PASSEIO EM CAMPINA GRANDE

by

Lucas: talento no time são paulino

 

Galera, errei. E como errei. Previ um jogo duro ontem no estádio Amigão em Campina Grande. Talvez iludido pelos resultados do passado e da antiga força e do equilíbrio de tradicionais forças nordestinas quando jogam em seus domínios. O Treze é um time tradicional na Paraíba e o último campeão do estado. Jamais imaginei que o São Paulo tivesse tanta facilidade como no jogo de ontem. Rogério Ceni só foi acionado uma vez durante todo o jogo e se o tricolor paulista quisesse sairia de Campina Grande com um resultado histórico. O Sampa tirou o pé depois de marcar o terceiro tento. A partida foi uma baba. O veterano Warley que inclusive já fez seus golzinhos no Morumbi é apenas uma sombra do bom futebol que jogou no passado.

 

Isso mostra a enorme mudança e o desnível econômico dos clubes de outras regiões em relação aos tracionais centros do futebol brasileiro (São Paulo, Rio, Minas, Rio Grande do Sul). No passado o Treze poderia fazer frente ao São Paulo em seus domínios. Hoje isso é praticamente impossível. A concorrência macroeconômica do futebol globalizado não permite mais surpresas. Ontem o Flamengo venceu o Murici de Alagoas com o estádio lotado de rubro-negros fanáticos. Detalhe, o jogo era em Maceió. O futebol extrapolou fronteiras e quem paga por isso são os pobres clubes regionais que não tem a mesma mídia dos times grandes do Brasil.

 

Quanto ao jogo, o garoto Lucas, que arrebentou na seleção sub-20 já mostrou serviço logo de cara e fez uma grande jogada para o gol de Dagoberto. Depois num belo cruzamento o atacante são paulino marcou o seu segundo gol na partida. Até mesmo Fernandinho que perdeu dois gols feitos no primeiro tempo, deixou a sua marca e fechou a conta. O São Paulo cansou a partir dos quinze minutos e o Treze até ensaiou uma pequena reação, mas parou na própria mediocridade de seus jogadores. Agora o tricolor pega Corinthians-RN ou Santa Cruz do Recife na segunda fase da competição. Uma bela e fácil estreia do tricolor paulista.

Anúncios

7 Respostas to “PASSEIO EM CAMPINA GRANDE”

  1. GUINA SP10 Says:

    Não era uma bala perdida

    Ontem o que mais me marcou, não foram os gols ou os lampejos dos jogadores tricolores na Paraíba. Eu não conseguia dormir, com a imagem ainda nítida em minha cabeça, homens armados no meio de torcedores comuns. Se bem que algumas torcidas fazem uma força danada para que isso pareça normal.
    A cena poderia ser “comum” se estivéssemos no Afeganistão, Iraque ou Faixa de Gaza. Mas estávamos no Brasil, num estado conhecido pelas belas praias e dentro de um estádio de futebol. O andamento da situação é de causar espanto, simplesmente o cidadão no meio de milhares de pessoas, saca uma arma e atira para o alto.
    Aquela bala teve endereço e no meio de tanta gente provavelmente não se perdeu. E o jogo transcorreu normalmente, com a policia local fazendo o corporativismo de sempre.
    A pergunta que não quer calar; Até quando?
    A CBF não se importa com seu produto, vira as costas para o futebol do Brasil. Pois a seleção estrangeira do Brasil vende mais fácil. Logo agora que a chama se acendeu novamente, como foi bom torcedor pelos “meninos do Brasil” no sulamericano. Quase tive uma recaída, estava prestes a voltar a torcer pela seleção.
    Mas o ocorrido no estádio do Treze, me devolveu a razão.
    Aquela bala poderia ter qualquer endereço e alcançaria até mesmo a rua da Alfândega no Rio, mas não teria problemas, pois a cúpula da CBF não estaria no Local.
    Estaria na sede do futebol brasileiro…em Londres.
    Infelizmente aquela bala não era perdida e tinha dono…
    “O futebol brasileiro no Brasil”.

  2. Hannibal Says:

    http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2011/02/17/flamengo-pode-provocar-perigoso-racha-politico-neste-momento-culpa-nao-e-da-taca-das-bolinhas/

    Tá certo que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, mas é bom ver que no outro lado não tem santo, é só virar as costas e a facada acontece…

  3. Marcelo Abdul Says:

    Cartolada brasileira é assim mesmo. Um esfaqueia o outro pelos interesses do próprio clube. O senhor Ricardo “Cururu” Teixeira agradece. O São Paulo errou ao não entregar a Taça de Bolinhas ao Flamengo e o rubro negro carioca vai errrar mais ainda ao apoiar o parceiro financeiro e ferrar os outros clubes. Enfim, eles se merecem.Até o São Paulo que era “diferenciado” tá igualzinho aos outros (se é que algum dia foi diferente).

  4. Marcelo Abdul Says:

    Guina. Foi você que escreveu esse texto? Sensacional. Posso publicar? Quanto ao fato em si, mais uma vez a polícia provou que é composta por elementos sem cérebro. Por isso muitas pessoas deixaram de ir ao estádio.

  5. GUINA SP10 Says:

    Claro que fui eu véio! Pode publicar sim, nóis é parceiro.

  6. Geraldo "JASON" Lina Says:

    Chupa Abdula !
    HAUSHAUSHUAHSUAHSUHASUHASUHAUS.

  7. Marcelo Abdul Says:

    Sai fora Lina! Aqui não chupo nada não veio. Nem bala de papel…rssss. Não sabia que o futebol de outros estados estava em situação tão ruim assim. O Treze de Campina Grande é uma das “forças” da Paraíba. Esperava uma maior resistência até pelo momento irregular do tricolor. Mas foi um passeio e o Lucas mais uma vez jogou muito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: