NOITE DE TORMENTAS

by

Cuca: descontrolado

A trágica desclassificação de quatro times brasileiros para as quartas de final da Taça Libertadores da América será alvo de muitas explicações e teorias por parte da imprensa. Mas os jogos de ontem não dão margem a qualquer explicação lógica. O futebol que já nos deu muitos exemplos em sua história, não permite isso.

O blog já alertou em seu “Resumo da Ópera” uma melhor preparação dos clubes fora do eixo Brasil/Argentina nessa edição do torneio. Não bastava apenas ter um time “raçudo” ou “guerreiro” formado por jogadores dispensados de outros clubes. Foi o caso do Grêmio. Um clube que sente a ausência de Fábio Rockenback não pode ter qualquer pretensão de ganhar uma Libertadores. O Grêmio era um time fraco e foi desclassificado por um clube melhor estruturado dentro de campo.

O Fluminense acumulou problemas desde o início da temporada. Mesmo com Muricy, o tricolor das laranjeiras definhava com problemas extra campo. O time campeão brasileiro não se acertou e se classificou bravamente no “bico do corvo” contra o Argentino Juniors. Nas oitavas, o Flu fez um jogo mequetrefe contra o Libertad, mas achou dois gols quase no final do jogo e acreditou que em Assuncion a classificação estaria garantida. Não estava.

O Fluminense entrou em campo com a mesma disposição tática errada que usou no Engenhão e tomou um vareio de bola do time paraguaio. O clube carioca, nervoso e sem reação poderia perfeitamente segurar friamente a derrota de 1 x 0 e conseguir a classificação. Mas o Libertad fez mais dois gols quase no final do jogo e encerrou a heróica e breve passagem do Fluminense na Libertadores 2011.

O atual campeão do torneio, o Internacional foi derrotado pelo Penarol em pleno estádio Beira-Rio. Está certo. O Penarol é um time com muito mais tradição que o clube de Falcão, mas o futebol uruguaio não anda muito bem das pernas nos últimos anos. Como explicar uma derrota acachapante dessas dentro de seus próprios domínios?

São os estaduais? Talvez. Clubes que jogam a Libertadores da América devem abandonar as disputas regionais sem qualquer remorso. Tanto Fluminense quanto o Internacional colocaram o time titular várias vezes em várias partidas dos campeonatos estaduais. O colorado acabou de vir de uma disputa acirrada num clássico Gre-nal. Faturou a “imprescindível” Taça Farroupilha e se desgastou na partida que mais lhe interessava.

O Fluminense com um elenco picotado não se esqueceu de disputar o campeonato carioca. O Santos jogou com o time titular na semifinal do campeonato paulista contra o São Paulo. Depois viajou horas de avião para jogar contra o América do México em Querétaro. Agora o peixe joga a final do estadual contra o seu maior rival e terá que viajar novamente para Manizales para enfrentar o Once Caldas.

Muricy reclama do calendário, mas a culpa não é dos dirigentes que projetam as datas das partidas. O problema é a prioridade que cada clube. Não dá para assobiar e chupar cana ao mesmo tempo. O Independiente de Avellaneda cansou de ganhar Libertadores jogando com o time reserva pelo campeonato argentino. O Santos resolveu ganhar os dois torneios por responsabilidade do próprio Muricy. Se não fosse o goleiro Rafael talvez hoje o Brasil não tivesse nenhum clube nas quartas de final da competição sul americana. O que é mais importante para o Santos? Conquistar mais um campeonato paulista ou faturar a terceira Libertadores de sua história? Se eu fosse o Muricy eu escolheria a segunda opção. Ou seja, time reserva na final do campeonato paulista.

Mas o futebol, como já salientamos, não tem nenhuma lógica e não é uma ciência exata. Vejam o Cruzeiro, melhor campanha da primeira fase da Libertadores e ex-favorito ao título. O clube fez a cartilha certinha. Colocou os reservas na semifinal do campeonato mineiro e jogou inteiro contra o Once Caldas podendo até perder de 1 x 0. A raposa perdeu de dois gols do clube de pior campanha da Libertadores e está fora. O que se pode dizer? O que se pode teorizar disso? Que o futebol assim como a nossa vã filosofia é algo que temos muito que aprender.

Cuca, que vergonha. Um treinador de futebol jamais deve perder a cabeça como ele fez. O espírito “Kleber” baixou no técnico cruzeirense. Deve ser a sina de sempre perder para o Once Caldas na Libertadores. A primeira foi pela semifinal do torneio em 2004 treinando o São Paulo. Cuca fresca da próxima vez.

Anúncios

8 Respostas to “NOITE DE TORMENTAS”

  1. GUINA SP10 Says:

    Plagiando Herbert Vianna:
    “Marcelo Abdul falou, Marcelo Abdul avisou…”
    Parabéns Abdul, pelo seu momento mãi Dinah.
    Queria ver a cara daquele narrador separatista Pedro Ernesto agora que o Rio Grande virou um corregozinho qualquer. hahahaha

  2. Napoleão Says:

    Pô Marcelo, se não vai comentar o Torneio Aberto de Curitiba…. 6×0 é pneu!!!!!

  3. Geraldo "JASON" Lina Says:

    Eu nunca vi ninguém mais azarado como treinador que o Cuca.
    O Cruzeiro é o melhor time do Brasil e está fora.
    O futebol é realmente incrível…

  4. Hannibal Says:

    Triste a reação do Cuca hein, uma vergonha!

    Felipão, Luxa, Cuca, Falcão e Renato Gaúcho, que fase em povo.

  5. Marcelo Abdul Says:

    Ah Ah Ah! Não foi a mãe Dinah que “baixou” em mim Guina. A primeira fase da Libertadores foi complicada para muitos times brasileiros incluindo ai Santos e Fluminense. Alguns times entraram na competição achando que ia ser uma “barbada” e se deram mal. Eu gosto do Pedro Ernesto mas não gostei da narração dele na final de 2006. Ele foi infeliz. Mas o todo poderoso Mazembe nos vingou. AH AH AH AH AH!

  6. Marcelo Abdul Says:

    Rssss. Olha. Eu preferi não comentar porque quero observar melhor o Coritiba. Time com 23 vitórias, goleando um time atrás do outro. O Palmeiras tinha a melhor defesa do campeonato paulista e perdeu de seis. Acho que esse Coxa vai dar muito trabalho esse ano. Vamos aguardar.

  7. Marcelo Abdul Says:

    Verdade. Não acho o Cuca um mau treinador. Ele vai bem nos clubes até a metade. Aí… não dá pra entender o que acontece nos times dele. Essa eliminação foi inexplicável. Mas o Cruzeiro não perdeu pra um time qualquer. Perdeu para um clube campeão da Libertadores como ele. Acho que houve um certo desprezo e consequente despreparo. O famoso salto alto. Só isso explica uma derrota dessas.

  8. Marcelo Abdul Says:

    Lamentável. O Cuca tem um compotamento tranloucado as vezes. Se fosse na UEFA estaria 1 ano na geladeira. Mas estamos na América do Sul onde nem o cartão amarelo suspende. Fazer o que?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: