VELHO EMBATE, NOVOS CONCEITOS

by

Penarol e Santos decidem novamente a Libertadores: novos conceitos

Santos e Peñarol decidem a Taça Libertadores de 2011. Os dois times já se enfrentaram na decisão em 1962 e o Santos conquistou o primeiro título das Américas de sua história. Lá se vão quase cinquenta anos. O futebol era outro. Os times também. Tanto o time aurinegro de Montevidéu, quanto o alvinegro da Vila Belmiro foram os maiores clubes sul-americanos da década de sessenta. O Peñarol, com atletas como Spencer, Aguirre, Luis Cubilla, Mazurkiewicz, Forlán e Pedro Rocha ganhou 3 títulos em 1960,61 e 66. O Santos com Gilmar, Mauro, Zito e a clássica linha repetidamente conhecida como Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe se eternizou na camisa santista com o bicampeonato de 1962 e 1963.

Porém, hoje o amado esporte bretão não é o mesmo. O futebol uruguaio sofreu um processo de decadência e lenta recuperação durante os anos oitenta, noventa e dois mil. Será a primeira final de um time charrua desde 1988, quando o Nacional de Montevidéu foi campeão ao vencer o Newell´s Old Boys da Argentina. O Peñarol chegou a final aos trancos e barrancos. Com um time limitado tecnicamente e sem grandes estrelas em seu elenco, os carboneros apostaram em seu esquema de jogo defensivo e sólido no meio de campo. A única peça no time uruguaio que merece algum destaque é o atacante Martinuccio. O esquema uruguaio parece girar em torno dos contra ataques comandados por ele. Foi assim que o Peñarol derrotou o atual campeão Internacional em pleno Beira-Rio e passou com grandes dificuldades pela Universidad Católica e Vélez Sarsfield.

O Santos, que no começo do ano passou por um processo de mudanças devido a demissão do treinador Dorival Júnior encontrou um caminho com o consagrado Muricy Ramalho. O treinador, conhecido por ser um discípulo de Rubens Minelli e Carlos Alberto Parreira priorizou um esquema mais fechado, contrariando todo o belo futebol do Santos no primeiro semestre do ano passado. O resultado foi que o Santos, praticamente eliminado da primeira fase, se reacendeu e conquistou a classificação na bacia das almas. Recheado de volantes e com uma tática mais cautelosa, o peixe dependeu unicamente do talento de Neymar para chegar à final. E será ele a principal diferença nessa clássica decisão.

Peñarol e Santos campeões do mundo em 1961 e 1962: tempos que não voltam mais

O Santos por ter Neymar e um bom elenco e pelo fato de decidir em casa é o favorito a conquistar o tricampeonato da Taça Libertadores da América. Muricy tem a chance de não repetir os mesmos erros que culminaram na sua derrota em 2006 com o São Paulo. Ao que parece, não vai deixar escapar essa chance e se livrar definitivamente da alcunha de rei do “morre-morre”. O Peñarol do técnico Diego Aguirre aparece como azarão, mas tem um esquema de jogo parecido com o seu rival. O que pode equilibrar um pouco os dois jogos desta decisão.

Uma curiosidade. Será a quarta final de Libertadores da historia do Santos. Os seus dois primeiros adversários em 1962 e 1963 foram Peñarol e Boca Juniors. Na final de 2003 com o título brasileiro de 2002 e a aparição da geração de Renato, Elano, Diego e Robinho o adversário na decisão da Libertadores foi o Boca Juniors. Com uma outra grande geração de atletas surgida com atletas com Paulo Henrique Ganso e Neymar em 2010 o Santos enfrenta agora o Peñarol e repete a final mais uma vez.

Coincidência? Porque Peñarol e Boca Juniors aparecem para o peixe nas melhores épocas do clube da Vila Belmiro na Libertadores?

Só os deuses do futebol podem explicar.

Anúncios

6 Respostas to “VELHO EMBATE, NOVOS CONCEITOS”

  1. GUINA SP10 Says:

    O Santos é tão melhor, que eu acho que vai dar Peñarol!
    Confirmando assim o verdadeiro “espírito” da Libertadores. Uma competição diferente!

  2. Marcelo Abdul Says:

    Acho que o Santos teve uma sorte danada. O Peñarol é fraquinho. Mas é o Peñarol. O coração vai no bico da chuteira dos carboneros. Mas será que isso salva os uruguaios do Neymar? Não sei não.

  3. GUINA SP10 Says:

    Do Neymar, acho que eles não escapam, mas futebol é conjunto e por mais absurdo que minha declaração possa parecer, eu acho o time do Santos bem mediano, mas com dois gênios. Mas se for por futebol só, o Santos merece!

  4. Marcelo Abdul Says:

    Concordo Guina. O Santos é mediano. Esqueçam a equipe do primeiro semestre de 2010. Porém, o Santos de Muricy é mais equilibrado técnica e taticamente que o Peñarol. Mas é bom tomar cuidado. Os uruguaios dão o sangue e vão meter a porrada no moleque. Conhecendo a “charrua” uruguaia o peixe não vai ter moleza. Vou fazer uns posts sobre a Copa América e você vai ver como os uruguaios são uma parada indigesta para o futebol brasileiro. Mesmo depois da tragédia de 50 ter feito 61 anos.

  5. Geraldo "JASON" Lina Says:

    VAI PEÑAROL !

  6. Marcelo Abdul Says:

    Olha! O santo vai ter que ser bem forte hein? rssss.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: