Archive for abril \29\UTC 2010

ELE ESTÁ DESCONTROLADO!

29/04/2010

Richarlyson se revolta com a expulsão: mais uma na era Ricardo Gomes

Um empate fora de casa é um resultado considerado excelente por alguns treinadores. Para Ricardo Gomes deve ter sido um  verdadeiro orgasmo conseguir igualdade contra um time fraco como o Universitario do Peru. O São Paulo apresentou os mesmos defeitos das partidas anteriores. Um meio campo fraco e que não encosta na frente, um centroavante desinteressado como Dagoberto e… Richarlyson.

Sim colegas, a maior jóia da coroa de todos os treinadores polivalentes que passaram pelo São Paulo desde 2006 aprontou mais uma. Fez duas faltas violentas e foi justamente expulso pelo árbitro argentino Saúl Saverni. Depois deixou o campo “revoltado” pela atitude do árbitro e chutou a porta do vestiário. Como se dar duas entradas violentas no adversário não merececem um mísero cartão amarelo.

A partir daí o tricolor foi incrivelmente pressionado pelo time peruano. Não tomou gol porque o Universitario é um time medíocre e com uma pontaria questionável. Mesmo assim algumas jogadas provocaram calafrios na torcida são paulina. Miranda e Alex Silva mais uma vez salvaram o dia. A dupla de defesa é uma das poucas luzes que brilham no nebuloso time de Ricardo “Gargamel” Gomes.

Os defeitos se sucedem desde o ano passado.  O esquema de Gomes incrementa volantes sem nenhuma criativade e  sobrecarrega a defesa. Se Hernanes, o único volante mais técnico da equipe tem um dia ruim como hoje, a retaguarda paga o pato. Gomes aposta do futebol pragmático e no erro do adversário.   Quando ele não acontece os contra-ataques contra a meta de Ceni são quase sempre fatais.

O São Paulo vai se classificar terça-feira. Tem melhor time. Mas a forma que o clube joga faz a torcida olhar o clube com a pulga atrás da orelha. O São Paulo não entusiasma ninguém. É burocrático, chato e tem jogadores que jamais deveriam vestir a camisa são paulina.

Richarlyson merece uma reserva brava depois do que fez hoje. Não é a primeira vez que ele é expulso nessas circustâncias. Aliás, mais uma no rosário de cartões vermelhos do time de Gomes desde o ano passado.  Tudo isso fruto de um esquema que deixa os volantes medonhos tomarem conta do meio campo e olharem o adversário jogar.

O resultado disso?  mais faltas e espulsões para o nosso time. Menos bolas para os nossos centroavantes e mais cruzamentos para a dupla de defesa sãopaulina tirar.  Querem uma prova?

Quantas faltas o Rogério bateu esse ano?

Como bater faltas se a bola nunca chega lá?

Emoções fortes virão por aí.

NA RAÇA! É MENGO!

29/04/2010

no primeiro duelo Adriano x Ronaldo o imperador levou a melhor: raça

Tudo indicava que o Flamengo iria se dar mal nessa primeira partida das oitavas-de-final da Libertadores. Técnico e diretor de futebol demintidos, equipe desmotivada pela perda de um estadual. Qualidade dos jogadores posta em dúvida…

Mas o que seu se viu ontem no Maracanã são aquelas  partidas em que o torcedor se apaixona cada vez mais pelo time. O Flamengo foi puro coração.  Com uma chuva impiedosa e um gramado encharcado, o clube carioca superou o poderoso  Corinthians por 1 x 0 com um jogador a menos na maior parte do tempo.

A equipe de Mano Menezes em compensação, não jogou nada. Ronaldo esteve irreconhecível e pouco ameaçou o gol de Bruno. Não duvidem que vai ter corinthiano dizendo que Ronaldo “sentiu a pressão do Maracanã” e que fez “corpo mole”.  Na verdade o centroavante alvinegro está sem  rítmo de jogo.  Foi nítida a falta de entrosamento dele com o time, fora a impressionante marcação da defesa flamenguista sobre ele.

A pressão para o jogo de volta vai ser enorme. A torcida e a imprensa corinthiana vão transformar a segunda partida no Pacaembu num inferno já que a diretoria do time paulista aposta todas as suas fichas nesse torneio desde o ano passado, agravado pelo ano do centenário. Portanto preparem-se, o jogo de quarta que vem será um verdadeiro “pega pra capar”.

O “IMPERADOR” DA CONTRADIÇÃO

28/04/2010

Há 6 anos…

Maracanã tem que ser explodido”, afirma Ricardo Teixeira

Fonte : Portal UOL

Em depoimento gravado para o seminário “Financiamento, retorno e oportunidades nos negócios do esporte no Brasil”, que está sendo realizado na cidade de São Paulo, nesta segunda-feira, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, afirmou que o maior estádio do mundo tem que ser explodido pois seria impossível deixá-lo de acordo com as exigências da Fifa para receber uma Copa do Mundo.

a

“O Maracanã tem que ser explodido. É impossível refazê-lo, ou mesmo adaptá-lo para receber uma Copa do Mundo”, disse o dirigente máximo do futebol nacional. Devido ao rodízio de continentes proposto pela Fifa para organizar a Copa do Mundo, o Brasil tem grandes chances de abrigar o evento em 2014.

“Seria, por exemplo, impossível fazer três mil vagas de estacionamento nas imediações do estádio”, explica Teixeira. “Não vejo o Maracanã sendo usado durante uma Copa do Mundo”, complementa.

Teixeira explicou que não é preciso estádios tão grandes para a realização de uma Copa do Mundo. “Para realizar um evento desses é necessário apenas dois estádios com capacidade para 80 mil pessoas. Os outros podem ser de 40 mil que está ótimo”.

O presidente da CBF aproveitou a oportunidade para fazer campanha a favor da candidatura brasileira para 2014. “O país tem facilidade para realizar o evento. Todas as capitais têm aeroportos com capacidade para receber jatos de todos os tamanhos”.

Numa crítica velada ao Comitê Organizador do Pan-Americano de 2007, no Rio de Janeiro, Teixeira aproveitou para divulgar a sua idéia sobre quem deve gerenciar a campanha brasileira para a Copa de 2014. “Se o país receber a Copa, o comitê tem que ser presidido por um empresário. Não adiante me colocar lá. Tem que ser alguém independente da CBF”.

O ex-genro de João Havelange também defendeu os clubes brasileiros. Segundo Teixeira, a Lei Agnelo-Piva deveria ajudá-los pois são eles os grandes formadores de atletas e não as confederações e federações. “Os clubes formam os atletas por isso têm que receber dinheiro”, decreta.

Com relação à crise financeira que assola o futebol, Teixeira prefere não polemizar. Acredita que o governo não deve dar dinheiro aos clubes e sim abrir um refinanciamento, através do Refis, para as dívidas serem sanadas.

“Os clubes estão num beco sem saída. Um exemplo é o Flamengo. Por causa da dívida com o INSS, o clube não pode receber o dinheiro do patrocinador – uma empresa estatal. Aí eles acabam se endividando ainda mais”, finaliza.

Hoje…

Fonte: correio esporte

Ricardo Teixeira defende Maracanã e diz que projeto para 2014 resolve problemas

Vestiários completamente alagados, um gramado que parecia um lago
marrom. No entorno do estádio, muito lixo, lama e água. A chuva
que castigou a cidade do Rio de Janeiro na última segunda-feira
mostrou a fragilidade do Maracanã, provável palco da final da
Copa do Mundo de 2014. O jogo entre Flamengo
e Universidad de Chile, pela Taça Libertadores
, precisou
ser adiado porque o estádio não tinha condições de receber a
partida na quarta-feira à noite. Nesta quinta, o presidente da
CBF, Ricardo Teixeira, minimizou os problemas apresentados pelo
estádio carioca após participar de um painel sobre
“Literatura e Futebol”, na Academia Brasileira de
Letras.

Segundo o dirigente, o Maracanã não deve sofrer
com alagamentos após passar pelas reformas previstas para a Copa
do Mundo de 2014. No projeto apresentado à Fifa, o Governo do
Rio prevê o rebaixamento do lençol freático que existe na região
do estádio.

– O projeto do Maracanã fala que vai baixar o
lençol (freático) e vai resolver alguns problemas que o Maracanã
tem. Sobre a catástrofe no Rio de Janeiro e em Niterói, isso
aconteceu no México seis meses antes de uma Copa do Mundo com um
terremoto, que arrasou a Cidade do México. E eles fizeram a Copa
do Mundo sem problema algum.

Nota do blog – É  para essa pessoa que o governo brasileiro vai dar o seu, o meu, o nosso dinheiro para organizar a Copa do Mundo? Notem que ele afirmou que gostaria que um “empresário independente” fizesse o serviço.  Pensem bem na hora de votar em políticos que se lambuzam na lama com essa gente. São esses mesmos políticos que estão dando a Copa do Mundo na mão dele. Uma vergonha.

E corrigindo o senhor Teixeira o termo correto é “implodir” e não “explodir”, a não ser que o senhor contrate os serviços da Al Qaeda e do Taleban.

A TAÇA É DOS MOLEQUES!

28/04/2010

André e wesley comemoram: O Santos com a mão da taça

O post sobre o primeiro jogo da final do campeonato paulista está meio atrasado. Mas não dá pra deixar de escrever sobre isso apesar de que qualquer referência sobre esse assunto seja chover no molhado.

O Santo André fez uma senhora partida. O clube do ABC mereceu com altos louros o rótulo de finalista. Foi o único time do campeonato paulista que enfrentou o Santos de igual pra igual, atacando sem medo e impondo medo na garotada santista. O primeiro tempo foi todo do Ramalhão e se Nunes tivesse uma melhor pontaria o destino do Santo André seria menos nebuloso.

No segundo tempo, o Santos voltou ao normal. Se aproveitou da recuada do time do ABC e passou a controlar a partida. Paulo Henrique Ganso começou a jogar muito e  o peixe voltou a sua rotina de gols. Virou o jogo para 3 x 1 em 3 jogadas rápidas e de puro talento individual. O Santo André diminuiu e ainda deu trabalho no final. Um empate seria o mais justo pelo que as duas equipes fizeram no Pacaembu, mas o resultado de 3 x 2 coloca o Santos em ampla vantagem.

Uma zebra como na Copa do Brasil de 2004 é uma tarefa quase impossível para o Ramalhão.  O décimo oitavo título do clube da baixada é só uma questão de tempo. Se o peixe faturar o título paulista será o campeão da década no futebol paulista com 3 títulos conquistados. O Corinthians também tem 3 títulos, mas o Santos chegou a uma final a mais  que o clube paulistano, o que o credencia para essa qualificação.

Ao Santo André só resta jogar a maior partida de suas vida e torcer para que o apóstolo que carrega o seu nome faça um novo milagre.

MURICY E O FLUMINENSE

28/04/2010

Muitos veículos de imprensa criticaram a postura da diretoria do Fluminense em demitir Cuca nas vésperas de um jogo importante da Copa do Brasil e contratar Muricy Ramalho.

O últimos resultados do tricolor carioca no campeonato estadual são a explicação da troca feita pelo presidente Roberto Horcardes. O Fluminense quer títulos,  não importa de que forma ele venha. O clube das Laranjeiras pode ter jogado um bom futebol na incrível recuperação no segundo semestre do ano passado, mas não ganhou nada. Se salvou do rebaixamento na última rodada e apanhou de novo da LDU na final de um torneio sul-americano.

No campeonato carioca não chegou nem a final da Taça Guanabara e muito menos da Taça Rio. A diretoria cansou do futebol bonito porém fracassado de Cuca. Vai apostar no pragmatismo e no jogo duro de Muricy para faturar o brasileiro. A manutenção do elenco para o principal torneio nacional é a prova disso.

Será curioso ver como a filosofia de Muricy se encaixa num clube carioca, um futebol marcado pela técnica e pelo bom futebol. Sem uma estrutura adequada como a dos grandes paulistas, a passagem do ex-tecnico do São Paulo e Palmeiras será um grande desafio.  Mas pode dar certo, já que o elenco do clube das Laranjeiras tem bons nomes como Conca e Fred.

Lembremos que falta de estrutura pode ser um agravante, mas não o principal responsável pelo sucesso ou fracasso de uma agremiação. O último campeão brasileiro é um exemplo disso.  Resta saber se a exigente torcida carioca vai aguentar as  jogadas aéreas, os balões, as improvisações malucas e o estilo “bateu levou” do novo treinador.

Se der certo ele vira Deus. Se der errado vai ser praticamente expulso do Rio de Janeiro.  Veremos.

VOCÊ ACREDITA EM PESQUISAS?

28/04/2010

Ontem o Datafilha publicou mais uma pesquisa que aponta as maiores torcidas do Brasil. E o Flamengo continuou na frente do Corinthians por uma margem de três pontos percentuais. Até aí tudo bem. Os primeiro colocados não se alteraram com referência aos outros institutos de pesquisa. O que me chamou a atenção foi a parte de baixo da tabela.

A Portuguesa de Desportos desponta na frente de times com uma torcida bem mais representativa como Santa Cruz, Náutico,  Coritiba e Atlético Paranaense.

Opa! Tem alguma coisa errada aí. Como clubes como o Santa Cruz, Coritiba, Paysandu e Goiás pode estar atrás da Portuguesa? Freud explica?

Para quem não mora em São Paulo o clube do Canindé é um dos mais tradicionais do Estado de São Paulo. Ganhou 3 títulos paulistas da primeira divisão e dois torneios Rio-São Paulo.  Teve grandes craques em sua história como Julinho Botelho, Djalma Santos,  Enéias e Dener. Mas a sua torcida deixa um pouco a desejar em relação aos quatro outros grandes das terras bandeirantes.

O Canindé incompleto em dias de jogos: cena comum

A torcida da Lusa, salvo raras exceções, não consegue manter uma grande regularidade de público como a de seus rivais. Tem uma torcida fanática, apaixonada mas que não consegue colocar 20.000 pessoas no Canindé toda hora. Tanto que existe uma discussão entre torcerdores se jogo contra a Portuguesa ainda é um clássico.  Muitos defendem a tese que a Portuguesa não é um clube grande, mas intermediário.

Em 1996 quando o clube paulista chegou a final do campeonato brasileiro contra o Grêmio, muitos dos torcedores presentes no Morumbi para o primeiro jogo da final era representado por torcedores de outros clubes.

Agora transporte  esse fato para os torcedores do Coritiba, Santa Cruz, Atlético Paranaense e Paysandu? Será que eles precisariam de torcedores de outros times pra encher um estádio? Acredito que não.

torcida do Santa: lotação até na série D

Os clubes abaixo da Portuguesa tem  torcidas que enchem os  estádios. A do Santa Cruz por exemplo está na quarta divisão do futebol brasileiro, mas lota o Arrudão mesmo assim. Coritiba e Atlético Paranaense fizeram projetos de sócio torcedores dada a frequência de público constante em seus respectivos estádios.  E os fãs da Portuguesa?  São minoria no Canindé até em jogos contra clubes de outro estado como Vasco e Flamengo.

O instituto Datafolha sempre primou pela exatidão de suas pesquisas. Mas tem alguma coisa errada aí. Ou na amostragem ou no resultado final. Novos conceitos de pesquisa devem ser utilizados ou a “escondida” torcida da Portuguesa tem que tomar vergonha na cara e começar a frequentar o Canindé e ajudar o seu time.

NA BACIA DAS ALMAS

22/04/2010

Fernandinho marca o único gol do jogo: liderança ganha no rabo do cometa.

O São Paulo venceu o Once Caldas ontem no Morumbi com um gol de Fernandinho. Com essa vitória, o tricolor garantiu o primeiro lugar do grupo e leva vantagem no jogo das oitavas de final da Libertadores da América. Mas não pensem que tudo foi flores ontem no Morumbi.

A torcida são paulina parecia com sede de sangue e deu uma imensa vaia aos jogadores colombianos quando eles entraram em campo para o aquecimento.  Ecos ainda daquela trágica semifinal de 2004 em que o São Paulo perdeu do mesmo Once Caldas por 2 x 1.  A pequena torcida adversária fez questão de lembrar esse fato com uma bandeira com o sol nascente do Japão e os dizeres: ‘Yokohama 04″.

Pra quem não lembra no primeiro jogo da semifinal daquela  Libertadores no Morumbi, a torcida são paulina colocou uma enorme bandeira do Japão e o resultado não foi dos melhores. Não entendi muito bem a ironia já que os colômbianos perderam o mundial interclubes para o Porto. Mas vamos ao presente.

O São Paulo jogou mal de novo. Richarlyson e Dagoberto foram medonhos novamente, e durante boa parte do jogo, o Once Caldas dominou o meio campo e não marcou o gol  graças a trave e a uma grande defesa de Rogério Ceni.  O gol tricolor veio num passe meio atrapalhado de Marlos que deixou Fernandinho na cara do gol.  E foi só.

A torcida são paulina sofreu novamente. Hostilizou o técnico Ricardo Gomes pela substituição esdrúxula de Fernandinho por Jean.  Somente depois da segunda alteração, o time melhorou um pouco e segurou o resultado até o final.  Muito pouco para uma equipe conquistar o maior título das Américas.  A vitória veio na bacia das almas com um tricolor ainda indefinido e confuso.

O São Paulo necessita de um meio campo mais criativo e voluntarioso. De atacantes solidários e entrosados se quiser ir mais longe no torneio sul-americano. Será que “Gargamel”  Gomes vai conseguir fazer esse time voar? A resposta fica pra próxima fase.

O CULPADO?

20/04/2010

O centroavante Washington, foi multado pela diretoria são paulina pelas suas declarações após o desastre na semifinais do campeonato paulista contra o Santos na Vila Belmiro.  Após soltar o verbo contra as atitudes do treinador Ricardo “Gargamel” Gomes, o elenco deu um esporro no centroavante em que cobraram “trabalho de equipe” e respeito.

Na opinião desse blogueiro uma baita de uma sacanagem com o centroavante.  Por que multar o Washington? O artilheiro da temporada? Por que não multam o Dagoberto e o Richarlyson por sua displicência e pelo tosco futebol que apresentam dentro de campo? Por que não multam o Ricardo “Gargamel” Gomes, que recheia o time de volantes de contenção (odeio esse termo, me parece uma peça de material de construção)  e que consequentemente fazem com que os atacantes tricolores fiquem a ver navios?

Sim, porque todo mundo que entende um pouco de futebol sabe que Washington não é um centroavante técnico. Ele é o atacante da última bola sempre esperando uma jogada servida por seus companheiros. Esperar algo mais dele beira a teimosia e a imbecilidade. Acho injusta algumas críticas da torcida  são paulina em relação a ele. Quando o chamam de “cone” se esquecem dos gols que ele fez no brasileiro do ano passado e também da atual temporada.

Pergunto a todos, quem fez mais gols que ele no São Paulo? Por que parece que Fernandinho gastou todos os seus cartuchos em Barueri e simplesmente não apresenta mais nada quando entra em campo. Washington corre, luta contra o seu próprio aspecto físico que o faz ter desvantagem perante os defensores mais técnicos. Erra, mas tenta. O outro erra e fica olhando a bola passar.

Talvez o centroavante tenha errado em suas declarações.  Mas dá pra entender perfeitamente porque ele soltou o verbo contra Gomes. É duro ser o goleador da equipe, mesmo com um esquema que não privilegia suas caracteristas como no Atlético Paranaense em 2004,  e sempre ser sacado do time porque o treinador não tem competência para armar um esquema decente.

Pior é ser repreendido por um elenco me que a maioria dos jogadores  não demonstra  fibra  nenhuma. Que tem como porta voz um voltante medíocre que faz chororô pelas comemorações do time do Santos.  Como suportar uma situação dessas?  Se fosse Washington mandaria todo mundo tomar vergonha na cara e ir pra aquele lugar.

Como se Washington fosse o único culpado da displicência dos jogadores e da diretoria são paulina, que contrata aberrações e deixa as revelações jogando playstation em Cotia.  Quem merecia multa era  Juvenal Juvêncio por trocar Rodrigo Souto por Arouca, por contratar Leo Lima, Andre Luiz e Carlinhos Paraíba e também pelas declarações infelizes que fazem o adversário se motivar.

Pegar o “João Grandão” pra Cristo é uma senhora  sacanagem e covardia de um elenco que não olha em cima de seu próprio umbigo e não analisa os seus erros. Postura arrogante como a de sua presidência, que está colocando todo o trabalho do Marcelo Portugal Gouvea na lata do lixo.

VITOR BIRNER… ESPETACULAR!

20/04/2010

Que São Paulo sem vergonha é este?

19 abr

Birnadas

De Vitor Birner

Tempo pedido, tempo dado

Esperei o tempo pedido por Ricardo Gomes para começar a cobrar futebol do São Paulo

Desde então, a maioria de meus comentários tratavam do monte de defeitos e erros da equipe.

Alguns torcedores reclamaram. Até me xingaram. Como sou teimoso e a equipe vai muito mal em jogos decisivos, minha convicção de que estou trabalhando direito só aumentou.

Os torcedores deveriam gastar suas energias cobrando do bando de jogadores acomodados e ou egoístas, mais respeito pela camisa e qualidade no futebol.

O elenco é forte, os jogadores têm potencial para formarem o time campeão da América, todavia, na prática, a realidade tem sido bem diferente.

Ganhar os clássicos? Quando o São Paulo vai empatar um?

Tirante comer, respirar e expirar, dormir, beber água e necessidades vitais parecidas, o que mais fiz na vida foi ver jogos do São Paulo.

Ao longo dos meus 41 anos, acompanhei times do São Paulo ruins e fortes, perdedores e vencedores, apáticos e guerreiros, todavia nunca vi um tão fracassado em clássicos.

As derrotas nos 5 que disputou (se você considar o jogo diante da Lusa também clássico foram 6), os 14 gols sofridos neles contra apenas 6 marcados (se contar contra a Portuguesa  são 17 contra 7), a deplorável atuação diante no Nacional-PAR, e as fracas frente Onces Caldas e Monterrey quando os visitou, explicam a atual capacidade competitiva deste grupo.

Eu não tenho como elogiar isso.

Limite na Libertadores

Está mais fácil se classificar que ser eliminado da Libertadores. A trave e Rogério Ceni salvaram diante do Monterrey no México. O goleiro já tinha feito isso no jogo de Assunção. No Morumbi, os mexicanos utilizaram um mistão.

Não há nada de mais em chegar na fase seguinte. É a mínima obrigação.

De qualquer forma, acabaram as chances de recuperação. Ou joga bem na Libertadores, dá um jeito de ganhar decentemente do Once Caldas e superar as oitavas e quartas de final, assim poderá solucionar os problemas durante a paralisação da Copa do Mundo, ou o primeiro semestre será um desastre.

Ícones do fracasso e intocáveis

No início da temporada, escrevi um post “No Morumbi, reciclar é preciso”. Tratei da necessidade de arrumar outros empregos para Richarlyson, Dagoberto, André Dias e Hernanes.

http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2010/01/18/no-morumbi-reciclar-e-preciso/

Ou para a maioria deles.

O zagueiro saiu. Os outros 3, como acontecia com André Dias,  parecem intocáveis até pintar proposta do exterior. Seus lugares entre os titulares sempre estão reservados.

Não importa se Richarlyson erra a marcação e os passes curtos, abandona a posição, inventa inversões de bola que terminam em lances perigosos para o rival, não acerta cruzamentos, comete faltas tolas perto da área, além de sempre levar cartão.

Também é indiferente se Dagoberto repete as duas mesmas jogadas, é fominha, chuta mal ao gol, serve poucas vezes o centroavante, toma cartões bobos e nunca decide as partidas importantes do mata mata.

Na lateral, meio, zaga ou ataque, em algum lugar acabam jogando. E quando saem, é por pouco tempo.

E pior: Ambos fazem uma baita média. O primeiro com Juvenal Juvêncio. Uma rara atuação boa contra o Peixe certamente acabaria com entrevista na saída do gramado dizendo que jogou pelo presidente.

O outro, de vez em quando, corre bastante. É o falso guerreiro.

Me pergunto se fica mais satisfeito quando recebe elogios e o time perde, ou nas horas em que a equipe consegue os 3 pontos e ele não é lembrado.

Tem fama de craque, contudo não recordo uma mísera jogada de Dagoberto que lembre as de Neymar e Messi, atletas que justificam o uso da palavra craque.

E pior: joga como se o time, por se achar craque, tivesse que servi-lo.

Dos 3, Hernanes é o melhor. Chuta com ambos os pés, tem boa visão de jogo e classe. Talvez ainda consiga pular do patamar de bom complemento para o de atleta de referência que resolve partidas difíceis, equilibradas e eliminatórias.

Nunca decidiu um mata mata complicado. Disputou os das Libertadores de 2008 e 2009, além dos paulistinhas.

Jogo do Morumbi ilustrou o que penso

Na partida de ida contra o Peixe, a derrota por 3×2, é o exemplo mais recente.

Na etapa inicial, até tomar o gol nas falhas de Junior Cesar,  o São Paulo se apresentava bem e tinha espaço para criar a jogada de gol.

Todavia, quem pegava a bola para dar o último passe, o chute da entrada da área, ou tentar dribles e tabelas para chegar na cara do goleiro, eram Hernanes e Dagoberto. Nada aconteceu.

Com um a menos, na etapa complementar, eles foram muito bem e acabaram elogiados. O mundo se esqueceu dos 45 minutos iniciais. Mereceram, naquela jogo, aplausos e críticas.

Eis os ícones do fracasso.

Ricardo Gomes e Milton Cruz escolheram Dagoberto e Hernanes como pilares do time

Basta ver como o time atua. Dagoberto e Hernanes são as apostas de treinador e auxiliar para o São Paulo desequilibrar na frente. Eles são os pilares da equipe.

Erro crasso. Aliás, o trabalho de Ricardo Gomes é mediano. E Milton Cruz, como nos momentos de sucesso, tem sua parcela de responsabilidade.

E se Neymar e Ganso fossem revelações do São Paulo?

No brasileirão, Ganso perdeu duas penalidades contra o Flamengo. Se fosse jogador do São Paulo, provavelmente precisaria de 1 ano e meio para entrar em campo outra vez.

Acho que seria emprestado.

Neymar, ano passado, também não brilhou.

Tenho absoluta certeza, por conta da forma como as coisas acontecem no São Paulo, que o atacante seria reserva de Dagoberto. E Ganso ou atuaria ao lado de Hernanes, ou esquentaria o banco para ele.

O pessoal que trabalha no CT gosta de jogadores prontos, não valoriza os jovens. Os casos de Oscar e Diogo somados aos fracassos nos investimentos estão mudando isso.

Quem acredita que Arouca jogaria no mesmo nível no São Paulo?

Eu não acredito. Inclusive porque atuaria de segundo volante, outro marcaria mais atrás, e pela direita concorreria com Hernanes.  Talvez fosse improvisado na lateral-direita.

Aposto que estaria na reserva e com desempenho bem inferior ao demonstrado no Peixe.

Washington, culpado e vítima

A bola chega pouco nele. É vítima disso. Por outro lado, quando aparecem as oportunidades, não dá conta. Já o vi jogar em nível bem mais alto.

O problema é que fala demais. Dá indiretas quando vai para a reserva. No fim das contas, acaba aumentando as crises e ajudando pouco a sair delas.

Como Hernanes, até pode virar o jogo, entretanto, hoje, está mais para culpado.

Diretoria precisa se mexer

Tem trabalho de sobra para a cartolagem sãopaulina.

Jogadores acomodados, falastrões, arrogantes, em momento técnico ruim…

Há de tudo.

O chute de Dagoberto, cara a cara com Felipe, no final da partida, por exemplo, é digno de pesada punição. Será que foi de propósito? Estava incomodado porque o passe era de Washington, revoltado por causa do resultado?

Não sei. Todavia tenho obrigação de desconfiar que chutou para fora intencionalmente. No mínimo foi displicente e desrespeitoso com torcedores, time e companheiros.

Não importa se vai fazer falta diante do Once Caldas, perder valor de mercado ou ter um chilique.

Nem deveria ser relacionado para a quarta-feira. Cotia nele!

E Cleber Santana? Não mostra sequer vontade de ganhar a titularidade, quanto mais de vencer os jogos. Uma conversa ao pé de ouvido faz-se necessária.

Miranda disputa sua pior temporada no clube.

Richarlyson é desobediente taticamente, além dos defeitos técnicos.

Jean, Cicinho, Jr César e Marcelinho Paraíba, quem encontrou seu melhor futebol?

Por que eles e outros estão rendendo menos que podem?

Lembrete

Sãopaulino que ainda defende cegamente alguns jogadores deste elenco, trabalha contra o time para o qual alega torcer.

O apoio é importante durante os jogos. Fora deles, cobrar ajuda mais.

Acreditem em Alex Silva

Os outros jogadores deveriam imitar Alex Silva. Dedicação, comprometimento, ambição por títulos, dor nas derrotas, noção coletiva….O zagueiro é a antítese da equipe.

E cobrou de seus compenheiros o que eu descrevi no post.

“Não jogamos nada. Não merecemos a vitória em nenhum momento do jogo, deixamos os homens deles no segundo tempo criar, fazer o que queriam, principalmente pelas laterais. Uma equipe como o São Paulo não pode apresentar um futebol como apresentou hoje. Eu acho que nos 3 anos que eu passei aqui no São Paulo, nós fomos campeões pela garra e vontade de vencer. E eu acho que a gente está deixando um pouco a desejar nisso.”

Nota do blog – Não dá pra escrever mais nada. Só fazer isso… clap! clap! clap!  Birner dedou na ferida e soltou tudo o que nós são paulinos gostaríamos de dizer. É  profudamente lamentável a postura da diretoria são paulina em relação a Cotia, ao apadrinhamento de jogadores medíocres como Richarlyson e ao favorecimento de jogadores acomodados e irresponsáveis.  Falta alma nesse time! Falta coração e não pensem que uma vitória contra o Once Caldas vai mudar tudo  isso.

TALENTO NÃO SE COMPRA! SE CRIA!

19/04/2010

Vendo o futebol pavoroso do São Paulo na atualidade não dá pra não lembrar de times do passado e que engrandeceram o tricolor paulista não só pelas vitórias, mas pela tradição do futebol brasileiro que a equipe jogava e que se perdeu com o passar dos anos.  Não tive que viajar muito na máquina do tempo. O primeiro jogo do São Paulo na final do campeonato paulista de 2000  contra o Santos é um exemplo. Um gol antológico do França no começo do jogo. Uma jogada sensacional com tabelas como manda a tradição do futebol brasileiro. Um dos gols mais lindos que já vi do tricolor e um dos meus gols favoritos em todos os tempos pela jogada coletiva e talentosa da equipe. Por coincidência por cobras criadas no clube como Fábio Aurélio e França.

Bons tempos que  vão voltar. Espero.