AH NÃO GALO! DE NOVO?

by
Atlético Mineiro: com muita história pra contar

Atlético Mineiro: com muita história pra contar

Eu tenho uma frase que define mais ou menos o que é o Clube Atlético Mineiro.

O Galo de Minas é um livro com uma linda capa, um bom começo e várias páginas restantes em branco.

O torcedor do time de Belo Horizonte pode contestar, mas o Atlético Mineiro tem sido um especialista em remar, remar e morrer em Varginha ( lembro que o termo nadar e morrer na praia não serve já que em Minas Gerais não há saída para o mar).

Deixando as piadas de lado, o Atlético Mineiro é um dos clubes mais importantes do futebol brasileiro. Tem uma torcida fanática e uma bela história. Mas ela vai até a página 50.

O Galo de Minas foi campeão estadual várias vezes, conquistou um único campeonato brasileiro em 1971 e venceu duas Copas Conmebol.

Essas conquistas para um time e uma torcida como o Atlético ainda representam muito pouco.

O clube parou abruptamente em várias oportunidades.

Em 1977 perdeu o campeonato brasileiro nos pênaltis para um time inferior tecnicamente.

Em 1980 foi derrotado novamente no torneio nacional por detalhes para o Flamengo.

Em 1985 perdeu a semifinal mais “baba” de sua vida contra o irregular Coritiba.

Em 1987 foi o melhor time da Copa União mas caiu novamente para o Flamengo de Zico , Zinho e Renato Gaúcho.

Em 1990 o clube foi impedido de ser campeão brasileiro nas semifinais pelos pés de Neto.

Em 1991 pelas mãos de Zetti.

Em 1999, Guilherme perdeu um gol decisivo e o Galo caiu diante de um empate em 0 x 0 na decisão contra o Corinthians no Morumbi.

Ontem novamente vimos a equipe mineira ser engolida parcialmente na semifinal de um torneio importante. Desta vez para o Newell´s Old Boys de Rosário que derrotou o time brasileiro por 2 x 0 no estádio Marcelo Bielsa.

Depois de fazer uma campanha espetacular na Libertadores e ser a melhor esquadra da competição será que novamente veremos a “síndrome de semifinal “se repetir em torneios de maior relevância?

Ronaldinho Gaúcho: anulado pelos hermanos

Ronaldinho Gaúcho: anulado pelos hermanos

O sinal de alerta foi dado ainda na primeira fase do torneio sul americano. O Atlético Mineiro perdeu para um São Paulo entusiasmado e quase morto. Quando se enfrentaram novamente nas oitavas a vaca de Cuca quase foi para o brejo ainda no primeiro tempo na primeira partida do Morumbi. O treinador catarinense tem que agradecer até hoje a má pontaria de Ademílson e a estupidez de Lúcio.

Nas quartas por pouco o Atlético não foi eliminado contra o Tijuana. Houve uma queda de produção do time. As “férias” para a Copa das Confederações foram um ponto negativo para uma equipe entrosada e com ritmo acelerado.

Ontem em Rosário vimos um conjunto esforçado, mas longe de ser o Atlético Mineiro que animou a sua torcida na primeira fase.

O Galo foi dominado pelos “leprosos”. A marcação cerrada em cima de Ronaldinho Gaúcho obteve resultado. O time argentino levou Victor a fazer grandes defesas. Não era o Horto, mas o Atlético Mineiro começava a entrar em pânico.

Scocco: bela cobrança de falta

Scocco: bela cobrança de falta

Na única chance que teve de armar uma jogada o meia brasileiro deixou Bernard frente a frente com o goleiro Guzmán que conseguiu se recuperar.

Depois dessa jogada só deu Newell´s que tocava a bola e dominava o meio campo com imensa facilidade. Após um cruzamento na área brasileira, Maxi Rodríguez marcou de cabeça. O Atlético parecia ter assimilado o golpe mas continuava a ser pouco efetivo no ataque. Jô ficou isolado. Diego Tardelli apático ruiu frente a marcação adversária. O clube brasileiro parecia se conformar com o placar mínimo. O que se revelou uma estratégia fatal. Jô numa das poucas jogadas de ataque do Galo conseguiu empatar, mas o auxiliar marcou impedimento erroneamente. Na América do Sul os árbitros tem a seguinte regra: na dúvida sempre beneficie o dono da casa.

O Galo abusou do direito de fazer faltas. Numa delas o artilheiro Scocco marcou o segundo numa linda cobrança para o Newell´s e dificultou as coisas para o time de Minas Gerais. Agora o Atlético Mineiro tem que vencer por uma diferença de 3 gols para se classificar e não pode de nenhuma maneira tomar um gol no estádio Independência. Situação complicada, mas que pode ser revertida.

Porém, acabou a moleza para os atletas de Cuca. Se o Atlético quiser escrever mais uma página na sua história ele terá que superar o atual campeão argentino.

Será que o livro do Clube Atlético Mineiro permanecerá com páginas em branco?

Na quarta que vem, a resposta.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: