o Vasco da Gama conseguiu passar para as quartas de final do torneio.

Na fase internacional da competição, que se iniciou nas oitavas, Botafogo, Flamengo e São Paulo foram derrotados e agora somente poderão se preocupar com as últimas sete rodadas do campeonato brasileiro.

A pergunta que se faz a alguns desses times é a seguinte: se for para dar esses verdadeiros vexames contra times insignificantes da América do Sul para que esses clubes, considerados grandes aqui no Brasil participam do torneio?

Deixem a vaga para times que saibam honrar as suas camisas e que não poupem os seus principais atletas.

O Flamengo na semana passada jogou com um desinteresse gritante contra A Universidad do Chile e foi humilhado em casa por 4 x 0. Parecia que os rubro negros estavam ali só para comparecer e nada mais. Muitos jogadores afirmam que não tiraram o pé. Os torcedores e a imprensa duvidam. Resultado, o time de maior torcida do Brasil não vence um torneio internacional desde 1999.

O Botafogo conseguiu ser goleado pelo Independiente “genérico” da Colômbia pelo placar de 4 x 1. O time da estrela solitária realizou uma partida horrenda no Engenhão e não conseguiu sair do empate. O clube carioca além de ser humilhado na Colômbia, tomou olé de um esperto cachorrinho que invadiu o gramado. Mais um clube brasuca que na desculpa de “poupar” jogadores foi derrotado por um time meia boca e deu vexame internacional.

Botafogo é goleado na Colômbia: olé até do cachorro

O time de General Severiano não disputa uma Libertadores desde 1996. O único título sul americano que tem é a Copa Conmebol de 1993 há quase vinte anos. Não é possível que um presidente de clube resolva ignorar um torneio que além de prestígio e vaga na Libertadores concede dinheiro ao vencedor. Que mentalidade fechada e intransigente é essa?

O São Paulo também não escapou de uma atuação vexatória e horrenda contra o São Caetano do Paraguai, o “poderoso” Libertad. Mas diferente de seus pares brasileiros, o tricolor paulista não poupou ninguém e nem foi desclassificado por mero desinteresse na competição e sim pela incapacidade técnica e tática de seu time. Em casa, o tricolor paulista fez uma partida sofrível e só venceu por causa de um gol salvador de Luis Fabiano.

No acanhado estádio Nicolás Leoz em Assuncion, o São Paulo repetiu as péssimas atuações dos últimos embates e foi derrotado por um time considerado tecnicamente inferior, mas que teve muita raça, vontade e disciplina tática. Nem mesmo a vinda do técnico Leão acordou os preguiçosos atletas do time do Morumbi. A derrota, apesar do gol irregular dos paraguaios no segundo tempo foi justa.

O único time brasileiro que se sobressaiu do torneio foi o Vasco da Gama que goleou o boliviano Aurora por 8 x 3. Em Cochabamba o clube carioca foi contaminado pela mentalidade de que a “Sul Americana não vale nada” e botou o time reserva. Tomou uma sacolada de 3 x 1. Em casa, para não dar vexame fez o dever de casa. Resta saber até quando o Vasco vai manter essa postura. Afinal o clube de São Januário é líder do campeonato brasileiro e terá jogos difíceis no torneio. Por estar já classificado para a Libertadores do ano que vem, provavelmente vai adotar a mesma solução dos times brasileiros que já disseram adeus ao torneio. Ou seja, a prioridade será “caseira”.

O Vasco goleia o modesto Aurora: lição de casa

Mais uma vez o futebol brasileiro poderá passar em branco nessa Copa Sul Americana. Lembremos que nos anos sessenta, setenta e oitenta, os brasileiros tinham quase o mesmo tipo de mentalidade imbecil referente a Taça Libertadores. Resultado: quando acordaram os argentinos tinham 20 títulos na frente. No atual torneio da Conmebol, os “hermanos” já venceram cinco vezes contra apenas um único título do Internacional de Porto Alegre em 2008.

Pouco para um futebol pentacampeão do mundo. Os times brasileiros precisam descer do pedestal da arrogância e levar a Copa Sul Americana a sério. Não é uma Taça Libertadores é verdade, mas dá dinheiro e um certo prestígio internacional. O modesto Arnenal de Sarandi não reclamou quando venceu o torneio em 2007. Por que os clubes grandes brasileiros soltam tantas bravatas a respeito da competição? Se não querem participar deem a vaga para outro time. Melhor do que passar vexame e colocar o futebol brasileiro na berlinda ao perder para clubes menores da América do Sul.