NERO E O FUTEBOL

by

Muitos que acessam o blog diariamente já ouviram falar de um tal de Nero Cláudio César Augusto Germânico ou para os mais íntimos Lucio Domício Enobardo.

O sujeito foi um dos tiranos mais insanos que o império Romano já conheceu. Matou a mãe, assassinou a mulher com um chute e era metido a ator. Em resumo ele era um tremendo de um canalha sanguinário.

Mas apesar de muitas acusações contra ele ao longo da história muitas coisas se revelaram infundadas. Por exemplo o colossal incêndio de Roma em 64 D.C.

A maioria de todos nós acreditamos mesmo por entrelinhas que foi Nero o grande causador da destruição da cidade. Que no auge das chamas, ele se inspirou e tocou arpa enquanto Roma ardia no fogaréu. Uma lenda que se espalhou ao longo da história e se tornou verdadeira após séculos e séculos. Vejam o filme “Quo Vadis” para conferir, junto com a maravilhosa interpretação de Sir Peter Ustinov, o melhor Nero do cinema até hoje.

Mas fontes históricas revisionistas seguem outro caminho. Nero não incendiou Roma. Pelo contrário, ele nem estava na capital do Império no dia do incêndio. Quando soube da tragédia, imediatamente se dirigiu para Roma para ajudar a população. Doou dinheiro do tesouro para os afetados e abriu as portas do palácio imperial para ajudar os desabrigados. O povo adorava Nero, mas ele era odiado pela elite romana por cobrar impostos muito altos na reconstrução na cidade.

Mais tarde, essa mesma elite conspirou para eliminá-lo cansada dos excessos extravagantes do imperador. Os patrícios difamaram e potencializaram todos os crimes de Nero, que ficou conhecido na história como um pária, um imperador maligno. Anos depois, pela ótica cristã que começou a dominar a idade média, Nero ficou se tornou uma espécie de anticristo por perseguir os cristãos e culpá-los pelo incêndio, além de ter ordenado a morte dos principais líderes da igreja primitiva da época.

Mesmo não tendo queimado Roma, a história persistiu por séculos e séculos. A mentira se tornou verdade como o canalha nazista do Goebbles afirmara e todos nós associamos o incêndio de Roma com o imperador Nero. A fama é tanta que o nome do imperador romano virou até nome de um programa de computador que grava DVDS e “queima” mídias. Era um tremendo de um filha da puta? Certamente! Porém, não foi ele que colocou Roma em chamas.

Onde eu quero chegar com essa história e o que ela tem a ver com o título da postagem? Que porra de viagem é essa?

Bem, em todos as épocas da história existiram escribas pagos ou filósofos contratados apenas para contar “parte” de uma história, ou até mesmo mentir sobre ela. Demonizar ou falar mal de opositores era algo comum. Com Nero não foi diferente. Até no Egito antigo vemos lápides propositalmente arrancadas para apagar o passado de governantes. Até mesmo Jesus Cristo sofreu com isso após a sua morte.

Mas vamos ao futebol. Lá estava eu escrevendo uma coluna para meu blog quando analiso qual artigo foi o mais lido na semana. Me surpreendo quando vejo que o post “ A maior farsa do futebol paulista em todos os tempos” fica em primeiro lugar disparado.

O artigo foi postado em 2009. Foi uma das primeiras colunas depois da “refundação” do blog do Abdul. Por que estava em primeiro lugar? Dei uma analisada e … surpresa! Um cidadão que posta num blog chamado de “credibilidade” e de grande audiência afirmou que o São Paulo foi rebaixado em 1990 num post de dias atrás.

Não vou fazer propaganda do sujeito. Os leitores mais atentos devem saber quem é, mas o fato é que mais uma vez se usou da fanfarronice para inventar uma teoria pessoal. O elemento manipulou o seu prestígio junto ao internauta para espalhar uma excrecência.

Baseada em que? Se já foi mais do que provado por jornalistas muitos mais renomados que ele de que o tal “rebaixamento” do São Paulo foi pura invenção de torcedores adversários? Isso é notícia velha. Acabada e enterrada.

Não havia descenso em 1990. Quatro times vindos da Divisão Especial não poderiam disputar a segundona novamente e vários outros pontos  foram abordados no post desse blog. Não vou repeti-los. Leiam ou vejam os três vídeos abaixo que desmontam qualquer argumentação baseada em “achismo”.

 

 

 

 

Não há nenhum documento oficial ou regulamento da Federação Paulista de Futebol que fale em descenso no campeonato paulista de 1990. Se alguém quiser insistir nisso fique a vontade. Estamos numa democracia. Cada um dá o murro na faca que quiser. Vai doer, mas fazer o que? Tem mané para tudo.

Felizmente temos a internet para contrabalancear as mentiras que certas pessoas insistem em transformar em verdades, mesmo tendo as provas documentais e testemunhais na sua frente. Paciência. Fico muito feliz se saber que a postagem que eu escrevi está sendo lida novamente até para dar embasamento as pessoas que primam pelo correto.

Com isso vai ser difícil os escribas pós-modernos divulgarem asneiras no seu teclado..

Pobre Nero. Não havia internet na época para defendê-lo. Se existisse talvez a barra do ex-imperador romano não pesasse tanto. A mentira dita muita vezes se torna verdade? Na era digital a mentira escrita várias vezes te faz passar vergonha.

Porque hoje não temos apenas um “escriba oficial do império”. Temos vários escritores, prontos para defender o seu ponto de vista e rebater ferozmente qualquer asneira proferida.

“Achismo” pode ser até aceito por parte de torcedores. Isso faz parte da rivalidade. Porém jornalista tem o dever de pesquisar e dizer a verdade, ou pelo menos apresentar fatos e jogar a dúvida para que o próprio leitor tenha a sua opinião formada.

O resto são teorias furadas como uma canção horrível. Não é Nero?

Anúncios

6 Respostas to “NERO E O FUTEBOL”

  1. Geraldo "JASON" Lina Says:

    HAHAHAHAHAHA;
    Boa sacaba Abdul.

  2. Marcelo Abdul Says:

    Valeu Lina. Na Roma antiga o acesso da plebe às informações não era tão dinâmico como hoje. Fica difícil alguém ficar inventando o que está documentado graças ao scaner e ao jpg.

  3. Antonio Carlos de Carvalho Says:

    Uma digitada num blog não pode apagar a verdade dita por uma pessoa de credibilidade acima de qualquer suspeita. O que teria levado Telê Santana a declarar na TV que assumiu o São Paulo rebaixado, e que lá no clube, os dirigentes estavam com medo de serrem rebaixados também no Brasileirão? Teria o Corinthians ou a CBF ou o Lula, ou a Dilma pago a ele para inventar esta “mentira”? Que sentimento foi esse que levou o Estadão a escrever uma mentira na sua manchete e o Telê a declarar na TV?

  4. Antonio Carlos de Carvalho Says:

    PS. Eu tinha 99,9999999% de certeza de qual clube você era torcedor. Agora 100%

  5. Marcelo Abdul Says:

    Eu sou. Não tenho nenhum problema em afirmar isso. Aliás, quase todo mundo torce para um time. Você não torce pra ninguém né? Rsssss.

  6. Marcelo Abdul Says:

    Telê Santana chegou no São Paulo no segundo semestre de 1990. Ele não participou da campanha do campeonato paulista. Não sabia exatamente o que havia acontecido. Além do mais a regra do campeonato paulista daquele ano é bem clara, “não havia descenso”, assim como não houve em 1988 e 1989. O Estadão não disse mentira nenhuma. Apenas se guiou pelo regulamento da competição que não previa rebaixamento algum. Até a própria Folha afirmou que não haveria queda e depois soltou aquela “pérola” meses mais tarde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: