A “MALDIÇÃO” CONTINUA

by

Damião desaba: mais uma vez o sonho do ouro é adiado

Mais uma vez o sonho do ouro olímpico foi adiado. Como foi escrito no blog há algumas semanas as Olimpíadas são o calcanhar de Aquiles do futebol brasileiro. Uma das maiores seleções do mundo não consegue de maneira nenhuma conquistar o torneio.

Pela terceira vez em sua história o Brasil amarga a prata no futebol olímpico. Como explicar que jogadores consagrados em clubes brasileiros e internacionais percam uma decisão?

Simples, o México foi melhor na partida. A equipe asteca entrou com muito mais gana e muito mais vontade de vencer do que a brasileira. A pressão em cima dos assustados garotos brasileiros fizeram a diferença. Numa falha bisonha do lateral direito Rafael, o atacante Peralta se aproveitou e fez o gol mais rápido da história do torneio olímpico de futebol: trinta e três segundos.

O gol desestabilizou completamente a seleção brasileira que não conseguia armar as jogadas e esbarrava sempre na eficiente marcação mexicana. Alex Sandro que teve a preferência de Mano Menezes numa explicação tática inexplicável, mal pegou na bola. A troca dele por Hulk e a melhora do time canarinho provou a imensa bobagem que o treinador brasileiro havia cometido.

No segundo tempo, o Brasil começou a pressionar mas pecou pela falta de pontaria. Parecia que o gol de empate aconteceria, mas os mexicanos ajustaram a sua marcação e o Brasil foi novamente dominado nos contra ataques. Por duas vezes o time da Concacaf quase marca . Depois de uma cobrança de falta, Peralta marcou de cabeça e adiou o sonho brasileiro do ouro olímpico no futebol.

Lucas é consolado por Neymar: injustiçado por Mano Menezes

O desespero de Mano Menezes era latente. Incoerente, colocou o meia atacante Lucas quase no final do jogo. Hulk diminuiu e Oscar quase empatou no final dos acréscimos, mas a tragédia estava consumada. O México conquista o ouro e pela primeira vez na história olímpica uma seleção masculina da Concacaf é campeã.

Inexplicável? Talvez. Em Olimpíadas os sinos do futebol tocam de uma maneira diferente. O México mostrou uma defesa, boa marcação e uma tática de jogo muito melhor que a seleção brasileira nessa final. Teve todos os méritos na conquista.

A prata tem um gosto amargo, principalmente para atletas como Alexandre Pato, Neymar e Marcelo. Jogadores milionários que não conseguiram fazer a diferença até agora na seleção brasileira.

A renovação total do time de 2010 se revela uma enorme bobagem. Somente garotos não vão segurar o tranco em 2014. O Brasil precisa da experiência de Ramires, Luis Fabiano, Daniel Alves e talvez Robinho e Kaká.

O México, antes saco de pancadas do futebol mundial agora se revela uma nova e emergente seleção de futebol. Há muito tempo essa seleção da América Central tem feito boas campanhas em Copas do Mundo e sempre bateu na trave. A geração campeã sub- 17 no ano passado, agora revela seus frutos. O ouro olímpico pode ser uma premissa de uma nova geração de atletas mexicanos em mundias e outros torneios importantes.

Talvez uma geração até mais preparada que a brasileira. Os números não mentem. Neste século o Brasil é um freguês de carteirinha dos mexicanos. Os tempos do folclórico goleiro Carbaral definitivamente ficaram para trás.

mexicanos comemoram o ouro: vitória incontestável

Agora é esperar no Rio em 2016 em casa no Maracanã. Quem sabe os deuses do futebol estejam preparando um final feliz para esse ouro olímpico brasileiro que nunca veio no nosso principal esporte. Porque por mais o torneio olímpico esteja esvaziado pela determinações imbecis da Fifa, esse tabu incomoda e muito.

Anúncios

6 Respostas to “A “MALDIÇÃO” CONTINUA”

  1. guina Says:

    Cara por isso que eu naum troço para a seleção, mas hoje resolvi torcer…Abdul, ver o Lucas chorando de verdade arrancou um pedaço de mim. Logo eu, tão critico? Mas como diz a música do Pearl Jam… Do the evolution baby!

  2. Marcelo Abdul Says:

    Eu torci Guina. Não tenho a menor vergonha de dizer isso. Estou triste com a derrota. Mas o México foi melhor. Quem sabe em 2016 no Maraca.

  3. Tadeu Says:

    “O México que nos últimos anos tem conquistado torneios nas equipes de base é outro candidato a medalha de ouro. O time azteca tem jogadores rápidos, talentosos e oportunistas. A vitória contra a boa seleção de Senegal credenciou o time de Giovani dos Santos. Olho neles.

    Apesar do Brasil ter uma constelação de estrelas como Neymar, Ganso, Oscar, Marcelo e o já experiente Pato o time necessita de atenção na defesa e precisão no ataque. Em sua sexta semifinal de Olimpíada da história, a seleção brasileira tem tudo para garantir o tão desejado ouro, mas todo o cuidado é pouco. Em Olimpíada não tem bobo no futebol”.

    Foram suas palavras dias antes da final de hoje. Quero dar parabéns pela sua análise e precisão. Um dos únicos que levou o torneio de futebol olímpico a sério e não o desdenhou. Parabéns.

  4. guina Says:

    Abdul eu tô ficando louco ou essa foi a mais dolorosa derrota da seleção… Pelo menos pra mim, que nunca dei a minima tá foda! Cara eu acabei de ver o Lucas falar,…..Pô naum acredito, ele tá malzão….Que dó! Nem todo dinheiro do mundo pode trazer felicidade!
    Cara tô pirando! rsrsrsrs

  5. Marcelo Abdul Says:

    Valeu Tadeu. Obrigado. Uma penas que o pessoal não tenha levado esse comentário a sério. Mais uma prata amarga no futebol.

  6. Marcelo Abdul Says:

    O Lucas sentiu porque sabia que poderia ter feito alguma diferença. Só o Mano Menezes não percebeu isso. Ele prefere treinar pangarés no interior do Rio Grande do Sul como o Tite, Roth e outras tralhas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: