Archive for junho \30\UTC 2012

HÁ 10 ANOS O BRASIL ERA PENTA!

30/06/2012

 

O tempo passa mas a glória fica para sempre. Valeu galera de 2002!

Anúncios

BRAVA AZZURRA

29/06/2012

Itália 2 x 1 Alemanha

Balotelli: o atacante marca dois e leva a Itália a sua terceira final de Euro

Itália e Alemanha fizeram uma partida sensacional na noite de ontem no estádio nacional de Varsóvia. Muito diferente do sonífero entre Espanha e Portugal na quarta-feira. A qualidade e a tradição de duas seleções que carregam consigo sete Copas do Mundo pesou para o bem do futebol.

A semifinal da Euro da quinta feira foi uma partida movimentada, emocionante e com várias chances de gol, situação que deveria ser a regra dentro de um estádio de futebol. A Squadra Azzurra realizou uma partida brilhante no primeiro tempo e dominou o meio campo. Pirlo mais uma vez foi brilhante na cadência do jogo, embora não tivesse sido tão participativo como no jogo contra a Inglaterra. Bastian Schweinsteiger foi completamente anulado e fez uma partida de pouco destaque. O atacante do Bayer Mário Gomez foi uma verdadeira piada. Khedira, um dos únicos alemães que encararam a semifinal com seriedade perdeu chances claras de gol.

O resultado do predominância italiana logo seria premiada. O atacante Mario Balotelli brihou e fez dois gols. Um gol de cabeça após um belo cruzamento de Cassano e outro golaço após receber um lançamento “ a la Gérson” de Montolivo. A Alemanha até então o “bicho papão” do torneio somente pode assistir atônita aos tentos marcados.

 

Joachim Löw esbraveja: mais uma semifinal perdida

O time de Joachim Löw foi pego de calças curtas pois esperavam um maior recuo dos italianos, mas a equipe adversária contrariou a tradição de seu catennaccio e atacou ousadamente. A defesa e o meio campo alemães pagaram desgraçadamente pela falta de atenção.

No segundo tempo, a Alemanha melhorou e fez a Itália recuar, mas a defesa da Azzurra estava firme e retirava todas as bolas alçadas na área. Buffon também estava numa noite inspirada e fez grandes defesas. Para piorar a pontaria alemã estava péssima. Todos os jogadores teutões que tiveram chances claras de gol mandaram a bola para fora do estádio nacional de Varsóvia. Mesmo assim insistiam inutilmente contra o gol do arqueiro italiano. Quase no final da partida, o árbitro francês Stéphane Lannoy inventou um pênalti no final e Ozil diminuiu. Tarde demais.

A favorita Alemanha mais uma vez perde uma disputa decisiva contra os italianos. Assim foi nas Copas de 70,82 e 2006. São fregueses. Algumas histórias no mundo do futebol são curiosas e se repetem. Além da freguesia alemã, os italianos só crescem em competições internacionais quando seus jogadores são acusados em favorecimento de apostas em jogos do campeonato nacional. Assim foi em 1982 e 2006 quando foi campeã do mundo e mais uma vez nessa Euro 2012. Curioso.

Agora a Itália vai para Kiev enfrentar a consagrada Espanha na final. Ambos os times já se enfrentaram na primeira fase a a partida foi extremamente equilibrada. Não há favorito nesse duelo, apesar dos italianos serem um “time de chegada” e os espanhóis não terem o mesmo desempenho de competições passadas.

A UM PASSO DO CÉU

28/06/2012

Romarinho: o Corinthians empata em Buenos Aires

O Corinthians arrancou um empate contra o Boca Juniors no estádio “La Bombonera” em Buenos Aires e só depende de si mesmo para conquistar a primeira Libertadores de sua história.

Foi uma partida difícil, tensa em que as duas equipes se estudaram e foram taticamente equilibradas durante quase noventa minutos. O Corinthians com a sua disciplina e organização dentro de campo surpreendeu os portenhos. Os argentinos sempre contam com a afobação brasileira em decisões como essa para vencer, mas desta vez esse fator não deu certo. O time paulista estava psicologicamente tranquilo dentro de campo.

No segundo tempo o time xeneize melhorou e levou perigo ao gol do grandalhão Cássio. Num lance chorado o Boca chegou ao primeiro gol com Roncaglia depois de Chicão claramente tocar a mão na bola dentro da área. La Bombonera explodiu em alegria, mas ao contrário dos seus pares brasileiros que anteriormente fizeram vexame dentro do estádio xeneize em finais de Libertadores, o Corinthians não se intimidou e continuou a atuar bem taticamente.

O esforço foi premiado aos 40 minutos do segundo tempo. Incrível como o time do Corinthians tem capacidade de formar ídolos repentinos em momentos decisivos. Foi assim com Basílio, Viola e Tupãzinho no passado. O atacante Romarinho, vindo do Bragantino, ganhou destaque no domingo passado quando fez dois gols na vitória do time reserva do Corinthians no derby paulistano contra o Palmeiras. Pegou o vôo quase na ponta do rabo do avião para Buenos Aires devido a seu desempenho no clássico.

O centroavante ficou na reserva durante quase toda o partida. De repente Tite o chama do banco jogo. Romarinho entra e faltando cinco minutos para o fim do tempo de jogo recebe um passe açucarado e Emerson Sheik e com frieza toca a bola por cima do arqueiro Orion. O Corinthians empata o jogo e cala o fanfarrão Diego Maradona nas tribunas e também a fanática torcida Xeneize. São coisas típicas e particulares que só acontecem com certos times de futebol. A mística corintiana é essa. A peleja termina em 1 x 1 e o Corinthians só depende dele mesmo para acabar com a gozação de seus rivais.

Não será fácil. Em todas as decisões contra times brasileiros, o Boca fez grandes partidas fora de casa. Nessa Libertadores os resultados falam por si. O clube argentino continua a ter boas atuações longe de seus domínios. Empatar dentro de casa, não significa nada a um time experiente e rodado.

Para ganhar do Boca e de outros times argentinos é necessário jogar bem 180 minutos e não apenas “esperar o jogo em casa”.

Portanto é bom o Corinthians abrir o olho.  Mesmo que o Boca tenha um Riquelme e Schiavi envelhecidos e um time que não lembra em nada o bicho papão da década passada.

O time do Parque São Jorge é o favorito a conquistar a Libertadores, mas  deve deixar o oba oba e salto alto de lado porque os argentinos, como se provou ao longo de várias decisões contra times brasileiros são os verdadeiros mestres do desastre.

O Corinthians seguiu a cartilha direitinho em Buenos Aires. Faltam noventa minutos no Pacaembu para o título inédito  tão esperado por sua fanática e apaixonada  torcida.

QUE SEMIFINAL CHATA Ó PÁ!

27/06/2012

Espanha 0 x 0 Portugal ( 4×2)

Ramos marca Cristiano Ronaldo: a Espanha passou no sufoco

A Espanha é um time com grandes valores individuais além de seu valoroso jogo coletivo. Isso é inegável para quem acompanha o futebol internacional. Porém, os atuais campeões do mundo não lembram nem de longe o time que foi vitorioso na Áustria e na África do Sul.

Hoje, após uma bocejante e interminável partida de 120 minutos, os espanhóis levaram a melhor nos pênaltis contra Portugal. O time lusitano surpreendeu nos primeiros trinta minutos marcando a Fúria dentro de seu próprio campo e obrigando “los rojos” a rifar as bolas. Uma situação rara.

O time comandado por Paulo Bento encaixou a marcação e os espanhóis não conseguiram levar perigo ao gol do arqueiro Rui Patricio. Igualmente Portugal não deu maior trabalho a Casillas e a partida se tornou monótona e sem lances de extremo perigo para os dois lados. Apesar do cansaço físico do time português e da retomada espanhola da posse de bola, a partida arrefeceu em emoção no segundo tempo. Somente aos 45 minutos Cristiano Ronaldo desperdiçou a chance que poderia ter levado Portugal a segunda final de Euro da sua história. De resto, uma partida fraca indigna de uma semifinal de um torneio europeu.

Na prorrogação, a Espanha foi um pouco melhor, mas esbarrou na disciplinada defesa lusitana. Pepe fez uma grande Eurocopa e afastou um pouco o rótulo de jogador violento. Nos pênaltis Rui Patricio fez uma defesa de cinema no chute de Xabi Alonso e deu esperanças ao time português, mas logo em seguida Casillas mostrou porque é o melhor goleiro do mundo e pegou a bola de João Moutinho. A partir desse momento, os espanhóis acertaram todas as cobranças. O português Bruno Alves colocou a bola na trave do arqueiro merenque e restou a Cesc Fábregas colocar a Espanha na sua segunda final consecutiva de Euro, a quarta da “Fúria”  na competição.

Ronaldo: apesar da eliminação uma grande Euro do atacante português

Poderemos assistir uma final repetida pela primeira vez na história da competição da Espanha contra a Alemanha ou uma decisão inédita contra a Itália. Portugal fez uma grande Euro e só perdeu nos detalhes. Cristiano Ronaldo teve a sua melhor atuação num torneio pela seleção portuguesa e mostrou que não é apenas um mero atleta de clube. Ele pode ser metrossexual, mas não amarela e joga muita bola.

A Espanha, apesar de chegar novamente a final terá que rebolar muito se quiser tornar-se a primeira seleção bicampeã consecutiva da história da Euro. Futebol, a “Fúria” tem de sobra, mas o time deixou a desejar na Ucrânia e na Polônia. Esperamos que a semifinal entre Alemanha e Itália seja infinitivamente melhor do que a partida de hoje. O futebol europeu tão decantado em prosa e verso faz uma das piores Eurocopas de todos os tempos. O nível técnico  das seleções nacionais cai vertiginosamente com o passar dos anos. Reflexo da globalização e de uma maior força dos clubes de futebol? Só o tempo dirá.

O CÍRCULO DO MAL

26/06/2012

Leão, sexto técnico demitido do São Paulo em três anos: círculo vicioso

Já dizia Karl Kraus que “ o mal nunca prospera quando melhor do que quando lhe põem um ideal a frente”.

Juvenal Juvêncio em absoluto não é a encarnação de Belzebu na terra. Mas seguramente os ideais que colocaram o São Paulo Futebol Clube como um dos clubes mais vitoriosos do planeta não acompanham a alma do atual presidente são paulino.

A demissão do treinador Emerson Leão na manhã de hoje é um exemplo da falta de rumo que o clube do Morumbi tomou nesses quatro últimos anos. Escolhas erradas foram feitas, acordos foram quebrados, interesses pessoais e vaidades passaram por cima de qualquer bom senso. Não foi por falta de aviso que o tricolor chegou nessa situação desagradável.

O “golpe” de Juvenal Juvêncio no ano passado foi o prenúncio de tempos tenebrosos e o destino puniu aqueles que quiseram quebrar uma tradição de trinta anos e que deu vários títulos nacionais e internacionais ao tricolor paulistano.

Sim, porque  o atual presidente são paulino apostou que seu caudilhismo seria idêntico a de seus co irmãos Alberto Dualib, Mustafá Contursi e Marcelo Teixeira. Juvenal num delírio ensandecido talvez tivesse pensado que sua artimanha jurídica seria perdoada pela torcida quando os títulos chegassem.

Quis o destino que assim não fosse, pois o São Paulo Futebol Clube não necessita de caudilhos, coronéis e manda chuvas para vencer como acontecia antigamente nos clubes rivais. Seria óbvio que essa malfadada fórmula de centralização de poder não iria funcionar no tricolor paulista. No Morumbi isso é como água e vinho. Eles não se misturam.

E assim caminha a humanidade. Mentiras deslavadas, lentidão na reforma do estádio do Morumbi, falta de patrocínio master em mais de seis meses ( um recorde), demissão de profissionais consagrados, troca de técnicos a cada seis meses, torcida organizada paga que faz protesto indecente no estádio do Canindé…

Enfim,  a enorme lista de dificuldades são um reflexo da administração Juvenal e de seus conselheiros e diretores acólitos. A chapa de Juvêncio e sua trupe definitivamente esquentou. As bravatas não funcionam mais. Grande parte da torcida são paulina e imprensa desaprovam o mandatário e suas trágicas atitudes.

A entrevista que o presidente são paulino deu esta manhã foi indecente. Juvenal afirmou que poderia treinar um time. Por acaso ele tem mais experiência que Emerson Leão que foi a quatro Copas do Mundo e tem quase cinquenta anos de bagagem de futebol dentro de campo? Uma piada de mau gosto.

A demissão de Leão faz parte de um triste círculo de adversidades que não quer se encerrar no Morumbi. Mais um técnico vai vir e provavelmente será demitido pela falta de bons resultados. É o círculo do mal que envolve o São Paulo Futebol Clube enquanto o presidente ilegal estiver no poder até 2014, isso se os conselheiros puxa sacos não sugerirem um novo mandato a ele. E não duvidem que no auge de seu sorriso histriônico amarelado ele aceitará a contenda de bom grado.

Afinal, para os ditadores sempre estará tudo bem como um adolescente preso num quarto infecto delirante movido a ecstasy. O mundo gira e o São Paulo Futebol Clube hoje é apenas um reflexo de uma personalidade insípida e decadente.

EURO 2012 – BALANÇO DAS QUARTAS

26/06/2012

Os jogos pelas quartas de final não trouxeram nenhuma novidade. Os favoritos venceram e não aconteceram grandes jogos de futebol. Alguns foram até verdadeiros soníferos de tão chatos. Mesmo assim algumas seleções chamaram a atenção.

Cristiano Ronaldo: arrebentando novamente por Portugal

Portugal 1 x 0 República Theca 

O centroavante Cristiano Ronaldo mostra nessa Euro, que não é apenas um mero “craque de clube”. Contra a Holanda, o atacante do Real Madrid já tinha feito uma grande partida. No jogo das quartas de final da Euro 2012 contra a República Theca, ele simplesmente arrebentou e fez uma das suas maiores atuações pela seleção portuguesa. O treinador Paulo Bento acertou a mão e formou um grupo operário com jogadores como João Montinho e Coentrão. Disciplinados, os rubro verdes jogam em função de sua principal estrela e não tem a menor vergonha em demonstrar isso.

Pelo número de chances criadas pelos lusitanos, o 1 x 0 foi pouco. A República Theca foi uma equipe apática, cansada e vencida desde os primeiros minutos. Baros mal pegou na bola e o esquema recluso do treinador Michael Bílek se revelou uma estratégia suicida. Nem o esforço de Jirácek e a atuação do consagrado Peter Cech salvaram os thecos da desclassificação. Portugal venceu com todos os méritos e vai para a terceira semifinal de Euro da sua história.

Khedira comemora: atropelamento

Alemanha 4 x 2 Grécia

Depois de jogar uma primeira fase até surpreendente, a classificação dos gregos para a semifinal seria um autêntico milagre do Olimpo. Afinal a Alemanha é com sobras, o melhor time dessa Euro 2012 e o favoritismo dos germânicos se confirmou na partida. A palavra correta para definir a peleja foi “atropelamento”. Com um volume de jogo alucinante os alemães nem ligaram para o já famoso “catennaccio grego”. O gol de Lahn foi só uma previsão do que viria a seguir. Nem o empate grego de Samaras num raro contra ataque abalou os alicerces da equipe do treinador Joachim Low. O domínio da Alemanha continuou e o segundo, terceiro e quarto gols surgiram naturalmente contra um time inferior tecnicamente. O sonho grego nessa Euro se encerra e as chances dos germânicos conquistarem o quarto titulo da competição se torna cada vez mais uma forte realidade. Faltam apenas dois jogos.

Ribery é anulado por Sergio Ramos: coletivo de luxo espanhol

Espanha 2 x 0 França

Pelo histórico e o passado de grandes embates em categorias inferiores da nova geração espanhola e francesa, a partida entre Espanha e França era cercada por uma boa expectativa. Mas o que vimos sábado no Donbass Arena em Donetsky foi um coletivo de luxo dos atuais campeões europeus e mundiais. Os espanhóis conhecidos por dominarem o seu adversário com toques de bola colocaram os franceses numa roda enjoativa, chata e desagradável. A geração de Benzema, Bem Arfa e Diarra não esboçou o mínimo sinal de reação.

O treinador francês Laurent Blanc recuou o seu time e pagou um sério preço por isso. A Espanha foi para cima e marcou o primeiro gol com Xabi Alonso. Os campeões do mundo poderiam ter feito mais gols, mas faltou um pouco de atenção do ataque na bola derradeira. Os franceses viraram espectadores dentro de campo e somente olharam o domínio completo e sonolento do adversário. O segundo gol de pênalti feito novamente por Alonso encerrou as pretensões dos “Le Bleus”. A França ainda se ressente da aposentadoria da geração de Zidane, mas seus novos jogadores ainda precisam amadurecer muito se quiserem colocar o país da Torre Eiffel de volta aos seus dias de glória. A Espanha tranquila vai para a semifinal.

italianos vibram: vitória só nos pênaltis

Itália 0 x 0 Inglaterra – (4×2)

O resultado de 0 x 0 foi injusto para os italianos. A “Squadra Azzurra” foi muito mais time que a Inglaterra durante toda a partida. Por causa da má jornada dos bad boys Balotelli e Cassano, os ingleses conseguiram segurar a partida até a cobrança de penais. Impressionante a atuação do veterano Andrea Pirlo, no meio campo italiano. Como na Copa do Mundo de 2006, o atleta anda fazendo miséria com a bola nessa Euro 2012 e sem dúvida é um dos melhores jogadores do torneio.

A Inglaterra, depois de uma boa primeira fase, “pipocou” novamente. O meio campo inglês sucumbiu ante o talento de Pirlo e o atacante Wayne Rooney foi um fiasco. Sem ter como dominar a partida, a equipe do treinador Roy Hodgson partiu para o velho e tradicional “chuveirinho”, mas nem a entrada do grandalhão Andy Caroll salvou os britânicos. Dominados e com um Sthepen Gerard totalmente cansado o “english team” decaiu a cada minuto da partida. Buffon trabalhou bem uma única vez no primeiro tempo mas em contrapartida, os italianos criaram ao todo mais de trinta arremates ao gol de Hart. Uma diferença abissal que não traduziu o placar final do jogo. Nos pênaltis prevaleceu o talento de Buffon, a frieza malandra de Pirlo com sua cavadinha e a ruindade de Ashley Cole e Young. A Itália volta a disputar uma semifinal de Euro desde o ano 2000 e a Inglaterra mais uma vez amarga uma enorme e incômoda fila de títulos desde 1966.

Semifinais –

Amanhã –

Espanha x Portugal

Imperdível duelo Ibérico entre os campeões do Mundo e o atacante Cristiano Ronaldo. Conseguirá a estrela portuguesa desagradar toda Madrid apesar de atuar pelo Real?

Quinta-Feira

Alemanha x Itália

Já fizeram duas semifinais e uma final de Copa do Mundo. Detalhe: A Itália venceu todas as partidas. Será que a Alemanha quebrará esse tabu? Jogaço.

DEJETOS

25/06/2012

Lula, Haddad e Maluf: aliança espúria

Eu pensei que já tinha visto de tudo nessa vida.

Mas não adianta. Você sempre vai se surpreender com alguma coisa.

Não que a foto acima tenha me causado alguma indignação. Afinal de contas, Lula e Maluf se merecem. São dejetos do mesmo esgoto. Um faz de tudo para inocentar os seus parceiros no caso do “mensalão” no Supremo Tribunal Federal. Outro simplesmente é fichado pela Interpol.

José Serra, candidato a prefeito de São Paulo pelo PSDB ainda não conseguiu responder as gravíssimas acusações do jornalista Amaury Ribeiro Jr no livro “A Privataria Tucana”. Se limita a chamar do trabalho de Ribeiro de “lixo” como se isso fosse uma defesa justificável.

Mas o pior de tudo mesmo são os eleitores que votam nessas porcarias. Afinal de contas, a ditadura acabou há anos e o único motivo pelo qual vemos esses políticos inocentarem corruptos na cara dura é que damos poder a eles pelo voto.

Está na hora do eleitor dar um giro de 180 graus e mudar o cenário politico nacional. Não adianta votar sempre nos mesmos vagabundos que se aproveitam do erário público para beneficiarem seus familiares. Se o eleitor quiser ver mudanças vai ter que matar os “caciques”, ou a situação não irá mudar.

Vemos um exemplo claro no Congresso. A CPI do “bicheiro” Carlinhos Cachoeira só foi aberta porque o senador da oposição Demóstenes Torres estava envolvido. Mas, a partir do momento em que a grana de Cachoeira respingou em governadores aliados e empresas comprometidas com o governo federal, a coisa mudou de figura. A comissão parlamentar ao invés de analisar as denúncias virou apenas um mero embate inútil entre governo e oposição, tendo como um dos membros o senador Fernando Collor, o primeiro presidente a sofrer um processo de impeachment por corrupção em todo o mundo.

Agora vem a pergunta, quem colocou o Collor, Maluf, Valdemar da Costa Neto e outros  no Congresso Nacional novamente?

Adivinha…

Brasil, um país de tolos!

 

Angeli: genial

O COLISEU DA DESGRAÇA

25/06/2012

Estádio nacional de Brasília: elefante federal

Semana passada, o bicampeonato mundial da seleção brasileira completou 50 anos. Um título importante não só pela segunda estrela da camisa da seleção, mas também pela confirmação da era de ouro do futebol brasileiro.

A seleção canarinho não tinha Pelé machucado, mas tinha um certo Mané. O atacante do Botafogo fez de tudo um pouco nesse mundial. Gol de cabeça, de fora da área, dribles desconcertantes, enfim.. Garrincha foi um dos maiores responsáveis pela Copa do Mundo de 1962, junto com outros gênios como Didi, Vavá e Djalma Santos.

No entanto, apesar da data festiva, o governador do Distrito Federal, o petista e ex-ministro do esporte, Agnelo Queiroz vetou o nome do eterno camisa 7 da seleção à cara e faraônica Arena Nacional de Brasília para a Copa do Mundo de 2014.

Lembremos que o antigo estádio derrubado para a construção da nova aberração se chamava “Mané Garrincha”. Uma justa homenagem a um dos maiores jogadores da história da seleção brasileira. Mas o governador Queiroz não quer o antigo nome  no novo projeto em construção.

Sabe-se lá por quais motivos, pois vemos exemplos no mundo todo de estádio que foram derrubados e não mudaram de nome. Wembley é um deles.. Uma bobagem do tamanho da boçalidade do governador petista.

Mas talvez nem seja bom associar o nome de Garrincha em um projeto natimorto como o de Brasília. A arena é um delírio megalomaníaco realizado por razões políticas pois na capital federal, todos nós sabemos o futebol não tem força. O público dos times do Distrito Federal são irrisórios se comparados com outras capitais onde o esporte tem mais tradição e torcida.

Em Brasília, a maioria dos habitantes torcem para os times grandes do eixo Rio-São Paulo. Gama e Brasiliense, times de maior destaque do cenário do DF nos últimos anos não estão nem na Série B do campeonato brasileiro. Como esses clubes terão condições de elevar uma renda ao coliseu da desgraça nos próximos anos? Uma verdadeira piada.

Talvez nem seja bom associar o nome de Garrincha a uma palhaçada dessas. Deixem o nome como”Estádio Nacional de Brasília”. É uma bela homenagem a uma cidade conhecida por políticos corruptos. Um verdadeiro monumento a incompetência e a bandalheira.

EFEITO MICHEL TELÓ

25/06/2012

O Arsenal de Sarandi venceu o torneio Clausura e se sagrou campeão argentino. E ao contrário da notícia vinculada no portal UOL não venceu apenas o segundo turno do torneio e sim uma competição nacional. Erro crasso.  Curioso entretanto é a manchete do diário esportivo Olé que faz um jogo de palavras entre o apelido do time de Sariandi “Arse”  e a  famosa música do cantor sertanejo Michel Teló.

Até na Argentina…

O DUELO FINAL

23/06/2012

Corinthians e Boca Juniors vão começar a decidir a partir da próxima quarta uma das finais mais interessantes da Libertadores da América dos últimos anos.

Dois clubes populares, com uma grande massa de torcedores fanáticos, transloucados e apaixonados prometem um duelo histórico e inesquecível para ambas as partes dessa longa e tradicional rivalidade Brasil x Argentina.

O clube brasileiro  disputa a final da competição pela primeira vez e quer a chance de zerar as gozações das torcidas adversárias por nunca ter vencido a competição.

O time argentino deseja igualar o recorde de conquistas de Libertadores do Independiente de Avellaneda e consequentemente se tornar o clube sul americano a vencer mais títulos internacionais.

Uma disputa equilibrada em que um mero descuido de ambas as partes pode trazer uma grande alegria ou uma torrente de lágrimas.

Os xeneizes contam com as estatísticas a seu favor. Em cinco disputas de títulos da Libertadores contra clubes brasileiros, o Boca ganhou quatro, só perdeu para o Santos de Pelé. Mas o time mais popular da Argentina não é mais o mesmo que dominou o continente na década passada. Riquelme está envelhecido e seu principal centroavante é o uruguaio “El Tanque” Santiago Silva, ridicularizado pelas suas patéticas atuações no próprio Corinthians em 2002.

O alvinegro do Parque São Jorge tem um time mais coeso, disciplinado e tem jogadores experientes em competições internacionais como Danilo e Alex. Terá um leve favoritismo pelo fato de realizar a segunda partida no Pacaembu, mas isso poderá se transformar numa pressão desagradável caso o Corinthians tenha uma má jornada em Buenos Aires.

De qualquer maneira, seja lá qual for o resultado, a comemoração em caso de vitória ou de “hinchas” boquenses ou de fanáticos corintianos será avassaladora . Buenos Aires irá abaixo e a cidade de São Paulo vai ter a maior festa de sua história. Se algum dos finalistas perder a festa também está garantida, pois as torcidas rivais vão soltar uma constelação de rojões caso um dos detentores ao título de 2012 for derrotado. Aguardemos. Será uma grande final.