OS ESTADUAIS FALIRAM

by

Marin e Marco Polo: coluio e calendário bagunçado

Há anos se discute o mau gerenciamento da CBF no calendário do futebol brasileiro. Os jogos da seleção  fora das datas Fifa e a ida constante de jogadores para partidas “monumentais” contra seleções do Gabão e China, desfalcam os clubes, desgastam os atletas e prejudicam o andamento técnico do próprio torneio organizado pela entidade. A CBF atua contra o seu próprio produto.

Tudo isso para favorecer os seus pares nas federações estaduais. Ontem o Conselho Arbitral da Federação Paulista decidiu que campeonato paulista terá quatro meses de duração. A competição se inicia em janeiro e terminará no mês de maio.

Infelizmente somente a cartolada ainda não percebeu que os campeonatos estaduais são torneios que perderam o seu velho prestígio ao longo dos anos.

O mundo mudou, o país também. Se as dimensões continentais do Brasil favoreciam a disputa de torneios regionais no passado, hoje com toda a modernidade, tecnologia e desenvolvimento que a nação teve, outros torneios como a Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, Libertadores e Sul Americana dão mais prestígio aos clubes e satisfação às suas torcidas.

Os campeonatos estaduais devem continuar, mas não no formato de hoje. Melhor seria se tivessem no máximo um ou dois meses de duração, com torneios e grupos eliminatórios estilo Copa do Mundo. Assim sobrariam mais datas para que a CBF ajustasse os amistosos da seleção em jogos Fifa e pudesse paralisar o campeonato brasileiro sem prejudicar os clubes nacionais que cedem atletas ao selecionado canarinho.

O que se fez com o Santos Futebol Clube foi um crime. O alvinegro da Vila Belmiro paga milhões para Neymar atuar com a camisa do peixe. No entanto, o atleta joga pouco pelo seu clube para atuar na seleção brasileira. Esse ano, entre amistosos, treinos e torneios como a Olimpíada, o camisa onze deixou de participar de partidas importantes pelo Santos. Resultado, o time perdeu fôlego e o principal atleta do Brasil na atualidade não conseguiu render cem por cento.

Esse ano vimos um Neymar totalmente extenuado na Libertadores e na reta final de campeonato brasileiro. O Santos saiu prejudicado. Outros clubes como o São Paulo sentem a falta de rendimento de Lucas. Tudo pela temporada estafante e mal planejada pela CBF que em coluio com as federações estaduais permitem que um torneio regional tenha quatro meses de duração.

Hoje os campeonatos estaduais estão falidos, sem exceção. Se antes muitos times preferiam ganhar o campeonato paulista do que vencer a Libertadores, hoje a situação é totalmente inversa.

As equipes do interior de São Paulo viraram verdadeiros “clubes sanguessugas”. Dependem da renda de dois jogos em casa contra os times grandes para bancar os seus elencos durante um semestre. Majoram absurdamente o preço dos ingressos quando jogam contra Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos.

No entanto quando jogam entre si os clubes chamados “caipiras” não levam nem 2000 pessoas aos seus estádios, mesmo com o preço normalizado.

No Rio de Janeiro um modelo bem sucedido e curto de disputa do estadual acaba de ser alterado pela Federação Carioca. Além de mais datas, o campeonato carioca inchou.

É a falência total do modelo atual dos torneios regionais. Não adianta forçar a barra. Os campeonatos estaduais estão falidos. Somente as federações não aceitam o fato. São teimosas e intransigentes. Tempos gloriosos do passado não irão mais voltar.

Vinte e três datas com partidas contra times como Penapolense,Olaria,e Atlético Sorocaba é perda de tempo e dinheiro. Os clubes grandes do Brasil pagam para jogar as competições estaduais porque a torcida não vai assistir jogos de baixo nível técnico. O borderô das equipes ficam zeradas.

Embora todos esses problemas sejam mostrados os campeonatos estaduais nesse formato longo vão continuar por muito tempo. A estrutura viciada do futebol brasileiro não permite mudanças radicais e os clubes morrem de medo de romper com os cartolas, desunidos e incompetentes que são.

Por incrível que pareça a Federação Paulista paga muito melhor os seus times do que a Conmebol. Enquanto isso não se alterar, a situação permanecerá a mesma, pois no futebol quem manda é o dinheiro. Se Nicolas Leoz tirar o escorpião do bolso, quem sabe.

Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol agora tem mais prestígio que nunca. Além de ocupar a vice presidência da CBF, o mandatário ainda ganhou o cargo de membro executivo da Fifa. É o sucessor natural de José Maria Marin no comando do futebol brasileiro. O dirigente ganhou mais poder com a renúncia de Ricardo Teixeira.

Como se vê a questão ainda está longe de terminar e vai piorar ainda mais com a Copa do Brasil estendida para o ano todo em 2013, com Libertadores, Brasileiro e Sul Americana.

Enfim, no futebol brasileiro não há nada ruim que não possa piorar.

4 Respostas to “OS ESTADUAIS FALIRAM”

  1. Rivelino Santos Says:

    A sua postagem é ótima. Todos nós sabemos os problemas do futebol brasileiro, somente os cartolas é que não tem interesse de resolver os problemas.
    http://rivelinosantos.com/

  2. Marcelo Abdul Says:

    Obrigado Riva. Infelizmente nem os cartolas dos clubes pelo qual torcemos. O círculo vicioso permanece inalterável. Abraços.

  3. guina rodrigues Says:

    Falência ética e moral!

  4. Marcelo Abdul Says:

    Os clubes só estão nessa porque a FPF paga melhor os clubes que a Conmebol. Inacreditável, mas é a pura verdade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: