LIBERTADORES – QUARTAS DE FINAL – IDA

by

Fluminense 0 x 0 Olímpia

FUTEBOL VAGABUNDO

Wellington Nem: má jornada

Wellington Nem: má jornada

Se existe um time a ser estudado no Brasil essa equipe é o Fluminense.

É um caso de análise psiquiátrica profunda.

Um time milionário, com um bom elenco e que lamentavelmente atua como um clube da terceira divisão do Rio de Janeiro.

Na campanha do título brasileiro, o Flu jogou grande parte da campanha com um estilo pragmático, frio e sem sal. O time fazia um gol e se segurava atrás. Estilo Abelão de ser. Um dos discípulos do “Muricybol”.

Na quarta em São Januário, o tricolor carioca se preocupou mais em não tomar o gol do que fazer. O Olímpia ficou na dele e adorou o 0 x 0 em São Januário. Foi para isso que o Fluminense praticamente abdicou do título carioca. Para ter atuações bisonhas como a de quarta-feira?

O que Abel Braga tem fazer agora é deixar seu time fazer o que sabe de melhor: atacar. Na capital paraguaia o clube carioca vai ter que deixar esse futebol comodista e vagabundo de lado se quiser se classificar para as semifinais. Em Assunção não vai ter moleza.

Real Garcilaso 1 x 3 Santa Fe

É SANTA FE! NÃO INDEPENDIENTE!

Cuero comemora: Santa Fe com um pé na semifinal

Cuero comemora: Santa Fe com um pé na semifinal

O Santa Fe detonou o peruano Real Garcilaso dentro da casa do adversário por 3 x 1. Um grande resultado do time de Bogotá e que praticamente garante a classificação inédita do Expresso Vermelho para a semifinal da Libertadores. Depois de derrotarem o milionário time de Vanderlei Luxemburgo a equiper colombiana se torna a grande sensação dessa Libertadores da América.

O problema é quando ouvimos notícias e lemos alguns jornais aqui no Brasil. Alguns veículos insistem em chamar o clube de Independiente de Santa Fe, como se o mesmo fosse uma imitação barata do clube argentino que mais venceu Libertadores até agora.

Mas as coisas não são bem assim. Na Colômbia ninguém chama o clube primeiro pelo nome de “Independiente” e sim somente pela alcunha de Santa Fe. O termo “Independiente” faz parte do nome oficial do clube, o que é comum a vários times do mundo.

Aqui no Brasil ninguém chama o Palmeiras de “Sociedade Palmeiras” ou o Flamengo de “Regatas Flamengo”.

Santa Fe é o nome popular, conhecido pela população colombiana e que é um dos times de maior torcida da capital, Bogotá e que tem grande rivalidade com os Milionários.

Quem quiser conhecer melhor esses dois times assistam esse programa abaixo. E aprendam de uma vez por todas é Santa Fe, não Independiente!

Tijuana 2 x 2 Atlético-MG

OSSO DURO DE ROER

Gilberto Silva: sufoco na fronteira

Gilberto Silva: sufoco na fronteira

O time de Belo Horizonte  começou muito mal a partida na fronteira do México com os Estados Unidos. Começou perdendo de 2 x 0 e por pouco dificultou a sua grande campanha nessa Taça Libertadores. Porém o time mineiro conseguiu se adaptar rápido ao gramado sintético e teve uma grande recuperação no segundo tempo. Diego Tardelli diminuiu e Luan já nos descontos fez o gol milagroso de empate. O Galo passou sufoco mas se saiu bem. Em casa terá todas as chances para chegar à semifinal. Porém, a equipe mexicana mostrou muitas qualidades nessa Libertadores.

Ao contrário do que muitos times por lá fizeram, os “Xolos” estão priorizando o torneio sul americano. Quebraram a invencibilidade do Corinthians e eliminaram o Palmeiras dentro da casa do adversário. Todo cuidado é pouco. No Tijuana o Douglas não joga. No Horto, o Atlético vai ter que jogar o que sabe para passar de fase.

Boca Juniors 0 x 0 Newell´s Old Boys

EMPATE SEM SAL

Riquelme: anulado pela defesa leprosa

Riquelme: anulado pela defesa leprosa

O Boca que faz uma campanha bisonha no Torneio Final bem que tentou sufocas os “leprosos” usando a velha mística de “La Bombonera”. Porém o Newell´s mostrou porque é o atual líder da competição portenha. Os comandados de Gerardo Martino marcaram muito bem todas as jogadas de ataque da equipe Xeneize. Riquelme tentou furar o cerco mas teve poucas oportunidades. Apesar da posse e de maior volume de jogo o Boca não conseguiu traduzir isso em gols no primeiro tempo.

Na segunda etapa, o Newell´s melhorou ainda mais a marcação. Não se intimidou com o barulho do estádio e por pouco não fez um golaço numa linda virada de Scocco. Sem o árbitro Carlos Amarilla fica difícil o Boca obter alguma vantagem. A decisão ficou para o estádio “Colosso Del Parque” em Rosário. Os “leprosos” tem tudo para irem a semifinal e conquistar o título que escapou de suas mãos em 1988 e 1992. Ao Boca, resta atuar como franco atirador e mais uma vez chegar perto da tão sonhada sétima conquista da Libertadores e se tornar definitivamente o “ El Rey de Copas”, mas os tempos são outros.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: