BALA DE FESTIM

by

Morumbi: lucro são paulino mesmo sem acolher as finais.

Um recado aos incansáveis dirigentes que desejam a todo custo prejudicar o São Paulo Futebol Clube com “vetos” ao Morumbi em finais. Toda a “kizumba” infantil da cartolada em relação ao estádio são paulino tem se revelado uma estratégia circense. Essa bala de festim atirada pela alta cúpula do futebol paulista e brasileiro saiu pela culatra. A “birrinha” e o “chororô” de certos cartolas brasileiros são dignos dos melhores filmes de comédia.

Vamos aos números.

Morumbi –                   70.000 pessoas

Pacaembu –                  40.000 pessoas

Vila Belmiro –              15.000 pessoas.

Bem, olhando esses números podemos ver qual estádio comporta mais pessoas e que consequentemente trará mais lucro ao clube mandante.

Sim! Ninguém sabe! Ou poucos sabem, mas a renda do jogo pertence ao mandante mesmo o jogo sendo no Morumbi. O São Paulo Futebol Clube só recebe um aluguel, que muitas vezes é até menor do que as taxas cobradas pela prefeitura no Pacaembu. Sempre foi assim desde que o Morumbi foi erguido definitivamente em 1970.

Dizem as más línguas que o São Paulo usa o estádio para se beneficiar dos outros clubes e ganhar dinheiro. É um argumento plausível já que o tricolor é o dono do estádio e não uma instituição de caridade futebolística. Mas essas pessoas se esquecem de que tanto Corinthians, como Palmeiras e Santos se beneficiaram muito com as enormes rendas dos jogos no Morumbi.

Pergunto aos senhores. Onde foi que o Corinthians saiu de uma fila de 23 anos? Onde o Palmeiras foi campeão brasileiro por três vezes?  Onde o Santos conquistou o brasileiro de 2002?  E para terminar, para onde foi a maior parte da renda desses jogos? Para o São Paulo?  Não! Para os clubes que agora adotam essa hipócrita postura de anti-Morumbi como se o clube dependesse dos mesmos para manter o estádio.

Mais um lembrete. Mesmo com o “lucro” dos aluguéis dos times que jogavam por lá o Morumbi dava prejuízo. Ou seja, nem Corinthians, Palmeiras, Santos e outro time do raio que o parta eram suficientes para custear a manutenção do estádio.

Isso não é tudo. Muitas vezes o São Paulo Futebol Clube tinha problemas com os atos de vandalismo das torcidas adversárias. O custo de reposição de cadeiras entre outras obras de emergência foram de um custo considerável. As partidas constantes e o pula-pula intermitente das quatro maiores torcidas do estado fizeram o Morumbi fechar em 1995 para reformas. Ou seja, o estádio foi muito usado e a estrutura foi para o saco em apenas 25 anos.

Depois das reformas do presidente Fernando Casal Del Rey, o Morumbi continuou a ser alvo de atos de vandalismo das torcidas adversárias. Banheiros quebrados e ladrilhos arrancados davam um enorme trabalho ao departamento de manutenção do clube. Em 2006, torcedores corintianos quebraram as câmeras de vigilância e colocaram fogo na arquibancada amarela do estádio. Um ato grotesco e que foi esquecido pelo Ministério Público. O local teve que ser interditado e mais uma vez o prejuízo caiu no bolso da presidência.

Em 2009 depois dos incidentes entre os torcedores do Corinthians e a Policia Militar, o presidente alvinegro Andrés Sanchez prometeu que o seu clube nunca mais atuaria no Morumbi como mandante.  Pensou que isso poderia prejudicar o São Paulo com o velho mito de que “os outros clubes” dão dinheiro ao São Paulo quando o clube do Parque Sao Jorge ganhou uma baita grana com os jogos da Copa do Brasil em 2008.

Na verdade o São Paulo percebeu a tempo que o clube jamais teria lucro dependendo da renda da bilheteria. Juvenal Juvêncio fez um acordo comercial com uma empresa de cartão de crédito e não poderia mais destinar metade da arquibancada ao clube rival. Destinou 10 % ao mandante e Andrés chiou e fez jogo de cena. Um balão de ensaio para o “Itaquerão”.

Sanchez tentou desestabilizar a cúpula são paulina como se o Corinthians fosse a principal fonte de renda do estádio. Bem, na verdade ele ganhava um baita dinheiro nas rendas e ficava com o lucro maior. O São Paulo ficava com aluguel e com o prejuízo dos atos de vandalismo.

Desde o mandato de Marcelo Portugal Gouveia, a atual administração são paulina percebeu que o Morumbi poderia ser uma enorme fonte de renda. Fez reformas estruturais e construiu mais camarotes, diminuiu o espaço das arquibancadas para a construção de empresas dentro do estádio. Foi criado um espaço comercial dentro do local com uma loja da Reebook, livrarias e um bar. Os resultados dessa iniciativa não tardaram a apresentar resultados. Em poucos meses, o Morumbi começou a dar lucro pela primeira vez e não se tornou mais uma fonte de desperdício de recursos.

Os balanços anuais do São Paulo nos últimos dois anos colocaram o Morumbi como a principal fonte de renda do tricolor. Detalhe: sem títulos e sem nenhum outr time pisando os pés por lá. Ou seja, o estádio deu lucro sem a presença de jogos dos outros três grandes. O mito de que o São Paulo “depende” da bilheteria dos outros caiu por terra.

Quando a alta cúpula da cartolada paulista e brasileira coloca um “veto” velado ao Morumbi, o torcedor são paulino tem é que agradecer o enorme favor que os dirigentes lhe prestam. Afinal de contas, o Morumbi não terá riscos de ser alvo de vandalismo das torcidas adversárias. Perguntem ao Barcelona se eles sentem falta de ter outras torcidas em seu estádio.

Não se preocupem. O Morumbi não vai falir sem a presença do Corinthians ou qualquer outro time. Pelo contrário. Só a torcida são paulina sustenta muito bem o estádio.  Se eles não querem ganhar mais dinheiro nas finais, o problema e a jumentisse é deles.

Senhor Marco Pólo Del Nero, não adianta vir com birrinha. Vossa senhoria perdeu o camarote. Seus amigos e compadres agora vão ter que pagar para ver um jogo no estádio. Não adianta querer vetar o Morumbi nas finais. Afinal de contas como mostram os últimos balancentes do tricolor, o São Paulo FC é o único clube do Brasil que ganha dinheiro com o seu próprio estádio.

Mesmo sem fazer a final do seu campeonatozinho…

Perdeu playboy!

Anúncios

14 Respostas to “BALA DE FESTIM”

  1. GUINA SP10 Says:

    Eu sou um frequentador de estádios, toda vez que viajo vou conhecer um estádio. Seja ele do tamanho que for, e tenho de admitir que quanto mais eu conheço estádios pelo Brasil, mais eu gosto do Morumbi. A federação aparentemente não precisa do Morumbi. Que bom pois o Morumbi, naum precisa dela!
    E para os idiotas de plantão que não sabem somar, o aluguel de um clássico no Morumbi, naum paga nem o salário do goleiro reserva do SP. Vendo todo esse estardalhaço criado pela mídia anti-SP, vejo pq os clubes brasileiros se encontram na lama, não sabem fazer conta de +.

  2. GUINA SP10 Says:

    Abdul estou tendo problemas com a visitação no meu blog, é que ele é bem simples, e não esta carregando bem quando a pessoa entra. Recebi tres e-mails reclamando.
    Sendo assim escrevi um post, que acho que vc vai gostar, e como meu blog tem pouca visitação, acho que se vc quiser publicar vale a pena, para que mais pessoas vejam, acho que ficou legal.

  3. Napoleão Says:

    Marcelo, fosse eu dirigente do SPFC viria a público pra informar que não mais alugaria o estádio para os clubes rivais. Explico porque:

    1 – Eles não querem alugar, fizeram uma aliança e ficaria muito difícil justificar pra seus torcedores e diretores a volta atrás.

    2 – Tomando essa posição o SPFC põe fim a essa discussão idiota que dá munição a imprensa servil que o SPFC esta de pires na mão pra que outros aluguem seu estádio.

    3 – Você que é um cara inteligente imagina o que poderia acontecer em um clássico entre a galinha e a purtuguesinha da turiassu no Morumbí??? Mesmo não sendo torcida dividida, a destruição seria imensa, sem falar nas áreas dos camarotes.

    4 – A guerra esta declarada, não vejo possibilidade de volta ao passado, estamos sozinhos, não podemos contar com fpf, cbf, tribunais e imprensa, mesmo não sendo verdade, para muitos ainda somos considerados o clube das elites, nosso parceria tem que ser com as vitórias e com o torcedor sãopaulino.

    Abraço

  4. Marcelo Abdul Says:

    Olá Napoleão. Na verdade eu acho que a diretoria do São Paulo já faz isso, mas de forma velada. Perceba que existe um enorme silêncio nos corredores do Morumbi sobre esse “veto” da FPF no Morumbi. Perceba que nem Juvenal ou Leco reclamam sobre o fato. Na verdade, quem ganha com isso é o próprio São Paulo que não tem que repor cadeirads quebradas ou gastar mais serviços de manutenção. Se a FPF não quer faturar mais dinheiro com a tal “taxinha” que sempre cobra das rendas o problema é dela. Se os outros times não querem ganahr mais dinheiro nas rendas o problema é deles. O São Paulo nunca teve muito lucro com as partidas dos outros adversários. Na verdade eram eles que lucravam mais com isso. Para o São Paulo e para a manutenção do Morumbi esse “veto” foi benéfico.

  5. Marcelo Abdul Says:

    Disse tudo Guina. O salário de um aluguel no Morumbi mal paga o salário do goleiro reserva do São Paulo. Na verdade os clubes rivais lucraram muito com o Morumbi ganhando a maior parte da renda. Isso ninguém fala.

  6. Marcelo Abdul Says:

    Tá na pedra Guina. Mais uma vez tu detonou. Quanto ao carregamento eu também não sei o que está acontecendo. Para mim o blog está carregando normalmente. Será algum problema do wordpress?

  7. Geraldo "JASON" Lina Says:

    Brimo.
    Na sua ânsia de fazer mal ao São Paulo, eles não se importam em perder dinheiro, porque pra eles os seus clubes pouco importam, o que vale mesmo é tirar a “visibilidade” do Morumbi.
    O José Roberto falou algo interessante outro dia. Imagina o mundo assistindo as finais do paulistinha – sim, estes jogos vão para vários países -e notarem a beleza e cuidado do nosso estádio. Com certeza perguntarão: “Mas como este estádio não vai para a copa no Brasil ?”.
    É o marketing da inveja, é a ratazana sorrateira escondida nas sombras dos bastidores esperando o melhor momento para atacar a dispensa alheia, leia-se dinheiro do contribuinte.
    Eu não quero mais o Morumbi sendo alugado pra essa gente.
    Eles que se virem.
    Por enquanto, até maio, são R$ 6 milhões de lucro líquido só com o templo…
    Não precisamos deles.
    Quem vai levar a melhor ?
    O tempo dirá.

  8. José Roberto Says:

    Na minha opinião o São Paulo está correto não se manifestando nesse sentido.
    Deixa a responsabilidade na mão dessa cambad, caso contrário colocariam a culpa no Juju e reverteriam a situação.
    Estou aguardando a bolheteria dos dois jogos entre curica e santos para ver qual deles terá maor públçico que São Paulço X Santos na semi-final do Morumbi, e qual a arrecadação de cada jogo, aí sim saberemos se eles estão certos em não jogar no Morumbi.
    De uma coisa tenho certeza absoluta, o Morumbi não terá prejuizo, o São Paulo não terá que repor cadeiras, azulejos etc…

  9. Hannibal Says:

    O SPFC não perdeu nada, só os amadores dirigentes que seguiram as determinações do Cara de Vômito, que continue assim, afinal estão nadando em dinheiro não é?

    Porcas sem estádio, sem grana e devendo pra todo mundo.

    Sereias apertadas num cubículo pra 20 mil, devendo horrores pro ex-presidente.

    Frangas, as mais “espertas”, pra amenizar o prejú salgaram os ingressos e hoje não passam de 28 mil no Pacaembu.

  10. Marcelo Abdul Says:

    Nossa. Como eles tiraram a visibilidade do Morumbi. Em menos de 1 ano o estádio já viu Paul McCartney, U2, Shakira, Iron Maiden, etc. Lina é bem complicado alguém lá de fora ver o campeonato paulista. Ninguém tem interesse em comercializar essa porra. Só a Globo para manter conchavo com as federações. O Marco Polo Del Nero se acha o última cereja do bolo e não consegue organizar um campeonato atraente. Pelo contrário, veja o que aconteceu nos “sorteios” da Federação.

    O São Paulo não precisa deles. E o senhor Del Nero perde a sua graninha também pois a “Taxinha” da Federação fica menor. Enfim eles que são burros e eles que se entendam.

  11. Marcelo Abdul Says:

    Concordo. O São Paulo está corretíssimo em não se manifestar a respeito. Até porque o São Paulo não perde nada com os jogos de outros times no Morumbi. O clube tem contrato com empresas que financiam as cadeiras e camarotes. Imagine se no final desses jogos tudo estiver quebrado. Dificilmente o público da semifinal entre o São Paulo e o Santos será superado. Só por mágica ou mutreta. Na Vila Belmiro que não vai ser. Pobre torcedor que vai ter que pagar ingressos majorados. Melhor assistir em casa do que passar sofrimento em filas, cambistas e toda aquela merda que a gente acostumou a ver.

  12. Marcelo Abdul Says:

    A situação do Palmeiras com a W Torre é muito complicada. A intenção é boa, mas o problema é o mesmo de sempre: dinheiro. Fazer um estádio de 400 milhões não é brincadeira. 20 mil lugares na Vila Belmiro? Fizeram algum puxadinho por lá esses dias? Acho que cabem 15 ou 17 mil. E os corintianos ainda falam que os são paulinos que são “playboys”. Eu não tenho 600 reais para comprar um ingresso. Você tem?

  13. José Roberto Says:

    Abdul.
    Graças a Deus assistí e acompanho futebol desde 1956 a primeira vez que entrei num estádio, por acaso Vila Belmiro num jogo entre veteranos dos clubes de São Paulo contra os da Baixada Santista, tive a honra e a felicidade de ver naquela noite Remo, meu grande ídolo só pelas maravilhas que meu velho pai contava dele, se já gostava das cores do São Paulo não tive dívidas a partir dessa noite me tornei Tricolino de corpo e alma.
    Portanto assisti muitas coisas boas e ruins, passei o período mais longo do nosso São Paulo sem ganhar títulos de 1957 a 1970, mas acompanhei a fase mais gostosa que foi ver nosso estádio crescendo a cada dia, meu pai comprou duas cadeiras cativas do grande Poy, maior corretor do mundo, 8 mil cativas vendidas por ele.
    Por falar em inveja dos outros contra o São Paulo postei no Blog do Lina
    este artigo que segue abaixo.
    Veja qua ainda continua atualizado, tudo por conta da inveja que move nossos adversários.
    Como diz o Ditado:
    “OS CÃES LADRAM E A CARAVANA PASSA”

    BLOG DO LINA
    José Roberto Disse:

    08/01/2010 às 00:15 | Responder

    Lina e companheiros.
    Pelo jeito devo ser o mais velho dessa turma.
    Se vocês pensam que é de hoje a inveja que move outros clubes contra o São Paulo estão redondamente enganados.
    Eu sou de 1951 portanto vou completar 59 anos de idade, acompanhei a construção e fui nas inaugurações de cada etapa.
    Em 02 de outubro de 1960, foi realizada a primeira festa de inauguração, com uma partida contra o Sporting Lisboa, vencida pelo São Paulo com um gol de Arnaldo Poffo Garcia, o Peixinho.
    E na inauguração total em 25 de janeiro de 1970 no jogo São Paulo 1 x 1 Porto de Portugal, gols marcados por Miruca para o São Paulo e Vieira Nunes para os portugueses.
    Naquela época foi criado um carnê tipo Baú da Felicidade que era chamado de Paulistão onde eram sorteados vários prêmios inclusive carros, (fuscas), foi um sucesso e ajudou muito pois entrrava boa grana.
    Aquilo incomodava demais os adversários.
    O Santos tinha o melhor time do mundo, arrecadava muito, mas não tinha capital, agora vejam o que aconteceu no peixe.
    Depois de uma longa viagem com muitos jogos pela Europa, um funcionário foi ao Velho Continente só para buscar o dinheiro das cotas, sabewm o que aconteceu? chegou com as mãos abanando e na maior cara de pau disse que a mala com a grana caiu do avião, e parou por aí. Estão rindo? mas é verdade.
    Depois compraram o Parque Balneário Hotel esperando a abertura do jogo no Brasil para explorar o cassino.
    Pagou pelo imóvel mas não ficou com ele perdeu de volta para a família Fracarolle que era a dona do imóvel e dos cinemas de Santos.
    Depois já na década de 70 num jogo contra o curixa no Pacaembú, o dinheiro da arrecadação já descontadas as despesas, era dividida entre os clubes e guardadas no mesmo cofre.
    Para azar do Santos um ladrão roubou só a parte que cabia ao Santos.
    A roubalheira e as parcerías que acontecem no curixa nem preciso falar todos vocês conhecem.
    O Palmeiras também é outro que sempre foi malhado pelos dirigentes.
    Mas então o que acontecia?
    Como o São Paulo crescia a cada dia, estava construindo o maior do mundo os torcedores dos outros clubes dizíam: cada Sãopaulino tem obrigação de levar um tijolo para ajudar na construção, tem muitos são paulinos que vão trabalhar de graça na construção porque o clube não tem dinheiro para mão de obra, o carnê é um assalto ao bolso do brasileiro, só que todo mundo comprava, na época o sorteio era transmitido pela tv Excelsior e nunca ninguém reclamou por não ter recebido o prêmio, pelo contrário os contemplados eram entrevistados antes de cada sorteio, muitos eram torcedores de outros clubes e elogiavam o São Paulo pela iniciativa e honestidade.
    Quem não se lembra das campanhas feitas com arrecadação de dinheiro para o curixa comprar jogadores? a grana era arrecadada, nunca compraram ninguém e muito menos ficamos sabendo onde foi parar a grana.
    Uma dessas campanhas foi para comprar o Paulo Cesar cajú, a contribuição era de CR$1,50, não compraram, não infirmaram quanto foi arrecadado e nunca devolveram um tostão aos torcedores, embora tenham afirmado que devolveriam, só que ninguém recebeu.
    Então o mais fácil sempre foi tentar desqualificar o São Paulo, do que cobrar honestidade e amor ao clube por parte dos seus dirigentes.
    Riam e diziam: O que adianta ter estádio mas não ganhar títulos? faziam essa palhaçada porque sabiam que se não fizessem naquele momento depois ficaría difícil como ficou e é até hoje, aliás está cada vez mais difícil.
    Vejam que cada vez que os dirigentes fazem falcatruas como tem acontecido diuturnamente no galinheiro a primeira coisa que eles fazem é acusar o São Paulo de alguma coisa.
    Se eu não posso ser bom como ele, então que ele seja tão ruim como eu (este é o lema dos invejosos).
    Resposta do Lina>

    Pow Zé, muito legal essas nuances que aconteceram e que você nos relata. Tenho certeza que vai enriquecer o conhecimento sobre o TRICOLOR e seus adversários de muitos leitores deste espaço TRICOLOR. Obrigado.

    Viu Abdul como nada mudou desde então?
    Ou melhor, o Morumbi continua mudando sim , a inveja não>
    Um abraço.

  14. Marcelo Abdul Says:

    Verdade Zé Roberto. Eu não posso considerar isso outra coisa senão inveja. Inveja de um clube que sempre olhou para o futuro enquanto era alvo de chacotas dos times rivais. Engraçado que os torcedores alienados sempre soltam cobras e lagartos do Morumbi mas nunca questionam as malandragens dos seus dirigentes. É mala que sumiu do avião, ou jogadores comprados com dinheiro de lavagem. Tudo bem, para eles só o time deles presta. Como já dissemos, o problema é deles. O tricolor não tem nada a ver com a roubalheira de outros clubes. Os cães ladram e a caravana passa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: