Archive for janeiro \24\UTC 2009

A MAIOR FARSA DO FUTEBOL PAULISTA EM TODOS OS TEMPOS

24/01/2009

Todos os torcedores acompanharam nas últimas semanas  a polêmica envolvendo a FPF e o São Paulo FC. Uma delas seria a publicação do Manual do Campeonato Paulista de 2008 em que a revista afirma que o São Paulo FC foi rebaixado para a segunda divisão em 1991.

Vamos provar que o autores do manual, baseados numa obra de Rodolfo Kussarev, não fizeram uma pesquisa adequada. Pior, se utilizaram de uma reportagem mal feita da Folha de São Paulo pelo repórter Fernando Santos  para afirmar  que o clube foi para a “Segunda Divisão” do futebol paulista.

Para piorar, um dos autores do manual do campeonato Paulista, André Fontenelle deu um exemplo de mau jornalismo ao colocar o post da reportagem da Folha e como  o “dono da verdade” ao afirmar de pés juntos que o São Paulo foi rebaixado.

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI24813-15260,00-O+DIA+EM+QUE+O+SAO+PAULO+FOI+REBAIXADO.html

Vamos desmascará-lo.

Em primeiro lugar não houve descenso em 1990.  Ao contrário do que Fontenelle diz,   não foi uma “cortesia”. Foi algo previsto já que nos campeonatos de 1988 e 1989 e 1990 foi definido pela FPF  que não haveria  rebaixamento.  Tudo  isso graças ao caso Ponte Preta e Bandeirante de Birigui, que voltaram pelas portas dos fundos  em 1988 e paralisaram o campeonato por alguns dias.  Veja o número de participantes e confira o inchaço do torneio ao longo dos anos.

1988 – 20 times

1989 – 22 times

1990 -24 times

1991 – 28 times

A revista Placar, uma das mais conceituadas do país, publicou uma nota falando da confusão do campeonato de 1990. Mas foi bem clara quando disse que NÃO HAVERIA REBAIXAMENTO no Paulistão daquele ano. Veja abaixo:

norebaixamentox2

Somente isso já retira o “insofismável” rebaixamento tricolor. Mas como diz Arnando César Coelho: a regra é clara.  E o regulamento da competição de 1990 não deixa a menor dúvida

regulamento_19902

Vamos escrever a regras aqui novamente –

Parágrafo 1º do artigo 5º: “Para o Campeonato da Primeira Divisão de Futebol Profissional de 1991, o Grupo I será constituído pelas 14 associações classificadas para disputar a quarta fase do Campeonato de 1990 e o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990.

Parágrafo 2º – “No campeonato da primeira divisão de futebol profissional de 1990, não haverá descenso à divisão especial de futebol profissional. Mas a partir de 1991, ou a cada ano haverá o descenso de uma associação da Primeira Divisão de Futebol Profissional e o acesso de uma associação da Divisão Especial de Futebol Profissional

Só para lembrar ao Fontenelle, a Divisão Especial era o equivalente à segunda divisão do Paulista. Então desde já se sabiam das regras que foram pré-estabelecidas até mesmo para o Campeonato de 1991.  Inclusive com as divisões dos grupos.Então a teoria de “virada de mesa” não aconteceu.  Pois mesmo que não fosse previsto o cruzamento,  já foi definido que as quatro equipes da “Divisão Especial” (segundona) ficariam no Grupo II junto com os times que não se classificaram para a terceira fase de 1990.

Agora vem o maior questionamento. O absurdo texto de Fontenelle diz o seguinte:

Em 1990, o Campeonato Paulista foi disputado por 24 times. Havia a percepção de que eram times demais. Convencionou-se, então, que apenas 14 times disputariam o campeonato de 1991 – os 14 primeiros do certame de 1990″.

Agora me pergunto: Havia a percepção de quem cara pálida? Por que pela regra do campeonato aconteceu exatamente o contrário com a adição de mais 4 clubes em 1991.

E a frase mais absurda e injustificável: De que apenas os 14 primeiros times do certame disputariam a primeira divisão. Agora vem a pergunta….e os quatro que subiriam da Divisão Especial ficariam onde?

Sim amigos. Pelas contas do Sr. Fontenelle seria a primeira vez que 4 times classificados para a primeira divisão disputariam a segundona novamente. Algo tão absurdo quanto achar Osama Bin Laden nu em Copacabana.

No entanto Olimpia, São Carlense, Marília e Rio Branco jogaram a primeira divisão no Grupo II em 1991 exatamente como previa o regulamento.

A reportagem da Folha de São Paulo não investigou e nem mesmo consultou as regras do campeonato de 1990.  Nem mesmo citou a decisão da FPF de não rebaixar ninguém até 1991.  Decisão tomada 3 anos antes.

O São Paulo disputou sim uma repescagem e infelizmente não conseguiu se classificar para a outra fase.  Botafogo e Guarani conseguiram e disputaram a fase final. Nem o bugre, nem os panteras  falaram em “acesso” na época.

Vejam a classificação final da repescagem de 1990 –

mentira7

Como se vê o tricolor paulista ficou em segundo na repescagem.  Os últimos colocados foram Catanduvense e Noroeste.  Num campeonato comum ambas as equipes estariam rebaixadas não é? No entanto os  dois clubes permaneceram em 1991, respeitando a regra pré-estabelecida  do campeonato de 1990.

o Grupo II será constituido pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990.

o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990. Regra cumprida em 1991.

Agora a frase mais absurda de todas.

Por quê? Onde está escrito que um torneio não pode ter dez rebaixados? Na Bíblia? Se a Federação Paulista queria reduzir o número de clubes de 24 para 14, em um único ano, não haveria outra maneira a não ser rebaixando dez clubes.”

Nem na Bíblia e nem mesmo no campeonato português. Sem dúvida seria um recorde mundial digno de entrar para o Guiness. Nunca na história do futebol mundial houve um descenso nessa proporção.  Seria motivo de piada em qualquer lugar do mundo.  Novamente pergunto onde ficariam os 4 times da Divisão Especial  se a “Federação Paulista queria apenas os 14 clubes”.

Até agora Fontenelle não nos deu tal resposta.

Para terminar aqui está uma reportagem da revista Placar sobre o último jogo do São Paulo na repescagem de 1990.  Em nenhum momento a palavra “rebaixamento”, “queda” ou outro termo é citado.

Onde está o rebaixamento?

Revista Placar: onde está o rebaixamento?

O jornal  “O Estado de São Paulo, outro veículo impresso de grande credibilidade jornalística não cita em nenhum momento o rebaixamento tricolor.   Apenas afirma o que está escrito no regulamento do campeonato. Talvez o repórter do Estadão estivesse mais atento às regras e não prestando atenção na  modorrenta seleção brasileira na Copa de 1990. Veja abaixo:

estadao012

 Porém o fato mais grave e que foi totalmente ignorado pelo senhor Fontenelle, que baseou sua teoria estapafúrdia  numa reportagem da Folha de São Paulo, se esqueceu de fazer o que um jornalista tem como obrigação: pesquisar e investigar.

Já demos exemplos acima de outros veículos de comunicação que nem sequer citaram o fantasioso “rebaixamento” são paulino. Porém o senhor Fontenelle e Roberto Kussarev deveriam fazer uma pesquisa mais profunda e descobrir que no próprio jornal Folha de São Paulo foi escrito que no campeonato paulista de 1990 não haveria descenso.

Uma reportagem do dia 4 de Janeiro de 1990 informa os jogos da primeira rodada da competição. Ali estão todas as regras pré-estabelecidas no torneio, inclusive a definição da FPF de que não haveria  rebaixamento de clubes naquele ano.

NoRebaixamento1990-09a

Bastava uma análise mais abrangente. No mesmo jornal dias mais tarde numa espécie de “guia” para explicar o confuso regulamento, a  Folha de São Paulo fez uma espécie de gráfico informando todas as regras da competição em 1990.  Nela estão definidos todos os pontos do regulamento que foi totalmente cumprido até o final quando o Bragantino levantou a taça de campeão estadual.

NoRebaixamento1990-12

Um belo caso de contradição jornalística sem dúvida.  Agora vamos as perguntas. Onde está o “truque” e a “formalidade” ditas pelo senhor Fontenelle se todos os itens assinados por todos os clubes da primeira divisão foram totalmente cumpridos?  Onde estão as reportagens que tratam essas regras como  mero “engodo”? Aliás, em que parte do regulamento está instituída essa chamada “enganação”? Por que o jornalista não citou estas mesmas reportagens realizadas pelo próprio jornal em que ele se baseou para falar do pseudo rebaixamento tricolor? Por que em  Campinas,  Limeira, Bauru, Sorocaba e outras cidades de clubes que não se classificaram na repescagem no campeonao paulista de 1990 jamais falaram em rebaixamento?  Simples, porque ele jamais existiu.

Não somos os donos da verdade. Apenas gostamos de apurar os acontecimentos  e tratá-los com a devida atenção. Erros também ocorrem no jornalismo esportivo. E a reportagem da Folha  não apurou devidamente os fatos. Talvez porque toda a nata da imprensa da época estivesse preocupada com a Copa da Itália na época. As regras oficiais do campeonato paulista de 1990 não dão margem a quaquer tipo de interpretação.  O São Paulo NÃO FOI REBAIXADO para a Divisão Especial. Meus parabéns ao excelente jornalista Paulo Vinicius Coelho que fez o que todo profissional respeitado deveria imitar. Procurar os fatos e não se basear em “achismos” e teorias pessoais estapafúrdias.

Anúncios

Estamos de volta!

23/01/2009

Olá pessoal!

Após uma ausência de 6 meses o blog do abdul está de volta e em novo endereço.

Os motivos foram muitos. Desde a falta de tempo até a falta de recursos que o blog do uol.  Não dava mais para continuar num espaço com recursos tão pequenos.

Agradeçemos desde já o apoio de todos e esperamos ter a mesma dedicação do endereço anterior.

Abraços

Marcelo Abdul