Archive for the ‘Paraguai’ Category

IRRESPONSABILIDADE

16/04/2013
Arena Palestra: do improviso a tragédia

Arena Palestra: do improviso a tragédia

Carlos de Jesus tinha 34 anos. Há 15 anos saiu de sua cidade natal Araci na Bahia para tentar a sorte na cidade de São Paulo, assim como milhares de seus conterrâneos fazem todos os anos em busca de uma vida mais digna.

Ontem o sonho desse operário terminou. Num trágico acontecimento, as vigas em construção dos camarotes da Arena Palestra desabaram e Carlos não resistiu aos ferimentos.

Poderíamos dizer que tudo não passou de um acidente. De que ninguém poderá ser considerado culpado por essa morte.

Mas infelizmente nesse caso todos são responsáveis. Da Prefeitura da cidade de São Paulo, da construtora W Torre e também da diretoria palmeirense.

O acidente ocorreu justamente no local onde existe uma parte de arquibancada do antigo estádio Palestra Itália. Estava sendo construído ali uma espécie de adaptação. Um “puxadinho” já que a Prefeitura de São Paulo munida com a sua pseudo rigorosidade das leis de zoneamento só permitiu que a obra da nova Arena Palestra seguisse com o nome de “reforma”.

O velho conceito do “jeitinho brasileiro” foi usado mais uma vez. A W Torre e o Palmeiras para não ficaram estagnados com prazos e vistorias burocráticas entraram na onda da prefeitura de São Paulo gerida por Gilberto Kassab. Começaram a “reformar” o estádio e deixaram aquele pedaço para burlar a lei vigente. A Prefeitura fez vista grossa e ontem vimos o resultado dessa irresponsabilidade.

Todos nós devemos prestar muita atenção nas atitudes dos governantes. São eles que realizam essas barbaridades com a anuência das empreiteiras. Como já foi escrito em artigos anteriores, se existe a lei que ela seja cumprida por todos.

A Prefeitura não poderia deixar essa “reforma” acontecer e só liberar a obra quando o pedaço arquibancada antiga fosse derrubada. Mas devido a leis complexas de zoneamento a Arena Palestra só poderia ser erguida dessa maneira.

Leis que não foram cumpridas pelo Corinthians na construção do Itaquerão e que tiveram suas obras liberadas a toque de caixa sem a devida fiscalização dos órgãos municipais e que não respeitou prazos e licenças vigentes.

Ao mesmo tempo que se utilizou a pseudo rigorosidade da lei num caso, não se aplicou medidas paliativas no outro. Uma irresponsabilidade.

Agora veremos ações e fiscalização de órgãos como o Ministério Público entre outros.

Tarde demais.

Carlos de Jesus deixou  mulher e 3 filhos.

Anúncios

VITÓRIA “FALSIFICADA”

22/07/2011

Paraguai 0(5) x 0(3) Venezuela

Uma equipe pode ser campeã de um torneio continental sem uma única vitória?

Sim.

Senhoras e senhores esse é o defensivo Paraguai do treinador Gerardo Martino. Um time que pode fazer história numa das piores Copas Américas de todos os tempos.

Não dá para reclamar. O futebol nem sempre premia os mais justos. O Paraguai é um time razoável. Tinha mais força com Cabanas e Roque Santa Cruz. Mas com a ausência dos dois, o time guarani é um ferrolho chato, desagradável e insuportavelmente eficiente. Valdez não tem o talento dos dois artilheiros ausentes, mas é raçudo e incomoda a retaguarda adversária.

paraguaios comemoram a classificação: mais uma vez nos pênaltis

Na semifinal de quarta feira, a zebra Venezuela foi melhor. No primeiro tempo, a partida foi até mais equilibrada, mas a seleção “vinho tinto” cansou menos e passou a dominar. Os venezuelanos tiveram um gol estranhamente anulado pelo árbitro Franciso Chacón e conseguiu colocar três bolas nas traves de Justo Villar no segundo tempo e na prorrogação. Pela inédita campanha que fez ( a melhor da história do futebol venezuelano em um torneio oficial da seleção principal) os jogadores da terra de Hugo Chávez mereciam melhor sorte. Mas ela resolveu favorecer Justo Villar mais uma vez.

Larissa Riquelme: Meuuu Deusss!

A seleção paraguaia hoje lembra muito a Argentina na Copa de 1990 que chegou a final da competição com apenas duas vitórias e que teve o arqueiro Goycochea como grande destaque nas decisões por pênaltis. É bom o Uruguai não vacilar. O Paraguai apesar de extremamente defensivo é também perigoso. Um menor erro pode ser fatal para as pretensões celestes de se tornar o maior campeão da América do Sul.

Justo Villar: ele fez a diferença mais uma vez

Uruguai e Paraguai fizeram boas campanhas na Copa do Mundo no ano passado e a ida deles para a final em Buenos Aires é a confirmação disso.

Domingo, que vença o melhor.

Ou o pior.

VITÓRIA JUSTA? NÃO! DE JUSTO!

17/07/2011

(0) Brasil 0 x 0 Paraguai(2)

O futebol como bem sabemos é um esporte totalmente imprevisível. Talvez a mais inesperada modalidade do planeta. Quem poderia dizer que a equipe do Paraguai com onze jogadores na defesa poderia suplantar o Brasil, que fez o seu melhor jogo na Copa América?

Os Guaranis conseguiram.

Gerardo Martino, treinador paraguaio já deu a dica numa entrevista coletiva dias antes da peleja. Iria marcar Paulo Henrique Ganso e cumpriu a promessa. O camisa dez da seleção fez algumas grandes jogadas no primeiro tempo, mas com o passar dos minutos desapareceu mediante a “muralha” paraguaia. O Brasil começou a partida frenético e alucinante. Neymar e Pato perderam gols a rodo e o arqueiro paraguaio Justo Vilar teve a melhor atuação de sua vida. A defesa no chute a queima roupa de Pato foi magistral.

Justo Villar: a maior atuação da vida do arqueiro paraguaio

Parecia que o Brasil iria sair com uma vitória consagradora e apagaria toda a tosca primeira fase do time de Mano Menezes. Mas no segundo tempo, a seleção brasileira caiu de produção, apesar de ainda ser o melhor time em campo. A partida lembrou uma pelada de ataque versus defesa tão ampla era a superioridade brasileira em La Plata. Mas não adianta. No futebol, o que vale é bola na rede a equipe canarinho não traduziu sua superioridade técnica em gols.

Larissa Riquelme: beleza contra o horrível futebol paraguaio dentro de campo

Para piorar Mano Meneses resolveu inventar. Depois da saída de Neymar e a entrada de Elano, o treinador brasileiro substituiu Ganso pelo promissor Lucas. O meia atacante do São Paulo, ainda muito verde para jogar um torneio desse porte não alterou o ritmo de jogo e o Brasil não conseguiu furar o ferrolho guarani até a cobrança dos pênaltis.

Neymar: um caminhão de gols perdidos

Era tudo que o Paraguai queria. Sem chances de vencer a seleção brasileira no mano a mano (não é trocadilho com o nome do treinador da seleção por favor), só restou a equipe de Valdez e Lucas Barrios vencer na bola parada. E depois de quatro cobranças horríveis de Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred, os paraguaios fizeram a lição de casa e despacharam o tricampeonato do Brasil.

André Santos isola: a pior série de penais da história da seleção

As desculpas da eliminação foram muitas. Algumas patéticas como o “estado do gramado” e que “pênalti é loteria”. Mas o mais preocupante foi a declaração de Robinho, para o Brasil “levantar a cabeça para a Copa de 2014”.

Pois é Robinho. Vai ter que treinar muito.