FIM DE UM CAPÍTULO

by

chavez

 

Hugo Chávez está muerto e com isso se encerrou um capítulo importante da história da América Latina.

El Comandante ( humm, já ouvi essa palavra antes…) era o ídolo dos neo esquerdistas. Dizem,  uma pedra no sapato dos Estados Unidos. Porém, contudo, entretanto, todavia…

…os negócios externos da Venezuela dizem o contrário. Mesmo com Chávez, os americanos foram os maiores parceiros comerciais do governo bolivariano. Principalmente por causa de uma coisa chamada petróleo.

Mas resolvi fazer este post não para fazer um resumo da vida do presidente venezuelano e sim dar uma resposta a um texto do jornalista da ESPN Flávio Gomes que canta e prosa e verso as realizações do governo Chávez. Li o texto no blog do nosso parceiro Guina e fiquei tão alterado com o que tinha visto que a minha resposta ficou devidamente longa para ser lida nos comentários de lá. Resolvi fazer um resumo aqui mesmo. Afinal, tenho um blog e peço ao Guina mil perdões por repetir o assunto no seu espaço. Porém achei necessário.

Em primeiro lugar, eu discordo do ponto de vista “Che Guevara de botique” do jornalista torcedor da Portuguesa. Pra começo de conversa…democrático onde? Chávez apareceu para o mundo tentando dar um golpe de estado num governo eleito democraticamente contra o presidente Carlos Andrés Perez em 1992.

Sabe que apareceu assim também num passado não muito distante? Hitler.

Pois é, antes dele virar chanceler da Alemanha ele deu um golpezinho básico. Se deu mal, foi preso e quando foi solto jogou o mundo num verdadeiro inferno.

Aí dirão os raivosos… “Ah, seu mardito, está comparando um genocida como o Hitler com o nosso comandante Hugo Chávez”?

Não!

Chávez não era racista. Muito menos antissemita. Nunca chegará a 99,9% do que foi aquela desgraça da humanidade chamada nazismo. Porém vejam os métodos. Voltem ao passado.

É sempre a velha história desde Júlio César. Me sigam, eu sou o fodão, eu sou o paizão e somente eu poderei livrar vocês da miséria. Sem “mim” vocês serão uns merdas entre outras retóricas absurdas.

Chávez era um ditador que usava a democracia em benefício próprio. Populista, perseguia ferozmente seus inimigos políticos. Fechou um canal de TV e prendeu o opositor Alejandro Peña Esclusa acusando-o de “terrorista”.

Se unia ao que era pior da política externa internacional. Do regime assassino dos Castro em Cuba até o governo teonuclear do Irã. Tudo para desagradar os americanos que na verdade eram e continuam sendo o maior parceiro comercial da Venezuela.

Santa hipocrisia Batman!

Chávez alterou a Constituição para se perpetuar no poder eternamente até morrer. Seu desejo foi atendido, porém não da maneira que ele pensava.

O jornalista Flávio Gomes destaca que “Chávez deixou uma politica eterna que se espalhou pela Bolivia, Equador, Uruguai e … Brasil”??? (What the Fuck???)

Brasil? Sério isso?

Que porra de “política eterna” ele está falando? A de eternizar os políticos mensaleiros? A de ver se perpetuar no Congresso figuras elitistas como Renan Calheiros?

A mesma porra de “política eterna” que deixa um fanático religioso fundamentalista cristão homofóbico e racista ser presidente da Comissão dos Direitos Humanos na Câmara?

Menos mezzo escriba. Menos.

Não achava Hugo Chávez o principal causador dos males no mundo. Somente não caio na conversa fiada que ele era um santo que agora vocês desejam pateticamente embalsamar.

Em alguns momentos achava o comandante bufão bem divertido como no episódio na ONU onde ele acabou moralmente com o caipiterrorista petroleiro George W. Bush.

Os índices sociais do país melhoraram com  a sua chegada ao poder. Isso é inegável , mas ao mesmo tempo veio a inflação, o aumento da violência e uma economia em frangalhos.

Não sou favorável a caudilhos. Maldito do povo que precisa deles.

Uma nação que necessita de líderes políticos messiânicos seja de esquerda ou direita é um país sem rumo. A Venezuela não precisa de semideus político. Necessita sim de um povo que possa fazer livres escolhas por conta própria, sem paizões, generais ou comandantes.

Não tinha medo de Chávez, porém hoje eu tenho medo dos seguidores e admiradores dele. Entre eles o nobre jornalista. A resposta irada de Flávio Gomes aos comentários negativos no seu blog não poderia ser mais chavista,  infame e intolerante.

Pobre Venezuela.

Carajo!

2 Respostas to “FIM DE UM CAPÍTULO”

  1. Geraldo "JASON" Lina Says:

    Abdul, não confunda esquerda com esquerda vendida, a saber: PT.
    Esquerda é isso ai mesmo cara, peitar o imperialismo americano mesmo que seja vendendo petróleo aos yankees e isto no meu ponto de vista é “tolerância”.
    É como se o HC fosse o dono de um mercadinho e ao avistar um yankee lhe negasse comida…
    Ideologia é ideologia, negócios são negócios.

  2. Marcelo Abdul Says:

    Eu não concordo com o que você escreveu. Acho o tal do bolivarianismo hipócrita pra caralho, mas o seu recado está dado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: