Archive for julho \25\UTC 2013

GALO DA AMÉRICA

25/07/2013
Réver levanta a Libertadores: A América é do Galo

Réver levanta a Libertadores: A América é do Galo

Onde estava o time que sempre nadava e morria na praia?

Cadê a esquadra que só era útil como flanelinha?

O Atlético Mineiro sepultou todas as incertezas e gozações do passado.

Adeus cavalo paraguaio.

Arrivederci para o “time do quase”.

O Clube Atlético Mineiro é campeão da Taça Libertadores da América.

Venceu o tradicional e organizado Olímpia por 2 x 0 no tempo normal e por 4 x 2 nos pênaltis.

Mas o sabor da vitória não começou a ser degustado no estádio do Mineirão ontem e sim no ano de 2011 quando o time se salvou por pouco de um segundo rebaixamento.

O treinador Cuca começou a montar uma equipe com jogadores pontuais num clube de estrutura já consagrada. Vieram também profissionais como Carlinhos Neves, mestre na preparação física.

Alexandre Kalil contratou Ronaldinho Gaúcho desacreditado depois de uma frustrante passagem no Flamengo.

Muitos duvidaram que o meia pudesse voltar a jogar um belo futebol no clube.

As grandes atuações e o vice-campeonato do Brasileiro de 2012 provaram que todos estavam errados.

Ronaldinho Gaúcho: redenção

Ronaldinho Gaúcho: redenção

2013 chegou e o Atlético Mineiro fez uma campanha empolgante na primeira fase do torneio sul-americano.

Foi a melhor equipe da Libertadores de cabo a rabo e ainda contou a capacidade de São Victor em momentos decisivos nas fases de mata-mata.

Sobrou emoção ao torcedor do Galo, tão sofrido por ver seu time falhar diversas vezes em momentos cruciais de sua história.

Desta vez não se deu chance ao azar. Porém, o título do time mineiro não foi sorte.

A competência e a dedicação de um presidente ajudaram. Tudo aliado a um treinador que leva o seu trabalho a sério.

Cuca como o clube que treina era conhecido sempre por “bater na trave” e ser um “azarado”.

Se uniram na simbiose perfeita da vitória. Ambos renegados, ambos ridicularizados.

Ninguém está mais rindo agora.

Cuca: a premiação justa de um longo trabalho

Cuca: a premiação justa de um longo trabalho

A América tem um novo campeão.

O quarto título sul-americano brasileiro seguido. A hegemonia continua nas terras do Sul.

O Brasil definitivamente adotou a Taça Libertadores da América.

O Clube Atlético Mineiro finalmente vai poder continuar a preencher o seu livro de glórias.

Parabéns Galo doido.

Essa taça é sua e ninguém mais tira.

O MAILING DO MAL

24/07/2013

virtual hand giving blank card at man in suit

A série de trapalhadas da diretoria tricolor parece não ter fim.

Como se não bastasse a pior série de derrotas do clube e o patético episódio do churrasco nesta semana, vimos um fato que para muitos pode ser considerado um ato insignificante, mas que na verdade se configura numa ação grave e de proporções desastrosas para o clube.

Sócios Torcedores do São Paulo Futebol Clube receberam no seus respectivos e-mails uma “carta” da principal torcida organizada do São Paulo. Nela, se lê uma mensagem em que o grupo tenta inutilmente se justificar pelos atos do fim de semana. Na mensagem também há ataques gratuitos ao candidato da oposição Marco Aurélio Cunha.

mailing do mal4

O fato de receber uma mensagem eletrônica da organizada do São Paulo já se configura em algo estranho, mas piora gravemente quando vemos o endereço do remetente do e-mail. O próprio endereço oficial do clube.

Muitos sócio torcedores com medo de seus dados terem sido violados a favor da torcida organizada cancelaram seus programas. Outros o fizeram por pura indignação pelo ato em si (segundo a ESPN, a perda foi de 2000 sócios em 20 dias).

Após os indecorosos episódios do final de semana na derrota contra o Cruzeiro e do churrasco do Juvenal ficou bem claro para alguns que a torcida organizada é apoiada pela atual diretoria, que faz uso político da mesma em várias ações. Inclusive vista grossa.

Muitos sócio torcedores se sentiram violados e já pensam em processar o clube.

Segundo o twitter do repórter da ESPN André Plihal houve uma enxurrada de cancelamentos no mesmo dia.

mailing do mal5

Um ato “bem profissional” de um clube dito diferenciado.

O São Paulo se justificou dizendo que a ação foi um “erro de funcionário” e que tudo será apurado.

Pois bem, é de praxe dizer algo dessa maneira.

Todavia, o ato mais grave e que demonstra bem o momento atual do clube se revelou nas horas seguintes.

O clube não emitiu uma única nota oficial ou e-mail para os associados pedindo desculpas ou sequer explicou o que realmente aconteceu a quem mais interessava: o seu próprio torcedor.

Um incrível senso de humildade.

Deixaram tudo a Deus dará. Como se isso fosse uma “besteira qualquer”.

Não foi.

O São Paulo perdeu dinheiro e pode ser processado se a quebra do mailing dos associados e a consequente violação da privacidade dos torcedores for comprovada.

A pergunta que se deve fazer é a seguinte.

Onde está o profissionalismo no clube?

Por que as pessoas que comandam a instituição preferem dar voz a uma torcida organizada e que já foi alvo de várias investigações do MP do que priorizar o torcedor que paga mensalmente o clube?

Se o objetivo era prejudicar Marco Aurélio Cunha o efeito foi reverso.

Os sacripantas que cometeram esse ato vil só danificaram a única coisa que eles jamais deveriam afetar.

A imagem do próprio São Paulo Futebol Clube.

Santo amadorismo Batman!

O MAIOR JOGO DA HISTÓRIA DO GALO

24/07/2013

galo doido

É chegada a hora.

Após 105 anos de fundação o Atlético Mineiro enfrenta o seu maior desafio.

O título inédito da Taça Libertadores da América.

Minas Gerais irá parar. Tanto pela metade esperançosa da torcida do Galo como pelos secadores do seu eterno rival Cruzeiro.

Não será fácil derrotar uma equipe sólida e com uma boa vantagem adquirida em Assunção.

O Olímpia é um dos grandes da Taça Libertadores. Um dos velhos mestres do torneio.

O Atlético é um novato, que ainda aprende os meandros da competição.

Para piorar ainda teremos o tenebroso Wilmar Roldan no apito.

Mas o Atlético joga em casa, com o apoio de sua massa enlouquecida.

Hoje, mais do que nunca é hora de Mário de Castro, Kafunga, Carlyle, Dadá Maravilha, Reinaldo, Cerezo, João Leite, Éder Aleixo, Ronaldinho Gaúcho e Bernard.

Hoje a noite é o momento do Atlético finalmente escrever mais uma página inesquecível em sua história., talvez a maior delas.

Boa sorte Clube Atlético Mineiro.

Que os deuses do futebol finalmente lhe favoreçam.

UMA LENDA CHAMADA DJALMA SANTOS

23/07/2013

Djalma-Santos

Se alguém me perguntar, você já viu o Djalma Santos jogar?

Responderei que não. Nasci em 1972, dois anos depois do lateral conquistar seu último título pelo Atlético Paranaense.

Portanto a possibilidade de ter visto algum jogo do lendário atleta é zero.

Mesmo assim acredito no que as pessoas mais velhas me diziam ao vê-lo atuar pelos campos brasileiros e mundiais com a camisa da Portuguesa, do Palmeiras e da Seleção Brasileira.

Como desacreditar de alguém que foi escolhido o melhor de sua posição em apenas uma partida na final da Copa do Mundo na Súécia em 1958?

Como contrariar os títulos nacionais e internacionais ganhos pela Portuguesa e pelo Palmeiras nos anos 50 e 60? Como não constatar a grande campanha do bicampeonato Mundial com o Brasil em 1962?

E o fato de não ser expulso uma única vez em toda a sua gloriosa carreira?

Impossível.

Djalma Santos já era uma lenda antes deste blogueiro nascer e assim permanecerá para sempre.

Jogadores como ele nunca desaparecem de nossa memória, mesmo aqueles que nunca tiveram o deleite de assistí-los nos gramados uma única vez na vida.

Assim são os heróis e os mitos. Como Hércules, Sansão e Perseu.

Acreditamos nos contos e nas lendas e os usamos como exemplo para gerações futuras.

Apenas com um detalhe: o maior lateral direito da história do futebol mundial foi real.

Vá em paz Dejalma dos Santos.

A sua eterna lenda sempre permanecerá viva em nossos corações terrenos.

lendas1958

IMAGENS DO PATÉTICO CHURRASCO DO JUVENAL ONTEM

22/07/2013

Fonte:Esporte Interativo

Imagens da confusão entre Juvenal Juvêncio e os oposicionistas do São Paulo.

Nele se vê claramente alguns membros da torcida organizada protegendo Juvenal como uma espécie  de  guarda pretoriana.

Se observa  a face de alguns associados assustados  com o discurso intimidatório.

Uma desses elementos coloca a seguinte frase.

“- O São Paulo está ruim, mas nóis tá bom”.

Esclarecedor.

No vídeo Juvenal discute com oposicionistas e até associados do clube.

“Pega esses caras” profere aos seguranças, seguido do coro dos puxa sacos de  “ei, ei, ei, Juvenal é o nosso rei”.

Rei????

Galera, depois der verem esse vídeo é preciso explicar alguma coisa?

A crise é muito grave e se espalha por todos os cantos do clube.

Tudo graças a uma administração patética e desastrosa.

A que ponto o tricolor chegou?

O TRISTE RETRATO DE UMA DITADURA

21/07/2013
Rogério Ceni desolado com o "show" de Luan: vergonha no Morumbi

Rogério Ceni desolado com o “show” de Luan: vergonha no Morumbi

Ontem, dia 20 de Julho de 2013 se viu uma das partidas mais vergonhosas da história do São Paulo Futebol Clube dentro do estádio Cicero Pompeu de Toledo.

O tricolor do Morumbi repetiu os velhos erros de jogos anteriores e foi goleado pelo Cruzeiro por 3 x 0.

Não há mais muito a dizer sobre a presidência nefasta do clube , de seus diretores corredores de Porshe e alguns jogadores que envergonham a camisa tricampeã mundial. Tudo o que se vê atualmente já foi citado neste blog. Seria chover no molhado.

Se o rebaixamento era algo intangível hoje, ele se revela uma ameaça real e concreta nos próximos meses.

Se o São Paulo continuar nessa triste toada a série B é logo ali.

Time grande não cai? Cai sim.

Hoje num campeonato de pontos corridos consolidado basta ter um presidente incompetente e um bando de diretores e conselheiros acólitos que dizem amém ao rei louco.

Mas o vexame não terminou após o apito do árbitro Héber Roberto Lopes.

Durante o vareio de bola cruzeirense a verdadeira torcida do São Paulo começou a gritar “Fora Juvenal”.

As facções organizadas carnavalescas se calaram e não acompanharam o coro dos revoltosos.

Pior que a sua omissão foi a ação da Gestapo de JJ na saída do estádio.

Torcedores comuns foram impedidos pelos soldados do general de gritar algo contra a diretoria.

A facção organizada assumiu os gritos e dirigiram o seu alvo contra os jogadores e ao candidato da oposição Marco Aurélio Cunha. Algo claramente arranjado.

Hoje, depois de uma derrota retumbante e a pior série de insucessos da história do clube, Juvenal Juvêncio organiza um churrasco no melhor estilo “pão e circo” romano.

Segundo relatos, o mandatário está acompanhado de torcedores organizados que fazem a sua segurança pessoal e que perseguem os apoiadores de Marco Aurélio Cunha.

Juvenal que tenta a todo custo controlar as chapas das próximas eleições colocando dois paus mandados nas duas vagas possíveis e eleger o seu parvo sucessor.

Triste retrato de um clube que já foi democrático.

O São Paulo Futebol Clube vive hoje a sua pior crise institucional seja dentro ou fora de campo.

O torcedor tricolor está vivendo uma ditadura, pura e simples.

Nada surpreendente para quem já foi  deputado estadual nos anos de chumbo.

Ontem, “os responsáveis” pelo comando do mais querido sujaram o manto branco de tantas glórias. Cuspiram numa tradição de quase 80 anos.

Hoje o que vemos em campo e fora dele não é mais o time de uma nação de 15 milhões de pessoas.

É uma associação comandada por um pequeno grupo de pessoas alienadas que se julgam acima do bem e do mal.

A honra e o respeito se foram maculados pela arrogância senil.

Sobraram a vergonha, a patifaria e  a canalhice.

Rogério Ceni merecia coisa melhor no final de sua brilhante carreira.

ditadura02

JUVENAL SONG

18/07/2013

Uma homenagem a um dos piores dirigentes do futebol brasileiro.

 

homenagem juju

180 MINUTOS

18/07/2013
Cuca se desespera: o Galo é derrotado em Assunção

Cuca se desespera: o Galo é derrotado em Assunção

Existe a velha máxima no Brasil que em decisões de mata-mata os títulos se decidem dentro de casa.

Nada pode estar mais errado.

Libertadores se ganha em 180 minutos, inclusive no território adversário.

O Atlético Mineiro se esqueceu dessa máxima e não trouxe para Assunção o bom futebol de Belo Horizonte.

Na primeira partida da final da Libertadores o clube brasilero foi dominado pelo Olímpia no primeiro tempo.

Ronaldinho Gaúcho esteve irreconhecível. Marcado em demasia pela retaguarda paraguaia o meia errava passes e não lembrava nem de longe o jogador que brilhou em toda a competição. Luan não substituiu Bernard à altura. Diego Tardelli era o único que se esforçava. Buscou a bola, chutou ao gol quando pode, mas ficou isolado na frente.

Ronaldinho Gaúcho: irreconhecível

Ronaldinho Gaúcho: irreconhecível

Parecia que a pressão tradicional do Atlético Mineiro no Horto havia trocado de lugar.

O Olímpia era o time que “tocava o terror”. A pressão paraguaia vinha mais das artérias do que propriamente de um bom futebol. Num bobeada da marcação da equipe brasileira, o defensor Alejandro Silva entrou livre perto da área e chutou no canto do goleiro Victor. “El Decano” abria o placar para o delírio dos 36.000 torcedores que invadiram o estádio Defensores Del Chaco.

No segundo tempo o Galo melhorou. A equipe retornou com uma postura de time de Libertadores. Mas a iniciativa não resultou em gols. Jô perdeu um gol feito graças a grande defesa do uruguaio Martín Silva, um dos melhores goleiros do torneio. Ronaldinho Gaúcho surpreendentemente foi substituído aos 20 minutos.

No final da partida aconteceu o que não podia. Os jogadores do Atlético Mineiro se desequilibraram emocionalmente. Uma rotina que permeia as equipes brasileiras em momentos cruciais na história da competição sul americana. O volante Richarlyson fez uma falta infantil na entrada da área adversária e foi expulso.

Tardelli: um dos poucos a se salvar da trágica noite

Tardelli: um dos poucos a se salvar da trágica noite

Porém, o festival de precipitações não havia acabado. Rosinei cometeu uma infração totalmente desnecessária na entrada da área atleticana a poucos segundos do apito final. Pittoni cobrou a falta com perfeição e marcou o segundo gol da equipe da casa. O Olímpia vai para Belo Horizonte com um grande vantagem para o Mineirão. O quarto título da Libertadores está muito próximo.

Ao Atlético Mineiro resta mais uma partida de superação. O derradeiro e mais importante jogo de sua centenária história.

A pergunta permanece. Por que os times brasileiros acham que Libertadores só se resolvem em 90 minutos?

SUPREMACIA CORINTIANA

18/07/2013
Danilo ergue a Recopa: doce rotina em 2 anos

Danilo ergue a Recopa: doce rotina em 2 anos

O Corinthians derrotou o São Paulo por 2 x 0 e conquistou a primeira Recopa Sul Americana da sua história. É o quarto titulo internacional do “bando de loucos”.  Desde que o clube do Parque São Jorge se organizou de verdade os títulos tem sido constantes. Virou rotina. Daqui para a frente o Corinthians sempre será um time a figurar entre os candidatos ao título de qualquer competição da América do Sul. O time alvinegro transpôs a barreira internacional.

O ótimo elenco e o esquema sólido do treinador Tite prevaleceram novamente. A vitória no Morumbi há 15 dias já havia tranquilizado o elenco. Ontem, contra um fragilizado São Paulo foi só manter o ritmo. A diferença entre os dois times no momento é abissal.

A partida se revelou fácil demais para os alvinegros. Foi como bater em bêbado. O Corinthians tem um elenco muito superior a todos os outros grandes no estado e é um dos melhores do Brasil na atualidade.

Não seria o São Paulo de Douglas, Juan e Lúcio entre outros perebas que iriam mudar o placar adverso. O treinador são paulino Paulo Autuori até que tentou reforçar o meio de campo, mas não dá para alterar a incompetência e a mediocridade.

Desde 2000, ainda com Raí , o São Paulo não vence o seu maior rival em disputas eliminatórias. . São seis mata-matas perdidos para o Corinthians depois da virada do século.

Nem podemos chamar mais isso de rivalidade.

Já virou “Bullying”.

O Corinthians confirma a sua supremacia. Mais um título na imensa sala de troféus do Parque São Jorge. O quinto em dois anos.

Resultado da competência de um clube que desde o rebaixamento em 2007 enxergou o seu verdadeiro potencial, venceu desafios, foi ousado e hoje simplesmente colhe os frutos de um excelente trabalho.

Se o Corinthians antes era mau exemplo ontem, hoje é referência.

O time do Parque São Jorge nadou de braçada e ficou com mais um troféu.

Ps – Apesar do título da Recopa ser apenas uma “cereja de bolo” é inadmissível que a Conmebol marque a decisão desse título nas vésperas de uma final de Libertadores. Um autêntico atestado de burrice e falta de noção somado ao fato que uma emissora de televisão que tem como slogan “A Globo é Brasil” regionalizar a sua programação só para encher a grade. Como se o Atlético Mineiro fosse um clube de outro país. Entretenimento porco e mambembe.

É MINEIRÃO UAI!

16/07/2013
Kalil bateu o pé mas a Conmebol confirma: a final é no Mineirão

Kalil bateu o pé mas a Conmebol confirma: a final é no Mineirão

Será que alguém pode me explicar o que se passa dentro da cabeça de um dirigente de futebol?

Nos últimos dias vimos novamente numa final de Libertadores, a total demonstração de delírio de alguns cartolas.

Alguns só pensam no resultado prático e não enxergam que está em sua volta e o real significado do que sua instituição representa.

Talvez por isso o futebol brasileiro ainda seja uma lástima em matéria de “vender espetáculo”. Aqui e principalmente no exterior.

Sim, o campeonato brasileiro, do país pentacampeão do mundo e que é considerado por muitos como um dos mais difíceis do planeta é pouco divulgado no mercado internacional. Nossa principal peça de exportação futebolística ainda é a seleção brasileira.

Nessa semana o presidente Alexandre Kalil bateu o pezinho. Queria que o segundo jogo da decisão da Libertadores fosse no belo, porém diminuto estádio Independência.

Pior, teve o apoio do presidente da CBF José Maria Marin e da eminência parda Marco Polo Del Nero.

Uma mentalidade típica de cartola brasileiro, totalmente emocional e nada prática até do ponto de vista financeiro.

Kalil não olhou para o próprio torcedor atleticano. Com sua prepotente escolha renegaria ao seu próprio torcedor a chance de ver seu clube conquistar um título inédito. Quantos abnegados ficariam de fora com essa decisão? Quanto dinheiro o clube iria perder nessa brincadeira?

Além disso a escolha de um local menor desprestigia o espetáculo. A atitude empobrece a visão do futebol como “show” que faz parte de toda grande competição como a Copa do Mundo e a Champions League e também em vários outros esportes do mundo todo.

Uma final de Libertadores com um clube de tradição como o Atlético Mineiro não cabe num estádio Independência.

Felizmente a Conmebol não atendeu ao delírio dos cartolas do futebol brasileiro e cortaram as pretensões inexplicáveis de Kalil e sua trupe.

A massa atleticana e o futebol sul americano agradecem a decisão.