Archive for junho \30\UTC 2010

LIXO HUMANO

30/06/2010
Anúncios

ADEUS METROSEXUAL!

30/06/2010

Espanha 1 x 0 Portugal

Cristiano Ronaldo deixa o mundial: desempenho medíocre

O atacante português Cristiano Ronaldo está fora da Copa do Mundo.  Não o considero (assim como muitos não devem considerar) um craque. O atleta  do Real Madrid é um jogador de futebol dos tempos pós modernos. Tem muito marketing,  propaganda, mas pouco futebol.  Joga bem em seu clube mas é um desastre na seleção portuguesa. Nessa Copa do Mundo realizou muito pouco. Um gol esquisito contra a Coréia do Norte  e pose para as câmeras na hora de bater as faltas.  De resto, um pífio jogador que se tornou   uma versão pálida do atleta que atuou no Manchester United e que hoje veste a camisa dos merengues.

A seleção portuguesa entrou praticamente com o mesmo esquema que jogou contra o Brasil, fechada atrás e com Cristiano Ronaldo isolado na frente. A Espanha  pressionou o goleiro Eduardo em três oportunidades obrigando o arqueiro português a realizar grandes defesas. Mas marcados pela defesa lusitana e acuados por mais um desempenho medíocre de Fernando Torres, Portugal equilibrou a partida nos primeiro tempo e teve boas chances de abrir o marcador.

Assustado pelo desempenho da marcação portuguesa,  Vicente Del Bosque trocou o improdutivo Torres por  Llorente. A Espanha começou a ter mais  presença na área lusa  e começou a voltar a ser a “Fúria” que conquistou a Euro 2008.  Com toques precisos os espanhóis conseguiram furar a retranca portuguesa num belo passe de calcanhar de Xavi para o artilheiro Davi Villa marcar o seu quarto gol na Copa do Mundo. Esse sim um goleador de verdade.

A Fifa e suas “eleições” de melhor em campo são uma piada. Em duas oportunidades a maior farsa do futebol português foi escolhido o melhor em campo sem ter feito uma grande partida em nenhuma delas.  A Fifa precisa aprender que “craque” é o que faz o time jogar por causa dele e não o contrário. Temos vários exemplos como Pelé, que dispensa apresentações, Maradona que carregou praticamente a Argentina sozinho em duas Copas e Zidane que fez a seleção da França desabar futebolisticamente após a sua aposentadoria.

A saída de Cristiano Ronaldo da Copa do Mundo foi uma derrota do marketing excessivo e exagerado presente no mundo da bola. Com a Espanha classificada no duelo contra o Paraguai pelas quartas quem ganha é o futebol. Quanto ao craque metrosexual sugiro que faça uma cutis ou passe um laquê no cabelo para aliviar a sua tensão, a noite será longa.

COPA 2010 – NÃO, ELES NÃO SÃO FALSIFICADOS!

30/06/2010

Paraguai 0 (5) x 0 (3) Japão

Cardoso converte: O Paraguai faz história na Copa do Mundo

O Paraguai alçou o seu vôo mais alto na sua curta história em Copas do Mundo. Depois de vencer o Japão nos pênaltis é a primeira vez que a seleção paraguaia passa para uma quarta-de-final no mundial e a primeira vez que fica entre os oito primeiros do torneio, fato que levou o treinador argentino Gerardo Martino às lágrimas pelo feito inédito.

Mas o caminho para conseguir a inédita classificação não foi fácil. O Japão foi uma equipe guerreira e que lutou o tempo todo no seu tradicional jogo disciplinado e tático que surpreendeu Camarões e Dinamarca.  Ambos os times tinham esquemas táticos muito parecidos e a partida foi dura, disputada e sem muita emoção. Os nipônicos tentavam a toda hora superar a defesa paraguaia com lançamentos para Honda, o craque do time, mas a “ligação direta” sempre parava na dura e truncada defesa  do escrete paraguaio que, em contrapartida,  raramente ameaçava o gol de  Kawashima com a exceção do atacante Barrios.

A prorrogação e os pênaltis foram inevitáveis numa partida em que os dois times poucos arriscaram. O Paraguai converteu todos as penalidades mas uma bola no travessão do zagueiro japonês Komano desfez o sonho dos “samurais” a passarem para as quartas. A Ásia está fora do mundial 2010 e teremos quatro sul americanos nas quartas com boas possibilidades de termos uma “Copa América” na semifinal. Um feito que seria inédito e marcante numa Copa do Mundo.

COPA 2010 – UMA VITÓRIA TRANQUILA, MAS…

30/06/2010

Brasil 3 x 0 Chile

Juan comemora: a defesa brasileira é o ponto de equilíbrio do time

O Brasil goleou o Chile com ampla autoridade no estádio em Joanesburgo.  O Chile como se esperava, não foi páreo novamente para o estilo de jogo brasileiro e disse adeus a Copa do Mundo. Mas apesar da vitória brasileira a equipe apresenta problemas que poucos jornalistas ousam falar.

A primeira são as atuações irregulares de Robinho, que apesar de marcar o seu primeiro gol em Copas do Mundo está tendo atuações muito abaixo de sua capacidade e que não lembram nada o jogador de anos e até meses atrás quando atuava pelo Santos. A segunda é o meio campo que não cria e só destrói. O Brasil não tem um centro criativo capaz de criar jogadas que façam o ataque brasileiro funcionar adequadamente. Luis Fabiano muitas vezes é pouco acionado e tem que recuar para conseguir a bola ou tem que fazer a função de “pivô” . A ausência de Kaká ou até mesmo  de Elano como observamos no jogo contra Portugal pode se tornar um problema.

O maior exemplo foi na partida de ontem em que se precisou furar a defesa chilena com uma cabeçada do zagueiro Juan nuam bola parada. A partir dai o time canarinho  se soltou e até mesmo Kaká livre de marcação deu um passe preciso para Fabuloso marcar o segundo gol. Porém,  o Kaká que vemos em campo não é o mesmo de 2007.  São poucas jogadas de sua maior característica, as arrancadas, fruto talvez de sua misteriosa contusão.

O Brasil consegue vencer pelo  seu fortíssimo sistema de marcação. Uma defesa e meio campo quase impenetráveis comandados pelo monstros Lúcio e Juan. Mas a seleção canarinho sobrevive à custa dos “espasmos” de seus maiores jogadores, Kaká e Robinho.  Se um deles falha a nossa defesa fica sobrecarregada pois os dois são as duas maiores armas no tradicional contra ataque do time de Dunga.  Somente o excelente lateral  Maicon não poderá avançar a toda hora  e deixar a retaguarda livre para o adversário.

Se no passado o Brasil se destacava pelos seus atacantes e por uma defesa tradicionalmente razoável hoje vemos exatamente o oposto. É o sistema defensivo brasileiro que “segura o pepino” e se torna a principal chave do sucesso da seleção brasileira nessa Copa do Mundo.   Mas se Kaká e Robinho melhorarem sua performance, o Brasil poderá ir longe. Caso contrário, a equipe terá problemas.

COPA 2010 – A VITÓRIA DA “MECÂNICA” LARANJA

29/06/2010

Holanda 2 x 1 Eslováquia

Robben marca o seu segundo gol na Copa 2010: holanda pragmática

A Holanda depois da excelente primeira fase da Euro 2008 e de uma boa campanha nas eliminatórias prometia um futebol de encher os olhos. Mas a partir do primeiro jogo no mundial da África ca do Sul vemos a Holanda mais pragmática da história de todas as Copas do Mundo. O seu esquema é muito parecido com o Brasil mas tem um melhor toque de bola no meio campo e um ponta avançado.

Para vencer a Eslováquia os holandeses não precisaram suar muito. Logo de inicio de jogo um belo lançamento de Sneijder caiu nos pés de Robben que dominou a bola com categoria e fuzilou de fora da área.  Os eslocavos bem que tentaram uma reação mas o seu principal jogador Hamsik estava muito bem marcado pela retaguarda laranja e o time do técnico Wladimir Weiss só conseguia chegar ao gol holandês por lances individuais do artilheiro Vittek que estava com o pé fora da forma e  que perdeu lances incríveis.

O tempo foi passando e os holandeses sem se arriscar gastavam o tempo necessário para encontrar outro erro adversário.  No final da segunda etapa, num outro lançamento Kuyt  conseguiu tomar a bola da defesa eslovaca  e dar a sobra para Sneijder que aumentou a diferença. Nem o pênalti convertido por Vittek adiantou muito porque o juiz apitou o final  da partida logo em seguida.

Hoje, vemos uma nova  e surpreendente Holanda. Um time que tem grandes jogadores, mas não se arrisca. Que tem a qualidade de ser uma equipe com pontas como Elia ( o Robinho deles) e Robben, mas não abre mão da marcação e do domínio do meio campo.  De fato, essa laranja é mais mecânica do que nunca, mas mesmo assim não deixa de ser perigosa.

COPA 2010 – A IMPOSIÇÃO ARGENTINA

28/06/2010

Argentina 3 x 1 México

Tévez comemora o terceiro gol: vitória argentina com uma "ajudinha" do árbitro

Mais uma vez um erro de arbitragem determinou  o resultado de uma partida. O México até que começou bem o jogo bloqueando Messi e todas as funções ofensivas do time argentino. Mas um erro de julgamento do árbitro  Roberto Rosseti determinou a abertura do placar para os “hermanos”.  O atacante Tévez estava impedido no momento em  que recebeu o passe de Messi e fez o gol.  Rosseti e seu auxiliar ainda sob o “efeito Larrionda” discutiram o lance, mas o juiz italiano confirmou o gol. Bem, ele não é um Colina.

Os mexicanos foram obrigados a abrir sua retranca para empatar e os hábeis argentinos se aproveitaram das falhas bisonhas do sistema defensivo mexicano para marcar o segundo gol. Higuain recebeu um presente de Osório e marcou o seu quarto gol na Copa do Mundo. É por enquanto, o artilheiro isolado do torneio com quatro gols.

Sem ter chance de fazer frente ao batalhão argentino, o México viu sua classificação ruir quando Tévez acertou um petardo que entrou no ângulo do goleiro Pérez. A Argentina relaxou após o terceiro gol e permitiu um tento de honra dos mexicanos com Hernandez.  É a quinta eliminação seguida do México numa oitava-de-final.  Desde 1986 os mexicanos não sabem o que é passar para as quartas. E nem mesmo a frase ‘jogamos como nunca e perdemos como sempre” pode ser atribuída. Os mexicanos só tiveram um único momento de brilho no Mundial contra a decadente França.

A Argentina enfrenta novamente os alemães numa Copa do Mundo. Por coincidência, na mesma fase que em 2006. Na Copa da Alemanha, os donos da casa se classificaram nos pênaltis e levaram a melhor.  Será o dia da revanche?

COPA 2010 – O “ROUBO” E A GOLEADA

28/06/2010

Alemanha 4 x 1 Inglaterra

A bola entrou e só o juiz não viu: burrice da Fifa

A Alemanha mais uma vez superou os seus rivais ingleses em uma copa do Mundo e se classificou para as quartas-de-final. Mas independente da goleada imposta por Özil e companhia um lance mudou toda a história da partida. Após duas falhas terríveis do miolo de zaga inglês os súditos da rainha Elizabeth II ensaiaram uma reação após o gol de cabeça de Upson. Logo no lance seguinte o apagado Lampard chutou uma bola fora da área que quicou dentro do gol alemão e saiu. Todo os planeta  no estádio viu que a bola entrou. Menos o árbitro e seus auxiliares.

Aí se revela a suprema arrogância da associação mór  do futebol, a Fifa. Imediatamente depois da absurda decisão do trio,  a final da Copa de 1966 foi lembrada. Ou seja, após 44 anos Josefff Blatter e seus asseclas agem como Vaticano e não enxergam que a modernidade chegou a todos os níveis de nossa sociedade. Blatter diz que a colocação de recursos eletrônicos no futebol “acabaria com a paixão”. Uma justificativa imbecil, mequetrefe, podre e banal.

O tênis, o vôlei, o basquete e até mesmo a bocha tem tecnologia para evitar erros e mesmo assim a paixão do torcedor por esses esportes não diminuiu, pelo contrário. Agora permitir o “roubo” é uma ofensa a todos que vivem e amam o futebol. As pessoas que dão milhões de audiência e dinheiro aos cofres de Blatter, aos torcedores no estádio que se sentem ultrajados e principalmente aos elencos das seleções que se matam de treinar para jogar uma Copa do Mundo e são garfados por um erro de arbitragem.  Isso não desperta nenhuma paixão ou polêmica senhor Blatter, mas sim nojo e indignação.

Em casos como o do gol de Lampard a tecnologia seria bem vinda no auxílio aos árbitros. E nem seria preciso um “chip” na bola. Bastaria o árbitro conferir o replay no telão do estádio ou ser avisado por um quinto árbitro que acompanharia o jogo por uma TV e avisaria das irregularidades. Muito simples, mas a “toda  poderosa”, a “intocável” e brega Fifa não quer. Ela  não deseja tranparência no mundo do futebol. Não é a toa que são “amiguinhos” de Ricardo Teixeira.

A Inglaterra poderia ter empatado o jogo em 2 x 2 e a partida ficaria muito mais eletrizante ao contrário do que a charopada de Blatter prega. Mas os ingleses tiveram que sair no ataque para diminuir o prejuízo e tomaram mais dois gols de contra golpe.  Um erro determinou toda a sorte de uma partida que poderia ser muito mais emocionante. Infelizmente o mérito da vitória alemã só chegou até a metade do livro.

Os germânicos vão para as quartas-de-final e a Inglaterra volta mais cedo para casa. Mas tudo poderia ser diferente se Blatter não enxergasse uma paixão que somente ele vê. Uma ideologia antiga e atrasada como um discurso de Bento XVI. Blatter é o papa da lambança e da esculhambação.

Troféu Equines Rimet – O troféu Equines Rimet não perdoa ninguém seja jogador, técnico ou dirigente. E o troféu vai para Joseff Blatter, o suíço presidente da Fifa . Ele insiste em não usar recursos eletrônicos no futebol e seu filme continua sendo queimado pelas más decisões dos árbitros. Merece a nossa premiação  com louvor.

COPA 2010 – A ÁFRICA RESISTE

27/06/2010

Gana 2 x 1 Estados Unidos

Gyan marca na prorrogação: Gana vai para as quartas.

O único representante da África na Copa 2010 está nas quartas-de-final da Copa do Mundo. Os estrelas negras venceram o bom time dos Estados Unidos por 2 x 1 e repetiu o feito de Camarões e Senegal, os dois únicos países do continente africano a participar dessa fase em mundiais.

Porém diferente de seus antecessores Gana apresenta um futebol tático, disciplinado e europeizado.  Contra os Estados Unidos os ganeses apresentaram toda a sua força logo aos quando Boateng roubou a bola no meio campo e ficou  livre para marcar. O gol de inicio quebrou todo os sistema tático americano que passou a pressionar os africanos.

No segundo tempo os estadunidenses melhoraram a marcação e o domínio no meio campo e começaram a entrar na área ganesa.  Donovan começou a aparecer e a obrigar o  goleiro Kingson fazer boas defesas. Gana pressionada pelo ímpeto americano abriu a caixa de ferramentas e a defesa africana cometeu penalti em Dempsey. O craque americano Donovan empatou com categoria.

Após o empate, Gana e Estados Unidos fizeram uma partida muito equilibrada,mas ambas as equipes não abriram mão de seu esquema tático até a prorrogação. O que pesou nos acréscimos foi o talento e o físico de Gyan que ganhou a bola da defesa estadunidense e colocou na caixa de Howard. Gana passou a tocar a bola e a “costurar” a partida buscando ganhar tempo.  Os americanos cansaram e não conseguiram reagir.  Os estrelas negras continuam a ser bravamente os únicos representantes da África no mundial e caminham para uma inédita semifinal. Os americanos voltam para casa mais cedo mas deixaram uma boa impressão para o futuro.

COPA 2010 – A RESSURREIÇÃO DA CELESTE

26/06/2010

Uruguai 2 x 1 Coréia do Sul

Lugano e Forlán festejam a classificação: a celeste ressurge no mundo do futebol

Nem o mais confiante torcedor uruguaio poderia acreditar que a sua seleção fosse tão longe nesse mundial. Mas o Uruguai contrariando todas as expectativas está nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul.  Um time que conseguiu a classificação somente na respescagem empatando com a Costa Rica dentro do estádio Centenário. Um futebol julgado por muitos como decadente e sem nenhum brilho.

Mas hoje no estádio Nelson Mandela Bay em Port Elizabeth a “celeste olímpica” ressurgiu para o mundo.  Venceu a Coréia do Sul numa grande partida por 2 x 1 e pela primeira vez desde 1970 está a um pé das semifinais da Copa. Os uruguaios começaram o jogo com a mesma formação que se acertou na primeira fase com Forlán organizando o jogo no meio campo e Luis Suárez levando perigo a meta sul coreana.

Numa bobeada da defesa asiática o atacante do Ajax marcou o primeiro gol. Os sul americanos no entanto recuaram no segundo tempo e permitiram a reação sul coreana quando o goleiro  Muslera falhou na saída e e Lee Chung Yong empatou de cabeça .

O treinador Oscar Tabárez  então colocou a jovem revelação Lordeiro e a celeste voltou a carga pressionando o seu adversário.  Até que o atacante Luis Suárez deu um lindo chute de curva que foi para o fundo da rede de Jung Sung Ryong.  Um golaço. A Coréia ainda desperdiçou uma grande oportunidade com  Park Chu Young que chutou fraco e permitiu que o zagueiro Lugano chegasse na bola. Depois de 40 anos o futebol uruguaio está entre o oito melhores do planeta e entrou no lugar de onde nunca deveria ter saído: entre os grandes do futebol mundial.

BRASIL X CHILE

26/06/2010

Será o terceiro encontro de Brasil e Chile em Copas do Mundo. E pelo prognóstico anterior, os chilenos devem temer e muito a seleção brasileira. Em 1962 na Copa realizada no Chile o time da casa fazia uma grande campanha e se encontrou com o Brasil, campeão mundial, no estádio nacional de Santiago pelas semifinais. Mas o entusiasmo da torcida chilena não foi sufiente para parar um endiabrado Mané Garrincha. O Brasil goleou os donos da casa por 4 x 2 numa partida tumultuada em que o próprio Garrincha foi expulso. A seleção brasileira foi para a final e conquistou o bi. O Chile chegou a um honroso terceiro lugar.

O segundo duelo entre Brasil e Chile em Copas do Mundo se deu na Copa de 1998 na França. O Brasil de Zagallo  vinha de uma derrota para a Noroega  no último jogo da fase de grupos e vinha sendo muito criticado até então. O Chile que se classificou para as oitavas com 3 empates na fase inicial tinha grandes jogadores como Marcelo Salas e Ivan “Bam Bam” Zamorano.  Mas o Brasil de Rivaldo, Dunga,  César Sampaio e Ronaldo se acertou e goleou o Chile por 4 x 1. A seleção canarinho caminhou até a final e perdeu para a França de Zidane por 3 x 0.

No entanto o jogo mais polêmico da história entre Brasil e Chile foi pelas eliminatorias da Copa de 1990.   A bronca começou na Copa América de 1987 quando o Chile dirigido pelo provocador Orlando Aravena goleou o Brasil por 4 x 0 e foi até a final do torneio.

Por coincidência o Chile caiu no grupo do Brasil pelas eliminatórias da Copa da Itália e o sempre bufão Orlando Aravena garantia que eliminaria o Brasil sempre lembrando da trágica goleada do time de Carlos Alberto Silva. No primeiro jogo em Santiago armou-se uma das maiores tumultos da história do jogo.  O lateral  Branco foi acertado violentamente pelo jogador Ormenho que não foi expulso pelo árbitro Jesus Dias Palacios.  Logo depois Romário tomou o cartão vermelho por cair na provocação dos desleais chilenos. O Brasil marcou o primeiro gol depois de uma lambança da defesa chilena. Mas o pior estava por vir.

O árbitro Jesus Dias Palacios acusou um “sobrepasso” do goleiro Taffarel e permitiu que os chilenos batessem a falta rapidamente. Sem ter tempo da defesa brasileira se recompor os chilenos empataram.  Palacios correu junto com o time da casa como se ele mesmo tivesse feito o gol. Uma vergonha.

Todas as polêmicas e provocações de Aravena continuaram no jogo decisivo no Maracanã. O s chilenos eram inferiores tecnicamente e tentariam ganhar a classificação de qualquer maneira. O Brasil começou muito bem e fez um gol com Careca. Quando o Chile viu que a vaca ia para o brejo montou uma das maiores farsas da história do futebol.

A torcedora Roninery Mello (que mais tarde até sairia na playboy) soltou um sinalizador marítimo que caiu perto do goleiro Roberto Rojas que viu o clarão e se jogou.  Todos os jogadores chilenos correram para o encontro do goleiro afirmando que Rojas fora atingido por um morteiro.  Rojas que tinha uma lâmina na luva se cortou e o Chile abandonou o jogo alegando falta de segurança.

Aravena esperava que a Fifa caísse na conversa e que desclassificasse o Brasil. Mas o tiro saiu pela culatra. A Fifa investigou o jogo e a maracutaia foi descoberta. O Chile foi suspenso de disputar qualquer torneio da Fifa por quatro anos e Aravena e Rojas foram banidos para sempre do futebol. O Brasil de Lazaroni se classificou e o Chile ficou no purgatório por oito longos anos.