OS DRIBLES DE RICARDO TEIXEIRA

by

Por Jaime Sautchuk

O (ainda!) presidente da Confederação Brasileiro de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira consegue uma vez mais driblar os agentes da lei e se mantém no cargo, e fora das grades. É certo que tem suas malas prontas para se mandar pros Estados Unidos, onde já está sua família e dinheirama que surrupiou nos seus anos de CBF.

 

 
É certo que seu projeto de chegar à presidência da FIFA já naufragou. Era a estratégia montada por seu ex-sogro João Havelange, chefe da gangue que comanda a entidade maior do futebol mundial há décadas, num suceder de jogadas quase sempre nebulosas.

No livro “Os Descaminhos do Futebol”, publicado há anos, eu já contava a história dessa dinastia. Mostrava, inclusive, como o então falido empresário Ricardo Teixeira entrou no mundo do futebol, pelas mãos de seu então sogro, mas eterno comparsa, o Havelange, com ajuda de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.

Pelé, aliás, já havia sido peça chave na eleição de Havelange presidente da FIFA, em 1974. Ele ajudou a realizar, aqui no Brasil, o “mundialito” de 72, uma mini-copa, sem a participação dos europeus, mas atraindo a simpatia de países de outras partes do mundo.

Ele também rodou o mundo criando muitas entidades esportivas nacionais (as CBFs de países africanos e asiáticos). Assim, arregimentou novos membros da FIFA para Havelange se eleger, no plano global.

A trajetória financeira de Teixeira na CBF foi meteórica. Já em 93, nas eliminatórias da Copa dos Estados Unidos, quando o Brasil ia aos trancos e barrancos, a imprensa o assediou, antes do jogo contra o Uruguai, no Maracanã. Um repórter perguntou:

– E se o Brasil for desclassificado?

Teixeira foi curto e grosso:

– Pra mim, nada. Vocês é que vão ter problemas, porque não vão ter o que fazer. Eu sou um homem rico.

Diante do dito, o jornalista Armando Nogueira recheou seu texto, sempre brilhante, com uma frase que resumia tudo, e entrou pra história: ‘Sou um homem rico, não. Fiquei rico’. E foi isso mesmo, vapt-vupt.

Pelé contou inúmeras vezes que, quando Havelange lhe procurou para propor o nome de Teixeira para a CBF, seu argumento tinha dois pilares básicos. Um: embora sendo de outro ramo, seu genro tinha boas idéias para o futebol brasileiro. Dois: além disso, enfrentava muitas dificuldades como empresário.

O patrimônio de Teixeira, hoje escancarado por parte da imprensa brasileira, é de fazer inveja a qualquer milionário do mundo. Ele fez da CBF uma entidade mais que privada. É particular. Boa parte do dinheiro da entidade está em suas contas ou nas de parentes seus, os laranjas, em paraísos fiscais mundo afora.

Um exemplo é o de seu tio Marco Antônio Teixeira. Esse sujeito ficou cinco anos na folha de pagamentos da CBF, sem fazer nada, ganhando a bagatela de R$ 88.070,04 por mês. E, segundo o jornal Folha de S.Paulo, quando foi demitido, recentemente, usou de artifícios contábeis na rescisão para abocanhar mais de R$ 1.620.000,00. Isso mesmo, mais de um milhão e meio.

Parte desse dinheiro, que é lavado lá fora, volta para o Brasil e aplicados nos inúmeros empreendimentos de Teixeira, que vão de ricas fazendas a luxuosos restaurantes. Nisso, ele se beneficia da generosidade da legislação brasileira sobre sonegação fiscal e dinheiro de origem duvidosa, ou melhor, criminosa.

Em seu livro “A Privataria Tucana”, sobre as falcatruas nos governos de Fernando Henrique Cardoso, o jornalista Amaury Ribeiro Jr. trata profundamente dessa questão. E dedica bom espaço a Ricardo Teixeira, como exemplo de lavador de dinheiro sujo.

Mas, tanto no caso dele como no da gangue de FHC, que vendeu empresas públicas para embolsar o dinheiro, a legislação brasileira é branda. Nossas leis estão mais voltadas para recuperar o dinheiro (o que nunca consegue) do que punir os ladrões.

Teixeira, no entanto, está bem mais enrolado, pois há inúmeros casos comprovados de recebimento de propinas para favorecer empresários do futebol. Um caso é o de uma gorjeta de R$ 10 milhões, dada pela empresária Vanessa Precht, que superfaturou o jogo da Seleção brasileira com a de Portugal, em janeiro de 2009. Caso já comprovado.

A desgraça é que, desde a chegada de Teixeira, em 1989, a CBF se emporcalhou e, o que é pior, contaminou a maioria das federações estaduais. Vale lembrar que, até o início da década de 70 o futebol fazia parte da Confederação Brasileira de Desporto (CBD), comandada desde 1956 por Havelange.

A separação foi forçada pelo governo federal justamente para ver se acabava com a roubalheira que existia na entidade geral dos esportes. O desvio de dinheiro do “mundialito” de 72, por Havelange, chegou a irritar o então presidente República, general Ernesto Geisel, a ponto dele determinar a separação. Esforço em vão.

Teixeira teve seu atual mandato esticado para chegar à Copa de 2014, no Brasil, mas teve seu poder esvaziado pela presente Dilma Rousseff no comando dos preparativos do evento. E tudo indica que vai pedir o boné antes que o caldo engrosse. Mas fica o problema de sua sucessão. Seu vice, José Maria Marin, com mandato igualmente estendido, está com 80 anos e com a saúde fragilizada.

As pessoas de bem no futebol defendem que, agora, em vez de nomearem alguém, que sejam realizadas eleições. E que estas, desta vez, sejam limpas. Vamos torcer.

Anúncios

8 Respostas to “OS DRIBLES DE RICARDO TEIXEIRA”

  1. guina Says:

    Joga muito o tal do Ricardo Mauxeira. Rsrsrsrsr
    É um craque nas “jogadas” à brasileira! Eita Brasil. Acorda!

  2. Marcelo Abdul Says:

    Se liga Guina. Nesse quisito o brasileiro é um mero “João”. O cara deita e rola e ninguém faz nada.

  3. José Roberto Says:

    Abdul.
    O pior é que não tenho esperança de pelo menos recuperação da grana roubada.
    Não foi a toa que a cada copa do mundo o rt fretava pelo menos 2 aviões e brindava os homens do nosso judiciário com seus familiares, em alguns casos com amantes com viagens de primeira classe, estadias nos melhores hoteis nas sedes onde o brazil jogava, melhores ingressos dos estádios dos jogos.
    Tudo isso amplamente divulgado e denunciado por uma parcela que se não muito grande mas importante da nossa imprensa que diga-se de passagem há muito tempo vem fazendo sua parte com denúncias provadas e comprovadas nesse sentido.
    Mas quando vimos uma Juiza como Eliana Calmon denunciando seus pares por corrupção, malversação e ainda é tida como perseguidora, perco as esperanças de justiça.
    Não é atoa que os ministros do STF em vez de concurso são indicados pelo presidente da república, lógico para beneficiar sempre o seu indicador e seus pares.
    Cada um se vira como pode o rt não nomeia, mas dá mordomias.
    como mordomia é o que qualquer homem com poder e caneta na mão gosta o acordo está feito.
    Lembra do caso do contrabando feito após o título da copa 94 quando o falecido secretário da Receita o Osiris Lopes Filho, homem sério com bons serviços prestados à nação, indignado se pçosicionou contra a farra da sonegação em prejuizo dos cofres públicos e do povo brasileiro, foi demitido pelo “então” ministro da fazenda Rubens Ricupero, o que não tinha escrúpulos em esconder os números reais da inflação para eleger a pessoa que ocupava seu cargo antes dele.
    Não contente ricardo teixeira, teria chantageado o então Presidente da República, dizendo que impediria a equipe campeã de participar dos festejos se sua mercadoria não fosse liberada.

    Mas para dar um aspecto de seriedade veja o que aconteceu e o desfecho mirabolante.

    “Imperador “muambeiro” é condenado no Rio de Janeiro”

    Ricardo Teixeira foi condenado pelo famoso “Vôo da Muamba”, realizado há 15 anos, na chegada da Seleção Brasileira ao Brasil, logo após a conquista da Copa do Mundo de 1994.

    O muambeiro, segundo a 22ª vara federal do Rio de Janeiro, será o responsável por organizar um Mundial no Brasil, demosntração clara no que ainda nos aguarda.

    Foram “apenas” 17 toneladas de materiais ilegais, entre eles produtos para o bar em que era um dos proprietários.

    O Imperador da CBF tentou ainda pressionar os auditores da Receita para que tudo fosse liberado sem o pagamento de impostos.

    Teixeira teve seus direitos políticos cassados por três anos.

    Não poderá votar, nas próximas eleições, em seus amigos Lula e Orlando Silva Junior.

    Sem duvida, um grande desfalque para a turma da locupletação.

    É assim que se resolve as coisas no brasil.
    o cara depois de traído pela mulher,
    Vende o sofá e pronto, o caso está resolvido.

  4. José Roberto Says:

    O presidente da república na época era o então homem sério Itamar Franco.

  5. Marcelo Abdul Says:

    Só gostaria de saber o que se passa na cabeça dos poíticos em cair na chantagem desse elemento. “AH, se não liberar, a seleção não festeja em Brasília”. Beleza, Itamar deveria dizer não e além de tudo colocar o senhor Teixeira na cadeia por chantagear um funcionário público. Num país decente este senhor tentaria tocar fogo mas depois tocaria pianinho. No Brasil o único responsável por tudo ou é a própria vítima ou a bala que a matou. Teixeira teve seus direitos políticos cassados. Meu Deus! Acho que ele não vai dormir depois dessa. Rsss. É pra isso que o governo federal gasta dinheiro com advogados e processos? Pra deixar o criminoso dormir tranquilo? Em qualquer naçãocom políticos e juízes honrados Teixeira estaria preso. Mas isso passa longe por aqui. Todos estercos da mesma privada.

  6. Marcelo Abdul Says:

    Mas tocou pianinho por Teixeira né? Ah se eu fosse presidente….

  7. Paulo Rubens Says:

    Bem que tu escrevei hein Bdul? O cara não sai de lá nem por decreto. O gentinha nojenta….

  8. Marcelo Abdul Says:

    Ele tem as costas quentes. Tem apoio de muitos políticos inclusive da basedo governo federal. Aliás, muitos deles receberam generosas contribuições.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: