O SANTO GRAAL DO PARQUE SÃO JORGE!

by

Dentinho lamenta a desclassificação corinthiana: vitória amarga

Pacaembu, jogo decisivo pela Taça Libertadores da América e mais uma vez o timão repetiu a mesma velha história de edições anteriores: a desclassificação.

Desde a conquista da Copa do Brasil ano passado, o clube paulistano apostou todas as suas fichas e  seu centenário nesse torneio. Manteve Ronaldo e boa parte do elenco do ano passado e contratou nomes consagrados como Roberto Carlos e bons jogadores como Danilo, Theco e Iarley. Com um bom elenco e a experiência de Mano Menezes no torneio, o Corinthans se credenciou como um dos favoritos ao título.

A campanha do alvinegro da Parque na primeira fase (a melhor da competição) indicava que o timão conseguiria conquistar o seu torneio mais almejado. Uma primeira fase impecável com 5 vitórias e apenas um empate  era a constatação de que o Corinthians estava no caminho certo.  Mas o que deu errado para que a melhor campanha da primeira fase descarrilhasse da linha até o título?

Muitos fatores podem ser colocados em questão: Ronaldo em má forma física, o estilo pragmático de Mano Menezes, a falta de definição de um time titular, etc. De todas as opções a que é mais convincente é o inchaço do elenco no começo do ano. A diretoria corinthiana contratou 3 meio campistas e nenhum deles ganhou a titularidade absoluta no time.  Os “rodízios” no campeonato paulista e na primeira fase eram constantes.  Contra times do interior paulista e equipes de menos calibre na Libertadores como o Racing do Uruguai isso até poderia ser razoável. Contra um gigante como o Flamengo não.

O Corinthians foi eliminado ontem porque teve o azar de pegar um clube grande como ele, dono de uma torcida imensa e de jogadores tarimbados como Vagner Love e foras de série como Adriano. Um clube em crise, com um técnico interino querendo mostrar serviço e com alguns atletas com uma amarga experiência em Libertadores. Léo Moura ainda deve sentir arrepios na espinha quando escuta o nome Cabañas.

Um time que cresce em momentos adversos como provou em muitos momentos em sua história. O Corinthians por azar, estava no meio do caminho. O roteiro que os corinthianos previam estava certinho. Com o primeiro lugar e a melhor campanha do torneio o timão pegaria o time de pior campanha do torneio e jogaria em casa a partida decisiva. Mas o Flamengo derrotou os piores prognósticos e jogou com raça no Maracanã.

A derrota por 1 x 0 no Rio não abalou o ânimo da torcida e dos jogadores corinthianos, pelo contrário. O Corinthians começou a partida de volta no Pacaembu a todo vapor. Encurralou o Flamengo em seu campo e fez dois gols galopantes.  O rubro negro carioca, assustado pela pressão, não conseguiu articular as suas jogadas e saiu cambaleante aos vestiários. Tudo indicava que o alvinegro sairia dali com a classificação garantida.

Vagner Love marca o gol da classificação: superação rubro-negra

Mas em um clássico de tamanha importância os detalhes contam e muito. O treinador Rogério Lourenço  tirou Vinicius Pacheco  e  colocou o experiente Kleberson e o meio campo carioca se reorganizou no segundo tempo.   O gol de Vagner Love logo aos 5 mintuos foi uma prova de que a alteração surtiu o efeito desejado.

Mano Menezes preocupado com a queda de produção de sua equipe resolveu mexer no ataque e no meio campo alvinegro colocando Iarley e Jucilei e tirando o bom Elias e Jorge Henrique. Mas o ímpeto corinthiano havia se perdido de vez.  O Corinthians pressionava mas esbarrava na boa defesa flamenguista que vencia todas as bolas pelo alto. E no último lance do jogo, Bruno fez uma defesa mosntruosa na cobrança de falta de Chicão. Foi o fim do sonho para a fiel.

O Corinthians mais uma vez amarga uma desclassificação na Copa Libertadores. Talvez a mais doida de todas, pois a diretoria apostava tudo nesse torneio no ano de seu centenário. A Taça Libertadores é o Santo Graal do Parque São Jorge. Um troféu que parece inalcançavel e inatingível como uma relíquia sagrada.  Um dia a Libertadores virá para o timão, mas não nos primeiros 100 anos de sua história como imaginava os seus torcedores e a sua arrogante diretoria.

Anúncios

2 Respostas to “O SANTO GRAAL DO PARQUE SÃO JORGE!”

  1. Geraldo "JASON" Lina Says:

    OLHA O TAMANHO DA BOCA DO LEONARDO MOURA.
    ELE ENGOLIU O ROBERTO CARLOS E A INFIEL.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ***(*) ******(*)

  2. Marcelo Abdul Says:

    Não só ele como o time todo do Flamengo no segundo tempo. O “interino” Rogério Lourenço engoliu o experiente Mano Menezes. O Corinthians caiu no segundo tempo e foi eliminado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: