RESUMO DA ÓPERA – 15/11/2011

by

Fala galera. Estamos de volta com mais um “Resumo da Ópera”. No feriadão de 15 de Novembro. Poderíamos escrever sobre alguns assuntos, mas vou priorizar um dos carros chefes do blog: o Rock n´roll!

"Trovão" desse a lenha nos gringos: arrogância

Show de baixarias no SWU – O festival internacional de rock da cidade de Paulínia já apresentou momentos constrangedores. Primeiro a briga entre os roadies do Ultraje a Rigor e do xarope do Peter Gabriel. Devido a um atraso de uma hora de início do show por causa da chuva, os gringos chegaram apavorando e obrigaram diminuir o tempo de show de Roger Rocha Moreira e sua trupe. Mas os heróicos produtores da banda brasileira disseram não e meteram a porrada. O show continuou por uma hora mas bronqueados pelo sopapo que levaram no palco, os roadies do ex-Genesis desligaram o som no meio da música Marilou.

Uma senhora falta de respeito das bandas internacionais que vem aqui pegar a nossa grana e ainda tratam os artistas nacionais com desprezo e arrogância. Sinceramente eu cago e ando pro Peter Gabriel. Desde que saiu do Genesis, o cara se acha a última bolacha do pacote e tem uma carreira solo medíocre. Não foi a toa que a banda de Phil Collins, Mike Rutteford e Tony Banks fizeram um enorme sucesso mundial depois que ele saiu. Veja essa foto abaixo. O “superstar” cobriu o rosto porque não gostou de ser fotografado. Essas “prima donas” do rock são um pé no saco. Pois é Peter Gabriel e seus roadies de merda, “ a gente não somos inútil”.

Peter Gabriel: o xarope

Outro show apavorante foi da viúva mais mala do rock n´roll. A criatura se chama Coutney Love, mas poderia se chamar Courtney “Hate”. Pagando de revoltada ela ofendeu o público com palavrões e expôs os seus problemas pessoais e judiciais com o vocalista do Foo Fighters, Dave Grohl. Sem mais comentários. Peguem a história da banda do ex-baterista do Nirvana com o Hole e comparem. Não há muito que dizer. A banda de Dave dá dez voltas na bandinha de Courtney que deveria se chamar “AssHole” em homenagem à sua pavorosa vocalista. O pior foi que o público do festival gostou do showzinho da moça e aplaudiu o xilique. Por muito menos o Lobão levou ovada no Rock in Rio 2.

A volta dos Velhos Bruxos do Rock – Depois de muitos rumores e especulações finalmente o que muitos fãs do rock esperavam se realizou, o Black Sabbath está de volta. O banda de Ozzy, Tony Iommi, Gezze Butler e Bill Ward vai gravar um disco de inéditas e fará uma turnê a partir do ano que vem. Depois de discussões, reviravoltas e problemas judiciais parece que tudo está acertado entre os membros de uma das maiores bandas de rock do planeta. Lembremos que não é a primeira vez que os músicos originais ensaiam uma volta. Em 1985 e 1997 houveram tentativas mal sucedidas, mas parece que a coisa agora é pra valer. Esperamos que eles agendem um showzinho no Brasil. Com certeza os ingressos acabarão em poucas horas.

Edu Falashi – O Revoltado – O atual vocalista do Angra e Almah soltou cobras e mariposas contra tudo e todos numa entrevista para o site “Rock Express” logo após o malfadado show do “Dia do Metal” em São Paulo. Vejam a revolta do cara.

Vamos ser sinceros. O cara precisava tratar os fãs dessa maneira? Falashi erra o alvo. Xinga os fãs de Facebbok e Twitter que provavelmente são as mesmas pessoas que apreciam o seu trabalho. Hoje em dia praticamente ninguém mais compra CD´s, uma mídia praticamente morta e que muitos especialistas julgam em extinção. Além disso a história das bandas de metal brasileira pecam pela sua descontinuidade. O Sepultura hoje não é o mesmo sem os irmãos Cavalera. O próprio Angra teve um início promissor e depois de uma traumática mudança de formação, o disco “Rebirth” já com Edu Falashi nos vocais teve uma boa repercussão, mas a banda não conseguiu manter a qualidade que culminou na desastrosa apresentação do Rock in Rio este ano. André Matos depois de sair do Angra e formar o Shaman às duras penas teve que deixar a banda dois anos mais tarde por conflitos contratuais com o baterista Ricardo Confessori.

Agora eu que pergunto, que fã mais fervoroso pode acompanhar estas contantes mudanças de formação e que de uma certa forma contribuem para a descontinuidade do projeto artístico de uma banda? Aos poucos o público perde o interesse mesmo porque não vê autenticidade naquilo. Ele percebe que tudo é puro “business”.

Acho que as bandas de rock do Brasil tem que se conformar com a cena musical daqui. A grande maioria público é modinha, maria vai com as outras e aceita qualquer coisa que entre pelo seu rabo. Inclusive nos shows de rock. O que tem de patty e playboy no show do AC/DC não é brincadeira. Muitos vão lá só pra curtir e mais nada. Grande parte desse público nem tem um cd de Brian Johnson e companhia na sua casa. Mas existirá sempre um nicho de fãs mais fiéis que vão prestigiar o Almah ou o Angra. São esses 100 que vão aos shows que mantém a banda viva. Xingar os que não foram não resolve nada.

O negócio é ralar e trabalhar com o coração. Apelar dessa maneira escrota não vai resolver os velhos problemas do rock brasileiro.

Issa – Uma loirinha talentosa – Por recomendação de uma amiga, escutei o novo trabalho da vocalista norueguesa Isabell Øversveen, ou simplesmente Issa. Ao ver as fotos da moça pensei que se tratava de uma nova Britney Spears, mas me enganei redondamente. A loirinha canta pra caramba e o som é um hard rock melódico que flerta com o pop. A qualidade do trabalho de “The Storm” agrada até os ouvidos mais radicais. A moça tem talento e uma brilhante carreira pela frente. Recomendadíssimo.

Scorpions -A volta vos que nunca foram – Sempre soube que a separação e a última turnê dos Scorpions era uma bela jogada de marketing. Não deu outra, mas Klaus Meine e sua turma voltaram mas da pior forma possível. Um disco de regravações e covers. Sintoma de falta de criatividade e de busca de uns dólares a mais. As novas versões das músicas como “The Zoo”, “Rock You Like a Hurricane” e a famosa balada “Still Loving You” ficaram piores que as originais. Nos covers se destacam “Ruby Tuesday” dos Stones e “Tainted Love” de Gloria Jones. De resto um álbum burocrático e que não é digno de festejar a “volta” de uma das maiores bandas de rock do planeta.

Anúncios

6 Respostas to “RESUMO DA ÓPERA – 15/11/2011”

  1. Paulo Rubens Says:

    Pô Bdul! Sacanagem! Minha patroa também lê o seu blog e agora ela tá escutando essa tal de Issa direto. Já to decorando as músicas aqui.Ah Ah Ah! O Peter Gabriel já pediu desculpas. Mas depois da cagada já feita não tem mais jeito né?

  2. Paulo Rubens Says:

    Agora esse Edu Falashi é um cuzão! Quer dizer que sou obrigado a ver a porra da banda dele toda hora e comprar o cd dele? Afffff!
    Se liga maluco! Nem todo mundo tem saco pra ver essa panelinha Angra-Shaman-Hangar não. Que tal fazerem um disco decente e não mudarem a formação toda hora?

  3. Marcelo Abdul Says:

    O CD dela é muito legal. To ouvindo direto também. O Peter Gabriel fica nessa de “superstar” e não sabe o que acontece ao redor dele. Lamentável.

  4. Marcelo Abdul Says:

    Depois da apresentação deles no Rock in Rio ficar pedindo grana pra fã ficou feio.

  5. Geraldo "JASON" Lina Says:

    Muito sinistro esse desabafo do Edu.

  6. Marcelo Abdul Says:

    Verdade. Mas talvez ele tenha descoberto que as “nossas” bandas de metal só estão nessa situação por responsabilidade deles. Afinal eles vivem trocando a formação e há algum tempinho não fazem um disco bom. No rock não interessa a nacionalidade e sim a boa música e o fã é cada vez mais crítico e exigente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: