Archive for novembro \30\UTC 2012

A NOVA “VELHA” SOLUÇÃO

30/11/2012
Scolari: a volta do comandante

Scolari: a volta do comandante

O suspense não durou muito tempo. Desde a demissão de Mano Meneses era batom na cueca que Luiz Felipe Scolari voltaria novamente à seleção brasileira. O anúncio previsto em Janeiro foi adiantado um mês.

Mas surpreendente foi a volta de Carlos Alberto Parreira para a coordenação técnica, o que dá a seleção um gosto de comida requentada. Algo que você já comeu, gostou mas depois de um tempo enjoou e guardou na geladeira.

Sim, Parreira é um treinador especial. Foi campeão do mundo sendo o técnico mais massacrado da história do futebol brasileiro em 1993 e teve uma dignidade imperial ao levantar a taça Fifa no estádio Rose Bowl sem qualquer tipo de revanchismo e afirmando “ela é de vocês”. Confesso que me emocionei com a cena. Parreira foi digno. Ganhou meu respeito como profissional depois daquilo.

Mas o tempo passou e novamente ele foi chamado para dirigir uma das melhores seleções que o Brasil já teve no papel em 2006. Fracassou, assim como todas as seleções estrangeiras que ele dirigiu em Copas do Mundo. Agora volta a CBF como coordenador técnico depois de dizer que estava aposentado definitivamente. Não dá para entender, mas ter um cara como ele na retaguarda foi uma senhora sacada.

No final a inovação de contratar Mano Menezes, que na verdade era para ter acontecido com Muricy, não deu resultado. Se apostou na nova “velha” solução.

Scolari apesar de quase ser uma unanimidade por conquistar o penta em 2002 já não é o mesmo treinador há tempos. Depois de comandar a seleção portuguesa ele enfrentou o boicote de jogadores do Chelsea e sumiu no Uzbequistão. Voltou para o Palmeiras, mais turrão e impaciente com a imprensa. Conquistou a Copa do Brasil, mas foi considerado um dos maiores responsáveis pelo segundo rebaixamento do clube. Não deixa de ser uma dura verdade.

No entanto numa Copa disputada em casa, não dá para abrir mão da experiência de Scolari. Ela será fundamental. No final vai acontecer o que todos nós já adivinhávamos. Os “cobras criadas” da Copa passada serão chamados junto com alguns jovens promissores para a Copa das Confederações e o Mundial de 2014. A situação será totalmente diferente da era Mano Menezes. Quem quiser jogar a Copa do Mundo terá de mostrar serviço. Acabou a farra e as partidas circenses itinerantes para empresários e agentes de técnicos faturarem uma grana com convocações absurdas. Terminou também a aporrinhação de vermos a intragável figura de Andrés Sanchez na CBF.

Fecharam o circo. A seleção voltou. Agora é pra valer.

Anúncios

FINALISTAS

30/11/2012
São Paulo: classificação sofrida mas merecida

São Paulo: classificação sofrida mas merecida

Está definida a final da Copa Sul Americana em 2012.

São Paulo e Tigre da Argentina disputarão o título a partir da próxima quarta em Buenos Aires e a decisiva peleja será disputada no Morumbi.

O tricolor volta a uma final de torneio continental depois de sete anos. Terminou a “maldição da semifinal”. Desde 2007, o tricolor não conseguia passar dessa fase, seja no campeonato paulista, Copa do Brasil ou Libertadores.

Quarta-feira pela semifinal contra a Universidad Católica do Chile, muitos apostavam numa goleada são paulina, mas não foi o que oconteceu. Apesar do time da casa jogar melhor e ter várias oportunidades, o São Paulo esbarrou na grande atuação do arqueiro chileno Toselli que pegou até mosca varejeira. Apesar do nervosismo, inicial, o tricolor paulista se acalmou no segundo tempo e  jogou com o regulamento debaixo do braço.

Os “cruzados” vieram para o Morumbi dispostos a se fechar e esperar um contra ataque para definirem a partida. Bateram bastante e contaram com a anuência do péssimo árbitro venezuelano Juan Soto.

O tricolor se segurou com Wellington, Denílson e Paulo Miranda. A defesa são paulina também fechou os lados e o Católica só teve uma única e razoável oportunidade quase no final do jogo. O São Paulo em contrapartida desperdiçou chances claras. Não fosse a má pontaria, Jadson teria uma atuação de gala. Impressionante como o camisa 10 são paulino cresceu depois da contratação de Ganso. O meia fez uma grande partida apesar das más finalizações. Luis Fabiano, oportunista como sempre também não conseguiu passar pelo “muro” Toselli. Plenamente justificável o porque do goleiro ser o maior salário do clube de Santiago.

Ganso entrou e já começou a dar sinais de seu bom futebol. Pena que ainda não está sintonizado com o resto do grupo que ainda não compreendeu o seu estilo de jogo e a sua inteligência em campo. Falta ritmo de jogo.

O 0 x 0 garantiu a ida do São Paulo a final da Copa Sul Americana. Mais uma disputa continental que o tricolor pode vencer. Foi no sufoco, mas valeu.

Tigre: final inédita

Tigre: final inédita

O adversário do clube paulista é o Tigre da cidade argentina de Victoria, San Fernando. Surpreendentemente a equipe platina empatou ontem contra o temido Milionários na altitude de Bogotá por 1 x 1 e se classificou para a final.

Uma moleza? Nada disso. Apesar de não ser um clube de grande torcida,  o Tigre fez uma bela campanha no último e derradeiro torneio Clausura ficando com o vice campeonato argentino.

É uma equipe perigosa e bem organizada taticamente. Algo muito comum em times da Argentina. Além disso, até os clubes considerados menores por lá são chatos e tem muita tradição em torneios internacionais. O Argentino Juniors já foi campeão da Libertadores em 1985. O Arsenal de Sarandi venceu a Copa Sul Americana em 2007.

O Tigre nunca foi campeão argentino da primeira divisão ( Venceu 6 vezes a “La B”), mas tenta agora conquistar um título internacional inédito em sua história.

Apesar do aparente favoritismo são paulino, todo cuidado é pouco. Afinal trata-se de uma final Brasil x Argentina. E numa disputa cheia de história e rivalidade, tudo pode acontecer. Que vença o melhor.

FULECO: MAIS UMA CAGADA DA FIFA

26/11/2012

1. Fuleco

Fuleco é um apelido para o ânus.
O mesmo que cú.

Vai tomar no fuleco!
fuleco de bêbado não tem dono.
Quem tem fuleco tem medo
Passarinho que come pedra sabe o fuleco que tem.
fuleco não tem acento.

Vamos falar a verdade. Para essa escândalosa  Copa no Brasil, o nome do mascote é bem apropriado. Fora o simbolo do mundial que parece uma pessoa colocando a mão na cabeça de vergonha.

Brasil, o país da piada pronta!

REVOLUÇÃO

25/11/2012

Guardiola: um dos candidatos a vaga deixada por Mano

Os rumores de que Pepe Guardiola pode assumir a seleção brasileira são consistentes. O próprio treinador catalão já deu o sinal verde. Se Marin tiver boa vontade o ex-técnico do Barcelona pode ser o primeiro estrangeiro a dirigir a seleção brasileira em sua história em uma Copa do Mundo.

Antes, o Brasil já teve um estrangeiro no comando do escrete canarinho. Era Filpo Núñes , histórico técnico da primeira academia do Palmeiras. O time alviverde representou a seleção brasileira na vitória de 3 x 0 contra o Uruguai no Mineirão. Mas foi apenas uma partida. Nunca o Brasil teve um comandante “gringo” de forma contínua.

Muitos treinadores brasileiros vão chiar e torcer o nariz se Guardiola for escolhido, mas a pergunta que muitos torcedores fazem é… por que não?

A vinda do ex-técnico do Barcelona seria uma verdadeira revolução no futebol brasileiro infestado de treinadores retranqueiros e covardes taticamente.

Muricy, Tite, Dunga, Mano Menezes, Abel, Celso Roth são exemplos de técnicos que vencem baseados nos resultados. Não priorizam o toque de bola e a tática ofensiva. Luis Felipe Scolari apesar de seu imenso carisma com os jogadores, também abusa do estilo defensivo. São crias da conquista de Parreira em 1994. O que eles poderiam acrescentar hoje dirigindo a seleção brasileira?

Absolutamente nada.

Luxemburgo é um dos únicos comandantes que podemos considerar “da clássica  escola brasileira”, mas seus problemas extra campo extrapolam e atrapalham uma possível escolha dele como técnico do Brasil.  A experiência dele em 2000 não trás boas lembranças ao torcedor.

Desde 1982 o futebol brasileiro passou por uma transformação. A derrota para a Itália na Copa da Espanha foi um marco e serviu como bode expiatório carimbando a falsa teoria  de que “futebol bonito não vence”. Desde lá,  os treinadores brasucas começaram a mudar seus conceitos já com o próprio Telê Santana em 1986 que colocou Alemão e Elzo de volantes titulares priorizando o meio campo. O Mundial da Itália foi o auge do besteirol futebolístico brasileiro com a seleção de Lazaroni fazendo feio na Copa de 1990 com seus falsos líberos.

A conquista de Parreira em 1994 serviu como uma ufanista justificativa de que teríamos de jogar feio para vencer uma Copa do Mundo. Os campos brasileiros começaram a se infestar de volantes de contenção e brucutus. Treinadores passaram a priorizar o aspecto defensivo e raras vezes vimos times encantarem o Brasil e jogar a nossa verdadeira escola em sua essência. São Paulo em 1992 e 1993, Palmeiras em 1994 e 1996, Corinthians de 1998 a 2000, Cruzeiro em 2003 e Santos em 2010 foram as exceções, mas para quem acompanha o futebol brasileiro desde a era de ouro no final dos anos cinquenta e começo dos anos setenta, não resta a menor dúvida que ele mudou para pior.

A possível chegada de Pepe Guardiola pode representar uma verdadeira revolução no futebol brasileiro. Seria uma recuperação de nossas principais características e que fizeram a seleção canarinho ser conhecida no mundo todo por sua beleza, ousadia, espetáculo e principalmente competitividade.

O Brasil voltaria a ser Brasil dentro de casa numa Copa do Mundo. Não há melhor cenário para que a equipe verde amarela recupere a paixão do seu torcedor tão calejada pelos seguidos desmandos da cartolagem brasileira.

A nossa escola foi desvirtuada por técnicos poltrões que tem Ferraris em suas mãos e as dirigiram como um carro de motor 1.0.

Guardiola pode devolver o futebol brasileiro em seu devido lugar. Retomar a nossa tão falada e vencedora escola. Seria uma contratação espetacular e um tiro certeiro da CBF.

Esperamos que esse sonho não seja uma mera especulação e se concretize.

PERDEU MANO!

23/11/2012

Mano Menezes: demitido

Hoje em reunião na alta cúpula da CBF na Federação Paulista de Futebol aconteceu uma verdadeira notícia bomba: Mano Menezes não é mais o técnico da seleção brasileira.

Por tudo o que o presidente Marin anunciava, Menezes estaria garantido até a final da Copa das Confederações no ano que vem. Após a partida contra a Argentina em La Bombonera, a CBF não quis pagar para ver. Apesar do título do medíocre “Superclássico das Américas” a entidade mandou o bilhete azul para o treinador.

Em 33 partidas as seleção de Mano venceu 21 partidas, empatou seis vezes e foi derrotada em apenas seis oportunidades. A seleção sob o seu comando dava sinais de bom futebol após uma boa estreia contra os Estados Unidos, mas o desempenho da seleção azedou com o passar dos jogos. Com Mano Menezes, o Brasil uma campanha bisonha na Copa América e não conseguiu quebrar a “maldição do ouro” nas Olimpíadas deste ano. Mesmo com um time melhor que o México, a equipe brasileira foi derrotada pela falta de conjunto.

Mano Menezes fez testes em demasia (chamou mais de 100 jogadores) e teve o azar de pegar a seleção brasileira numa entressafra. O conjunto e o tão falado “padrão de jogo” nunca aconteceu no time canarinho e nem poderia, dado o calendário absurdo que a CBF impõe a equipe pentacampeã do mundo a cada ano.

O treinador gaúcho está longe de ser um treinador medíocre. Muito pelo contrário. Provou o seu valor com títulos em clubes como o Grêmio e Corinthians, mas ainda falta cacife e bagagem para aguentar  a monstruosidade  de ser técnico de uma seleção brasileira. Mano falhou em montar uma equipe consistente e forte para 2014. A pressão no ano que vem e na Copa será avassaladora pois mais um fracasso em casa será um desastre para os cartolas da CBF. Mano havia perdido o rumo. Quis agradar todo mundo e acabou enfurecendo a maioria.

A seleção brasileira precisa de experiência e vigor. Felipão é o candidato número 1 ao cargo. Será surpreendente se vermos no comando nomes como Tite e Muricy, pois são tão retranqueiros e conservadores e inexperientes quanto Mano. Será como trocar seis por meia dúzia.

Scolari só não será treinador da seleção se não quiser. Mas em ano de Copa das Confederações e uma Copa do Mundo qual será o louco que recusará um desafio histórico desse porte?

A pífia era Mano Menezes terminou hoje e a esperança do Hexacampeonato mundial se renova.

BOLSA FUTEBOL

22/11/2012

O patrocínio de R$ 30 milhões de reais da Caixa Econômica Federal ao Corinthians gerou a revolta de muitos e principalmente de torcedores adversários que não viram seus respectivos times serem agraciados com o “mesadão” governamental.

O fato do Corinthians ter ganho um estádio de graça da prefeitura e do governo federal para a Copa do Mundo de 2014 somente piorou a visão daqueles que já consideraram o clube paulista o time do “Establishment” governamental. O ex-presidente corintiano Andrés Sanchez é filiado ao partido dos trabalhadores e tem corredores livres até o ex-presidente Lula, que apesar de hoje ser um mero civil, ainda tem muita influência política.

Mas o privilégio do Corinthians não é o único dentro da história do futebol brasileiro.

Vários outros clubes já ganharam a sua graninha apoiados pelo poder público. Algo que numa sociedade dita capitalista é algo bem contraditório.

Palmeiras e São Paulo tem seus CTS construídos em terrenos da prefeitura na Barra Funda em troca de permutas. Não pagaram nada por eles.

O São Paulo recebeu milhões de reais de uma lei de incentivo fiscal para melhorias no seu Centro de Treinamento de Cotia.

Ok, se tratava de uma lei federal e o tricolor paulista soube aproveitar dela muito bem, mas isso não deixa de ser dinheiro de nossos impostos.

O Flamengo foi patrocinado em quase duas décadas por uma empresa petrolífera estatal. O Vasco da Gama também ostenta em sua camisa uma companhia de energia pública em troca de generosos milhões de reais.

Internacional e Atlético Paranaense estão reformando os seus estádios para a Copa com a ajuda do BNDES. Um banco estatal.

Isso sem contar o benefício que todas as agremiações recebem da Timemania, loteria criada pelo governo para que os clubes paguem as suas enormes dívidas trabalhistas. Um achincalhe, pois na opinião governamental temos que financiar a roubalheira que os corruptos cartolas do futebol brasileiro cometeram em seus times.

Se um dirigente de futebol deixa enormes dívidas para comprar um iate ou um apartamento da Barra da Tijuca ele deveria ser preso e não ser auxiliado com dinheiro de nossos impostos.

Mas a presidente da República homologou o substitutivo da Lei Pelé que exime os cartolas da responsabilidade financeira de seus clubes. Agora pensam em criar a Timemania 2, já que a primeira foi um fracasso comercial.

Curioso… são os mesmos clubes que se dizem privados e que escondem balancetes anuais. Mas no apagar das luzes adoram receber dinheiro do governo. De que lado estão nossas autoridades?

O poder público deve zelar pelo “pão e circo” ou ajudar a população? Pelo jeito a primeira opção é a preferida, pois dão mais votos.

A cara de pau dos dirigentes é colossal. Em países sérios muitos desses times seriam enquadrados e não participariam de campeonatos até pagarem as suas dívidas. Muito menos receberiam qualquer benefício público sem antes serem duramente fiscalizados por órgãos governamentais.

Mas estamos no Brasil. O país do “jeitinho”. As leis não foram feitas para beneficiar o esporte em si diretamente, mas para ajudar o patrimônio privado dos clubes de futebol. Uma vergonha.

Nesse caso, ninguém é “inocente ou santo”. Todos os times de uma certa maneira ou outra já tiraram proveito do governo. Muitos jornalistas e torcedores tentam apaziguar essas vantagens indevidas mostrando os erros do passado de outras agremiações. Como se uma coisa justificasse a outra. Na verdade todos estão errados e continuam a proferir mau caratismo.

Afinal vivemos numa sociedade capitalista, os clubes são privados e dois mais dois são igual a quatro. Mas na visão distorcida de muitos cartolas a soma é igual a cinco.

No final quem sai perdendo somos nós com hospitais de péssima qualidade e escolas públicas putrefatas com professores desmotivados. Os dirigentes continuam a gastar milhões em maus investimentos e também em benefício pessoal para depois pedirem dinheiro com o pires na mão como se fossem clubes miseráveis da terceira divisão. Coitadinhos…

O futebol é privado, feito por clubes privados. Pela lógica de mercado deveriam procurar empresas privadas para financiarem os seus times. Quando o governo auxilia mandatários incompetentes e clubes de futebol com dinheiro, leis e outros benefícios eles só encobrem a bandalheira e atrapalham o próprio desenvolvimento do futebol. O cartola podre continua a roubar o clube e sua ingerência não é percebida pelo torcedor, financiado pelos milhões de reais do estado. Um círculo vicioso que não tem fim e que os políticos mentecaptos insistem em perpetuar. Uma aberração.

360 GRAUS

22/11/2012

Torcedora se desespera: o Palmeiras é rebaixado novamente

Não teve jeito. Pela segunda vez em dez anos o Palmeiras vai disputar a série B do Campeonato Brasileiro. Uma surpresa, pois há seis meses o verdão faturou o título da Copa do Brasil, um dos principais torneios do país.

Mais surpreendente ainda que um elenco mais forte que Ponte Preta, Portuguesa e Sport e Coritiba tenha sucumbido a segunda divisão ainda na antepenúltima rodada.

Mas como foi escrito anteriormente, um campeonato de pontos corridos com vinte clubes onde exageradamente quatro times caem sempre vai ter um clube grande no abismo. Basta se preparar mal.

O Palmeiras priorizou a Copa do Brasil, venceu, fez festa e esqueceu do brasileiro. Quando acordou era tarde demais.

O Palestra sofre com graves problemas internos. Situação e oposição não se entendem. Não há unidade dentro do clube. Desde que Felipão voltou ele reclamou dos diretores e das fofocas de vestiário. Nem a vinda de César Sampaio aplacou os vazamentos. O clima ficou insuportável com as derrotas seguidas e o treinador pediu o boné. Quando um dos maiores treinadores da história do clube deixa o clube logo depois de vencer um título importante vemos o quanto é grave a crise interna da instituição.

Sempre houve conflitos internos históricos na rua Turuiassu, mas dessa vez a “civil guerra fria” nos corredores do clube ganhou ares de antropofagia com ameaças de morte e arremessos de cadeiras. Até mesmo parte de torcida entrou na onda com suas agressões a jogadores e arroubos de fúria na arquibancada. Graças a ela o time do Parque Antártica teve que jogar fora de casa quando o time precisava de mais apoio e motivação.

O Palmeiras precisa passar por uma grande revolução interna se quiser voltar a ser um time de grandes conquistas e escapar de vexames. Primeiro se livrar dos dirigentes incompetentes, emocionais e irracíveis que frequentam aqueles corredores. Segundo, deixar de ser refém da torcida organizada que queima o pavilhão do clube, quebra troféus, agride e expulsa jogadores. Terceiro democratizar o clube com as eleições diretas e motivar a quarta maior torcida do país.

Uma autoanálise profunda é necessária. Uma nova mentalidade expansionista e democrática deve ser instituída e fincada na alma de cada palestrino. Caso contrário o círculo vicioso vai continuar como ocorreu há dez anos no primeiro descenso do clube. Mudanças foram prometidas, “salvadores da pátria” foram eleitos, mas tudo continuou na mesma. Um giro trágico de 360 graus. Uma volta tortuosa que o palmeirense não quer sofrer nunca mais.

ONDE FOI A BOLA DO NEYMAR?

15/11/2012

Descobrimos…. rsssss.

 

 

Ixiiiii!

 

NERO E O FUTEBOL

14/11/2012

Muitos que acessam o blog diariamente já ouviram falar de um tal de Nero Cláudio César Augusto Germânico ou para os mais íntimos Lucio Domício Enobardo.

O sujeito foi um dos tiranos mais insanos que o império Romano já conheceu. Matou a mãe, assassinou a mulher com um chute e era metido a ator. Em resumo ele era um tremendo de um canalha sanguinário.

Mas apesar de muitas acusações contra ele ao longo da história muitas coisas se revelaram infundadas. Por exemplo o colossal incêndio de Roma em 64 D.C.

A maioria de todos nós acreditamos mesmo por entrelinhas que foi Nero o grande causador da destruição da cidade. Que no auge das chamas, ele se inspirou e tocou arpa enquanto Roma ardia no fogaréu. Uma lenda que se espalhou ao longo da história e se tornou verdadeira após séculos e séculos. Vejam o filme “Quo Vadis” para conferir, junto com a maravilhosa interpretação de Sir Peter Ustinov, o melhor Nero do cinema até hoje.

Mas fontes históricas revisionistas seguem outro caminho. Nero não incendiou Roma. Pelo contrário, ele nem estava na capital do Império no dia do incêndio. Quando soube da tragédia, imediatamente se dirigiu para Roma para ajudar a população. Doou dinheiro do tesouro para os afetados e abriu as portas do palácio imperial para ajudar os desabrigados. O povo adorava Nero, mas ele era odiado pela elite romana por cobrar impostos muito altos na reconstrução na cidade.

Mais tarde, essa mesma elite conspirou para eliminá-lo cansada dos excessos extravagantes do imperador. Os patrícios difamaram e potencializaram todos os crimes de Nero, que ficou conhecido na história como um pária, um imperador maligno. Anos depois, pela ótica cristã que começou a dominar a idade média, Nero ficou se tornou uma espécie de anticristo por perseguir os cristãos e culpá-los pelo incêndio, além de ter ordenado a morte dos principais líderes da igreja primitiva da época.

Mesmo não tendo queimado Roma, a história persistiu por séculos e séculos. A mentira se tornou verdade como o canalha nazista do Goebbles afirmara e todos nós associamos o incêndio de Roma com o imperador Nero. A fama é tanta que o nome do imperador romano virou até nome de um programa de computador que grava DVDS e “queima” mídias. Era um tremendo de um filha da puta? Certamente! Porém, não foi ele que colocou Roma em chamas.

Onde eu quero chegar com essa história e o que ela tem a ver com o título da postagem? Que porra de viagem é essa?

Bem, em todos as épocas da história existiram escribas pagos ou filósofos contratados apenas para contar “parte” de uma história, ou até mesmo mentir sobre ela. Demonizar ou falar mal de opositores era algo comum. Com Nero não foi diferente. Até no Egito antigo vemos lápides propositalmente arrancadas para apagar o passado de governantes. Até mesmo Jesus Cristo sofreu com isso após a sua morte.

Mas vamos ao futebol. Lá estava eu escrevendo uma coluna para meu blog quando analiso qual artigo foi o mais lido na semana. Me surpreendo quando vejo que o post “ A maior farsa do futebol paulista em todos os tempos” fica em primeiro lugar disparado.

O artigo foi postado em 2009. Foi uma das primeiras colunas depois da “refundação” do blog do Abdul. Por que estava em primeiro lugar? Dei uma analisada e … surpresa! Um cidadão que posta num blog chamado de “credibilidade” e de grande audiência afirmou que o São Paulo foi rebaixado em 1990 num post de dias atrás.

Não vou fazer propaganda do sujeito. Os leitores mais atentos devem saber quem é, mas o fato é que mais uma vez se usou da fanfarronice para inventar uma teoria pessoal. O elemento manipulou o seu prestígio junto ao internauta para espalhar uma excrecência.

Baseada em que? Se já foi mais do que provado por jornalistas muitos mais renomados que ele de que o tal “rebaixamento” do São Paulo foi pura invenção de torcedores adversários? Isso é notícia velha. Acabada e enterrada.

Não havia descenso em 1990. Quatro times vindos da Divisão Especial não poderiam disputar a segundona novamente e vários outros pontos  foram abordados no post desse blog. Não vou repeti-los. Leiam ou vejam os três vídeos abaixo que desmontam qualquer argumentação baseada em “achismo”.

 

 

 

 

Não há nenhum documento oficial ou regulamento da Federação Paulista de Futebol que fale em descenso no campeonato paulista de 1990. Se alguém quiser insistir nisso fique a vontade. Estamos numa democracia. Cada um dá o murro na faca que quiser. Vai doer, mas fazer o que? Tem mané para tudo.

Felizmente temos a internet para contrabalancear as mentiras que certas pessoas insistem em transformar em verdades, mesmo tendo as provas documentais e testemunhais na sua frente. Paciência. Fico muito feliz se saber que a postagem que eu escrevi está sendo lida novamente até para dar embasamento as pessoas que primam pelo correto.

Com isso vai ser difícil os escribas pós-modernos divulgarem asneiras no seu teclado..

Pobre Nero. Não havia internet na época para defendê-lo. Se existisse talvez a barra do ex-imperador romano não pesasse tanto. A mentira dita muita vezes se torna verdade? Na era digital a mentira escrita várias vezes te faz passar vergonha.

Porque hoje não temos apenas um “escriba oficial do império”. Temos vários escritores, prontos para defender o seu ponto de vista e rebater ferozmente qualquer asneira proferida.

“Achismo” pode ser até aceito por parte de torcedores. Isso faz parte da rivalidade. Porém jornalista tem o dever de pesquisar e dizer a verdade, ou pelo menos apresentar fatos e jogar a dúvida para que o próprio leitor tenha a sua opinião formada.

O resto são teorias furadas como uma canção horrível. Não é Nero?

“MARCO CIVIL”. CENSURA COM NOME BONITINHO

13/11/2012

Congressistas votarão hoje o projeto de lei do deputado Eduardo Azeredo que regula o conteúdo da internet no Brasil.

Trata-se de mais um engôdo dos parlamentares. Uma censura com um nome bonitinho.

O “Marco Civil” é uma atentado à liberdade de expressão.

Mais uma lei porcaria que vai ajudar justamente os políticos que volta e meia são alvo de acusações dos internautas, que não aguentam mais ver alguns desses vagabundos colocando a mão no nosso dinheiro.

Mais uma prova de que os políticos são lobos em pele de cordeiro. Camuflam uma lei com um título nobre com a justificativa de defender o interesse público.

Na prática acontece justamente o contrário.

Mas a internet é um fenômeno dinâmico e mutante. Os nobres deputados e senadores ainda não compreenderam a extensão e a importância da rede em nossas vidas.

Certamente vão tentar impor uma lei para beneficiá-los, mas de nada adiantará regular a internet com imposições absurdas. Sempre haverá uma maneira de burlar dispositivos censores.

Se esta emenda for aprovada o cidadão brasileiro vai ter violado o seu direito de protestar.

Em contrapartida, os políticos serão os grandes beneficiados.

Até quando a população brasileira vai dar apoio a esses energúmenos?

Para entender o caso, leiam a carta da Abranet (Associação Brasileira de Internet) sobre o tema.

 

ps – Depois de muitas deliberações dos parlamentares o projeto foi adiado hoje. Resta saber se foi para favorer a população ou aos próprios deputados.